fbpx

Pirâmide da Aprendizagem: ensinar ajuda a aprender?

Você já teve dificuldade de manter a concentração em uma aula? E durante uma leitura? Nesse sentido, a Pirâmide da Aprendizagem pode ajudar!

No dia a dia, nós recebemos diversos estímulos externos que podem dificultar a atenção nos estudos. Por isso, surgiram discussões sobre formas de aprendizagem que tiram o estudante de uma posição passiva de apenas ler ou ouvir.

Uma dessas formas é ensinar algo a alguém. Sabia que quando você ensina também está aumentando a sua compreensão sobre aquele assunto?

Neste post, falaremos sobre a teoria da Pirâmide da Aprendizagem e como ensinar alguém. Além de ajudar a outra pessoa, também é um reforço para você mesmo. Ser gentil faz com que todo mundo saia ganhando!

pirâmide da aprendizagem

Segundo a teoria da Pirâmide ou Cone da Aprendizagem de William Glasser, quem ensina também aprende (Foto: Freepik)

O que é a Pirâmide da Aprendizagem?

Também chamada de Cone da Aprendizagem, a teoria da Pirâmide da Aprendizagem foi elaborada pelo psiquiatra norte-americano William Glasser.

Segundo ele, nós absorvemos os conteúdos que estudamos de acordo com a forma como os recebemos. Ele divide a proporção de que retemos:

  • 10% do conteúdo quando lemos
  • 20% quando escutamos
  • 30% assistindo um vídeo ou apenas observando
  • 50% escutando e observando ao mesmo tempo
  • 70% quando conversamos ou debatemos um assunto
  • 80% ao ler, escrever ou colocar em prática um conteúdo
  • 95% ao ensinar alguém

Percebeu que, quanto menos o estudante está em uma posição passiva e mais ativo é o seu estudo, mais e melhor ele absorve a informação?

Como a Pirâmide da Aprendizagem funciona

Como fazer estudo ativo para concursos?

Não estamos dizendo que assistir aulas não seja importante. Mas, para quem deseja ser aprovado em um concurso, não é o suficiente. Portanto, para fixar bem os conteúdos também é necessário se colocar em uma posição ativa do aprendizado.

Através de um estudo realizado pela equipe da plataforma de ensino adaptativo EduQC, concluímos que a revisão (com materiais produzidos pelo aluno) foi 45% superior ao estudo teórico, assim como a prática (fazer exercícios) mostrou-se em média 37% superior também à teoria.

Perceba aqui a importância de também ter um estudo teórico previamente. O que vai acontecer, é que enquanto lê a teoria, você deve ir construindo seu material de revisão.

Com o tempo, perceberá que a prática e a revisão serão suficientes para fazer com que você lembre-se do conteúdo. Sem precisar ficar recorrendo à teoria sempre. Consequentemente, é normal que no futuro seu estudo se resuma à revisão e resolução de questões.

Mas, voltando ao tema de ensinar alguém. A principio, estudar para concurso, por si só, já é uma atividade solitária.

Nesse sentido, familiares e amigos muitas vezes questionam a atitude de alguém que abdica de diversas coisas. Por exemplo, uma carreira no setor privado, para ser aprovado no serviço público.

Portanto, juntar-se a pessoas que têm o mesmo objetivo que você pode ajudar a solucionar esses problemas relacionados à solidão.

Um concurso, em sua essência, já é algo competitivo. Afinal, são diversas pessoas disputando por um determinado número de vagas.

Todavia, isso não significa que você tenha que tratar pessoas que estão na mesma situação que você com agressividade ou apenas como concorrentes. Vocês podem se ajudar no processo de aprendizagem.

Estão todos na mesma luta. Ninguém chega a lugar algum sozinho. Gentileza gera gentileza, certo?

Qual a relação entre aprender e ensinar?

Quando ensinamos algo, estamos colocando os nossos conhecimentos em prática. Você já deve ter ouvido falar que métodos como praticar exercícios, fazer simulados e resumos com suas próprias palavras são eficazes porque você se vê obrigado a aplicar a teoria.

O mesmo acontece aqui. Isso porque, ao explicar algo para alguém, você está fazendo-o da maneira que entendeu. Uma coisa é ter algo em mente e outra é expressar isso.

Em uma prova de concurso, o candidato se vê obrigado a fazer isso. Seja em questões objetivas, mas com mais intensidade em discursivas e em redações, precisará mostrar à banca que tem conhecimento do assunto que está sendo pedido na questão.

Então por que já não colocar isso em prática durante o processo de estudos? Afinal, de qualquer jeito você terá que fazer isso na hora da prova. E é saber expressar seus aprendizados ou não que vai garantir sua aprovação.

Não existe perfeição. O que não pode é desistir

No entanto, você pode estar se perguntando: como vou ensinar algo a alguém se não sou formado nisso e ainda estou aprendendo?

É normal se sentir inseguro. Muitas vezes, quanto mais estudamos, mais vemos que ainda temos muito a aprender. O processo de aprendizagem pode parecer infinito. A perfeição não existe.

Você pode até não ser um especialista no assunto, mas pode ser que tenha entendido mais um assunto do que um amigo. Por que não passar esse conhecimento adiante?

Quando você expõe um aprendizado em voz alta, também podem surgir dúvidas que não tinha antes. Pode ser até mesmo que, ao falar sobre uma dúvida, você consiga sozinho encontrar a resposta para ela.

Outra situação possível é você ter mais facilidade em uma matéria e dificuldade em outra. Por exemplo, Português pode ser muito fácil para você aprender, mas Matemática nem tanto.

Será que você não tem um amigo que tem facilidade em Matemática e dificuldade em Português? E se um explicasse ao outro?

Dicas práticas para ensinar e ser mais gentil

Se você quer começar a aplicar a teoria da Pirâmide da Aprendizagem na sua vida e dos seus amigos, mas não sabe por onde ou como começar, reunimos algumas dicas que podem ajudar no seu aprendizado:

A pirâmide da aprendizagem também envolve gentileza

Compartilhar notícias confiáveis

Estar bem informado é fundamental para quem está estudando para concurso. Saber quando o edital saiu, quando será divulgado o local da prova, qual será a banca organizadora e várias outras informações são fundamentais na vida do estudante.

Apesar de estarmos sempre hiperconectados a internet e às notícias, é normal deixar uma informação ou outra passar às vezes, pelos mais diversos motivos.

Então por que não, ao saber que saiu uma notícia de um concurso para o qual você e um amigo estão estudando, não dar uma avisada? Não custa nada compartilhar informações tão importantes e de fontes confiáveis, como o site da Folha Dirigida.

Estudar com os amigos

Ao contrário do que muitos pensam, estudar não precisa ser necessariamente um ato solitário. Pode ser uma boa ideia reunir os amigos que estão estudando para o mesmo concurso que você, ainda que apenas online, para trocar conhecimentos.

É uma oportunidade para troca e aprendizado com pessoas que você se sente bem e confortável. Mas, é preciso saber separar a hora de conversar dos estudos, então não é para deixar de estudar e ficar de papo, viu?

Grupos de estudo

Pode ser que você não tenha amigos que estejam tomando caminhos parecidos com o seu. Isso é normal, porque cada um tem seus desejos e objetivos de vida.

Porém, não significa que você não possa formar grupos de estudo com outras pessoas que não sejam seus amigos, mas que tenham objetivos semelhantes aos seus. Essa troca de ensinamentos será positiva para todos os envolvidos.

Ensinar para amigos e família

Se ninguém do seu convívio está envolvido para concursos, pode pedir para algum membro da sua família ou um amigo ouvir alguma explicação sua.

Além de estar aplicando a teoria em suas palavras, saber dessa pessoa se a sua explicação está sendo clara ou não ajudará a compreender se você está tendo um bom entendimento do assunto. Por consequência, se consegue expressar bem o que aprendeu.

Ensinar para si em voz alta

Caso não tenha ninguém com tempo ou disposição para ouvir suas explicações, fale consigo mesmo.

Pode parecer coisa de doido, mas ouvir a sua própria explicação em voz alta e se ver obrigado a colocar os assuntos em palavras ajudará você mesmo a enxergar seu entendimento e compreensão da matéria.

Autoconhecimento é tudo.

Ser compreensivo com quem desmarca compromissos para estudar

Nem sempre é fácil compreender quando alguém desmarcar um compromisso. Bate aquela frustração e a primeira frase que vem a mente é “por que você não avisou?”.

Se seus amigos, família ou cônjuge ficam chateados quando você precisa desmarcar algo para estudar, converse e explique gentilmente a situação. Passar em concurso é seu sonho e as pessoas que se importam contigo devem entender.

Portanto, seja compreensivo também se isso acontecer com outra pessoa. Devemos tratar os outros como queremos ser tratados.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *