fbpx

Processo seletivo online: aprenda a se sair bem

Compartilhe o conteúdo

A busca por empregos já mudou, você deve ter percebido. No atual cenário, vemos cada vez mais o recrutamento através de um processo seletivo online. Mas, será que você está pronto para esse futuro que já começou?

Se muitas seleções foram paralisadas diante da pandemia, outras, anteriormente estagnadas pela falta de agenda do dia a dia corrido dos executivos, podem ser oportunidades para quem está em busca de emprego.

E se você está em busca de uma vaga, confira as notícias na Folha Dirigida Empregos.

“Alguns  processos seletivos estão evoluindo mais rápido porque está todo mundo em casa, ninguém foge para lugar nenhum, está todo mundo disponível e os executivos têm agenda para entrevistar, testar”, afirma a job hunter e especialista em recolocação e carreira, Tais Targa.

Aprenda a se sair bem em processo seletivo online

A busca por empregos já mudou, e o processo seletivo online está cada dia mais comum (Foto: Freepik)

Como se inserir no mercado de trabalho diante da crise?

Segundo Tais Targa, as entrevistas são cada vez mais rápidas, pois o profissional ganha tempo que seria de deslocamento, afinal, quase tudo agora é via videoconferência. Até mesmo as dinâmicas de grupo, sabia?

Patricia Carvalho dos Santos, CMO da plataforma de recrutamento Revelo, reforçou também que, mesmo que seja uma nova estrutura para essas dinâmica de grupo online, não muda muito como estrutura geral. Por isso, não se assuste!

Quando a gente está falando do universo online, tem salas que são feitas exatamente para cumprir esse mesmo passo a passo. Você coloca todas as pessoas na mesma sala. Quando precisa dividir, você faz duas salas e separa as pessoas, afirma Patrícia.

Se por um lado algumas empresas estão sofrendo impactos negativos, outras permanecem contratando com processos seletivos a distância. Por isso, você não deve perder as esperanças nesse momento difícil.

Com o movimento no mercado, oportunidades também têm surgido e dão origem a novas vagas em áreas que não possuem muitos profissionais capacitados ainda, como as carreiras digitais.

Certamente há um número de vagas menor no mercado de trabalho, que está mais concorrido também devido às demissões acontecendo. A dica de Tais, nesse momento, é se preparar mais e trabalhar dobrado.

Se antes você tinha que encantar o recrutador na entrevista de emprego, agora tem que entrar para brilhar. O que a gente tem de mais favorável? Mais tempo, afirma a job hunter.

Os três principais pilares para este momento são:

  • Estudar
  • Pesquisar modelos de currículo
  • Fazer conexões novas

tres principais pilares na busca por um emprego

Você quer sair como dessa quarentena?

Procure também por livros, vídeos ou cursos sobre a área que você gosta. Utilize a sua disciplina e separe horas por dia para trabalhar a sua empregabilidade.

Um problema alertado por Tais Targa é que muitas pessoas nunca fizeram entrevistas online. E, em um panorama no qual a maioria tende a ser desse formato, é hora de aprender.

Se você não gosta de tecnologia ou entrar na frente de uma câmera, precisa superar essa barreira para dar continuidade aos processos seletivos a distância e não ficar para trás diante dos outros candidatos.

Targa indica o seguintes passos:

  • Inicie a preparação lendo à respeito de como fazer entrevistas online.
  • Aprenda a falar olhando para a câmera.
  • Não se intimide em mostrar sua melhor versão de maneira online.
  • Procure encantar seu recrutador.

A dica para isso: muito conhecimento, prática e repetição.

Por mais que você não tenha feito tanta entrevista online, ligue para o seu amigo, para o cunhado, fale com a sua mãe. Treine em casa. Pega o fone, testa, estuda os aplicativos, qual o melhor som, a imagem e a luz, explica Tais.

12 dicas para se sair bem em um processo seletivo online

Concorrer a uma vaga em que todo o processo seletivo será online pode ser um desafio. Mas, Tais Targa e Patrícia Carvalho falaram sobre 12 dicas que você pode seguir para tirar de letra a seleção.

1. Faça bons relacionamentos e contatos

Segundo Tais Targa, uma dica para começar é ter bons relacionamentos e contatos. Mas a questão aqui é que você deve saber como fazer isso. Se não sabe, calma que a gente explica.

O LinkedIn, por exemplo, é uma boa ferramenta para estabelecer um contato inicial com os recrutadores. Um comentário em um post ou elogio, podem ser um detalhe importante para chamar a atenção dessas pessoas.

Mas, ela alerta que essa interação deve ser sincera e natural, e não “forçada”.

“Tem muita gente que eu passei a conhecer no LinkedIn porque comentam os meus posts, mandam elogios. São pessoas que, em consequência, eu dou uma olhada no perfil, fico curiosa. E isso se chama reciprocidade”, afirma.

Tais conta também que você não deve chegar logo pedindo vaga para o recrutador ou job hunter.

“Não chegue falando ‘oi, eu adicionei você e queria mandar meu currículo para a vaga x’. Calma, primeiro se relaciona, mostre quem você é, agregue valor”, completa.

Isso é muito importante para você ir mantendo o networking. Não fique só pedindo. Reciprocidade é a palavra nesse momento.

2. Utilize palavras-chave em seu currículo

Você já deve ter se perguntado se é melhor um currículo mais tradicional ou inovador. Segundo Tais Targa, o ideal é que você encontre o caminho do meio. Como assim?

A especialista em recrutamento afirma que você pode até ter um currículo com um design mais moderno e inovador, mas não pode deixar de caprichar no texto.

Geralmente, um currículo muito inovador, que é aquele com muito infográfico, não contém muita palavra-chave ou texto. E hoje, falando em inteligência artificial, em algoritmo, um filtro muito importante nas buscas são os termos, palavras-chave para aquela posição, explica a especialista em recolocação.

Muitas pessoas ficam com receio de escrever muito em seu currículo, mas a verdade é que, às vezes, aquela informação que você resolveu tirar, por achar que seu currículo estava muito grande, poderia ser o ponto de partida para a entrevista dos sonhos.

Talvez você tenha muita experiência e seu currículo tenha três páginas e está tudo bem ser assim. Descreva seus projetos e resultados, faça o mais completo possível.

Mas Patrícia afirma também que você jamais deve esquecer de colocar o seu objetivo profissional, afinal, é nele que você vai apresentar o que quer.

Sabia que um dos maiores erros em currículos é confundir objetivo profissional com apresentação?

A profissional da Revelo conta que é fundamental que as primeiras informações do seu currículo estejam escritas de forma correta, muito assertivamente, para o recrutador bater o olho e saber que você é adequado para aquele processo seletivo.

tais targa

Segundo Tais Targa, você deve caprichar no texto em seu currículo (Foto: Divulgação)

3. Capriche na apresentação do e-mail de envio do currículo

E falando em apresentação, quando você for enviar seu e-mail com o currículo, a dica é não colocar só o arquivo.

Faça uma breve apresentação de quem você é e aproveite para fazer uma relação com os pré-requisitos da função. Dê ênfase no que o recrutador está pedindo.

Se por outro lado o seu currículo estiver em um banco online, um segredo de Tais Targa é que o banco sempre vai colocar os currículos atualizados mais recentemente primeiro para os recrutadores. Sabia disso?

“Atualize o seu currículo sempre e, talvez em uma próxima busca, ele vá aparecer primeiro. É importante você sempre atualizar alguma coisa no seu cadastro nos bancos de currículo”, recomenda Tais Targa.

4. Faça sempre o dever de casa

Patricia Carvalho dos Santos afirma que muitas das coisas que o candidato tinha que fazer ao se preparar para o offline, irá se repetir no online.

E o ponto de partida quando você está se preparando para um processo seletivo é que precisa entender tudo o que a empresa que você se candidatou fez ou está fazendo.

Todas as respostas que você procura estão na descrição do que é aquela empresa e/ou vaga.

“É preciso que a gente faça aquele ‘dever de casa’ sobre a empresa. Como é a cultura dela, quais são os valores que ela compartilha, qual que é o posicionamento de mercado”, afirma Patrícia.

Patricia Carvalho dos Santos, da Revelo, fala

Patricia Carvalho dos Santos, da Revelo, fala que é fundamental que o candidato faça o ‘dever de casa’ sobre a empresa (Foto: Divulgaçã)

5. Seja pontual na hora da entrevista

Quando for fazer a sua entrevista, Patrícia Carvalho afirma que um erro fatal é: chegar atrasado.

Pode parecer básico, mas, Targa também reforça que muitas pessoas vão para entrevistas e não conseguem ser pontuais. Até em processos seletivos a distância, sabia?

Ou porque se desorganiza, ou de repente acontece um imprevisto e não avisa. Se acontecer algo, nunca deixe de avisar com antecedência, seja por e-mail ou por telefone.

Por isso que um detalhe importante que fica nessa migração de offline para online é: sempre tenha o contato do recrutador.

Caso dê algum problema na conexão, é para onde você vai ter que recorrer. Pode ser que você consiga uma outra oportunidade.

6. Não faça a entrevista com estado emocional negativo

Evite também ir a uma entrevista com o estado emocional negativo. Isso é um problema, pois você vai acabar chegando desanimado e até a sua postura corporal pode denunciar isso.

Vá fazer a entrevista e cuide do seu estado emocional antes. Não consuma notícias ruins, nem fale com pessoas derrotistas. Evite também brigas, aconselha Tais Targa.

7. Cuidado com as interrupções

Se você vai fazer uma entrevista online, precisa saber que em algum momento podem acontecer interrupções, seja por conta de algum barulho em casa ou uma televisão ligada.

Procure um lugar que o áudio seja mais isolado. Muitas pessoas cuidam da aparência, mas não direcionam a sua atenção a detalhes como o som. No final, o recrutador pode acabar não ouvindo o que você falou.

Se acontecer de você ter um filho em casa e for sozinho, um conselho de Tais Targa é avisar antes ao recrutador sobre a sua condição. Isso é fundamental.

Patrícia Carvalho explica que, ainda que no computador a pessoa controle o ambiente, sem “concorrentes” em volta, como em uma entrevista presencial, é preciso alinhar esse momento com as pessoas que moram com você.

Notícias e vagas de empregos por todo o país no site da Folha Dirigida

8. Não desvie o olhar da câmera

Um ponto negativo é você não olhar para a câmera. Isso o desconecta e pode até parecer desinteresse. Se você for tímido, a especialista recomenda treinar o seu olhar para falar na frente de uma câmera.

“Isso transmite mais segurança e gera empatia. O olho no olho inclusive altera nossos hormônios. Você libera ocitocina só de olhar no olho de outra pessoa. É muito importante que você mantenha o foco”, afirma Targa.

9. Evite utilizar a frase “conforme está no meu currículo”

Um deslize muito comum também acontece no momento em que o recrutador pergunta informações descritas no currículo para o candidato e este faz comentários do tipo “conforme está no meu currículo” ou “como eu detalhei no meu currículo”.

Ela afirma que isso não é recomendado ser feito. A justificativa é que, se o recrutador está perguntando, é porque é uma informação relevante para ele.

Uma realidade é que são muitos currículos e entrevistas ao longo do dia, mas nem sempre o recrutador irá lembrar de tudo que leu antes.

10. Não tenha receio de responder perguntas pessoais

Se o selecionador fizer perguntas mais difíceis ou de caráter pessoal, a job hunter afirma que você deve ficar feliz por isso, pois significa que você está gerando mais curiosidade e o recrutador quer saber mais de você.

No meio de Recrutamento & Seleção, muito se fala sobre fit cultural. Mas você sabe o que é isso? Resumidamente, é ver se o seu jeito, valores e o que você é combina com a cultura da empresa.

E como os recrutadores descobrem o fit cultural? Segundo Tais Targa, não é através de seu currículo ou falando do seu trabalho. E sim a partir de perguntas como “o que você faz nas suas horas vagas?” ou “qual seu time”, por exemplo.

Questionamentos sobre planos futuros ou determinados assuntos sem referência ao trabalho em si também estão inclusos.

11. Destaque suas habilidades na entrevista online

Quando você for falar sobre suas experiências em uma entrevista online, Patrícia Carvalho indica utilizar o método Smart.

A partir deste método, você explica a situação que você está, o contexto de onde está, fala a tarefa que está fazendo e o resultado que trouxe de um modo mais completo.

O objetivo é fazer com que você consiga apresentar um pouco mais das suas habilidades no momento da sua apresentação.

Ela cita um exemplo:

“Em vez de falar ‘eu trabalho com gestão de estoques’, fala ‘a minha empresa tem um controle de estoques sem perda financeira. Então eu sou uma parte do processo financeiro que tem gestão à vista. A gente controla o estoque e eu ajudei com o meu time a diminuir as perdas do ano de 2019″, exemplifica Patrícia.

Basicamente, é a mesma informação, mas falada de uma maneira que você exalta as suas soft e hard skills e agrega valor às suas funções.

12. Não encare um resultado negativo como derrota

Se acontecer de você participar de um processo seletivo e não passar, não desanime. Isso porque, quando há uma nova etapa de processo seletivo, ou você tem sucesso, ou aprende com eles.

Patrícia afirma que é sempre importante, quando você faz uma entrevista, participa de alguma fase, ou apresenta um case, que você vá com tudo naquela apresentação.

Se não passar, procure um feedback e anote como foi o seu desempenho para saber o que você pode melhorar na próxima seleção que participar.

É uma trajetória. Se você fizer várias entrevistas, em algum momento alcança o resultado final. Por isso, se prepare-se e esteja pronto para dar um gás na sua busca por um novo emprego!

Confira as entrevistas completas no canal do YouTube da FD com a Tais Targa e a Patrícia Carvalho dos Santos.

Dicas para um processo seletivo online


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *