fbpx

Carreiras digitais: o que faz um desenvolvedor de software

Compartilhe o conteúdo

Você sabe o que faz um desenvolvedor de software? Se não, talvez seja o momento de se informar melhor sobre essa que é uma das carreiras que mais cresce.

Isso porque, com a tecnologia tendo cada vez mais espaço no mercado de trabalho e nas rotinas de produção, algumas profissões têm ganhado destaque e se posicionando como tendência de emprego.

O desenvolvedor de software é um exemplo. Antes pouco conhecido, agora se torna fundamental entre as novas carreiras digitais.

Por isso, se você está interessado em fazer parte dessa carreira, precisa saber tudo sobre ela e como se preparar para entrar nesse meio.

Com o avanço da tecnologia, a profissão de desenvolvedor de software tem se destacado no mercado de trabalho

Com o avanço da tecnologia, a profissão de desenvolvedor de software tem se destacado no mercado de trabalho (Foto: Freepik)

O que você vai encontrar aqui?

O que um desenvolvedor de software faz?

Para entender o que faz um desenvolvedor de software, antes de tudo, você precisa saber o que é um software.

O software é um produto virtual, podendo ser um sistema, programa ou aplicativo. Por trás desses produtos há sempre um código de Programação. E é aí que entra o desenvolvedor.

Através de uma linguagem de Programação, esse profissional desenvolve uma solução tecnológica que vai atender necessidades específicas de um produto.

No entanto, nem todo programador é um desenvolvedor. Isso porque o trabalho do desenvolvedor vai além de escrever um código de Programação.

O empresário de tecnologia e cofundador da Revelo, Lachlan de Crespigny, conta que, no dia a dia, esse profissional vai criar novos sistemas e executá-los.

Além disso, também é o responsável por fazer a manutenção dos programas, corrigir possíveis erros e garantir o bom funcionamento do software.

Quais os requisitos para um desenvolvedor de software?

Os requisitos e conhecimentos exigidos de um desenvolvedor de software variam de acordo com a especialidade do profissional.

Segundo Crespigny, no geral, são quatro focos:

1. Front-end

É a parte frontal do software, também conhecida como interface. O desenvolvedor front-end atua na aplicação que interage diretamente com o usuário – é aquilo que o usuário vê.

2. Back-end

Diferente do front-end, o back-end é a parte de “trás” do software. Esse desenvolvimento é mais focado na parte de organização e dinamização de informações que não são visíveis ao usuário.

3. Full-stack

É o profissional que atua tanto em front-end quanto em back-end, conseguindo receber, entender e entregar um projeto completo.

4. Mobile

É o desenvolvedor que programa, codifica e faz testes nas plataformas de celulares Android e/ou iOS.

Para cada área mencionada acima são exigidas diferentes linguagens de Programação e habilidades técnicas.

Além disso, esses requisitos podem mudar conforme o tipo de aplicação ou software que a empresa quer desenvolver.

Focos de atuação de um desenvolvedor de software

Quais os diferenciais para um desenvolvedor de software?

Para se destacar em um processo seletivo, o desenvolvedor de software precisa ter conhecimentos extras.

Segundo Crespigny, é interessante conhecer mais de uma linguagem de Programação e entender muito bem o ciclo do trabalho, como:

  • A etapa de desenvolvimento
  • Infraestrutura
  • Qualidade do software

É possível trabalhar em home office como desenvolvedor?

Com certeza. Inclusive, a carreira de desenvolvedor, segundo Crespigny, foi uma das primeiras que começou com uma rotina de trabalho remoto, antes mesmo da pandemia.

Por ser uma atividade individual, não é necessário estar presente fisicamente na empresa para resolver problemas ou fazer o trabalho do dia a dia.

Além disso, Crespigny conta que o tipo comportamental desses profissionais acaba facilitando que eles consigam trabalhar de casa.

São pessoas, em sua grande maioria, mais introspectivas, que gostam de trabalhar de um jeito bem mais individual e no seu próprio ritmo, com muita autonomia, afirma.

Quanto ganha um desenvolvedor de software?

O salário de um desenvolvedor de software vai variar de acordo com o nível hierárquico, região e linguagem de Programação.

Por exemplo: em São Paulo, um desenvolvedor Mobile iOS de nível pleno – com a 3 a 6 anos de experiência – ganha em média R$14 mil por mês.

Já um desenvolvedor Mobile Android, com a mesma experiência, também em São Paulo, ganha cerca de R$11 mil.

Quais são as possibilidades de crescimento para um desenvolvedor?

Crespigny afirma que, antes de mais nada, o crescimento vai depender do que o profissional almeja para o seu futuro.

“As possibilidades são infinitas e não necessariamente verticais”, indica Crespigny.

Entre as opções, o cofundador da Revelo afirma que é possível tornar-se um arquiteto de dados, engenheiro de software ou tech lead, por exemplo.

Além disso, também há chances em cargos de gestão, em níveis de coordenação, gerência e direção.

Como se capacitar para ser um desenvolvedor?

As faculdades mais comuns para desenvolvedores de softwares são de Ciências da Computação, Análise de Sistemas e áreas semelhantes.

Apesar disso, há a possibilidade de ingressar nesse mercado de trabalho sem ter feito uma graduação. Isso porque há muitas vagas que aceitam somente formação técnica.

A popularização de escolas de Programação tornou possível aprender uma linguagem de Programação em um período mais curto.

O que é preciso para começar a trabalhar com Tecnologia?

A área da Tecnologia exige muito estudo teórico e atualizações constantes. Afinal, todo dia há uma novidade, não é mesmo?

Isso quer dizer que sempre há espaço para novos aprendizados, inclusive para quem já está no mercado. Por isso, você não deve ficar parado. Aprender nunca é demais!

Para você começar a trabalhar com Tecnologia, aprenda novas linguagens de Programação e coloque a mão na massa. Você pode iniciar fazendo pequenas atividades, praticar e estudar ao longo do tempo.

Em relação ao desenvolvimento de software, Crespigny explica que não há um estilo de profissional melhor ou pior. Tudo dependerá da necessidade da empresa.

O tipo de aplicação do software, o público-alvo e a plataforma podem ser decisivos na escolha de um profissional.

Para quem está começando agora, o especialista recomenda estudar o react native, que é um framework que possibilita desenvolver para os dois sistemas operacionais mobile: iOS e Android.

Dicas para começar a trabalhar com tecnologia

Por que essa carreira permanecerá em alta?

De acordo com Crespigny, a profissão de desenvolvedor de software permanecerá em alta devido à necessidade das empresas por soluções tecnológicas e digitais.

Estamos vivendo a Revolução 4.0 – tecnologia com alcance e velocidade -, os negócios precisam de escala e esses são os profissionais responsáveis pela construção de soluções tecnológicas e digitais, afirma o cofundador da Revelo.

O conceito de Indústria 4.0 foi criado pelo engenheiro e economista alemão Klaus Schwab. Fundador do Fórum Econômico Mundial, Schwab explica que o termo 4.0 significa que a Revolução Industrial chegou à uma quarta fase.

E essa mudança vai além do desenvolvimento tecnológico, afetando também a forma de se viver, trabalhar e relacionar.

Um exemplo disso é o fato da Inteligência Artificial e a robótica estarem cada vez mais inseridas no cotidiano de todos.

Com a tecnologia assumindo papel fundamental na vida das pessoas, a demanda por profissionais da área para suprir a necessidade de manter essas novas ferramentas será cada vez maior.

Pronto para procurar pela sua próxima vaga de emprego?

Notícias e vagas de empregos por todo o país no site da Folha Dirigida


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *