fbpx

Qual o melhor jeito de estudar para concursos?

Você já se perguntou qual o melhor jeito de estudar para concursos? A resposta mais simples e curta para essa pergunta é: do seu jeito.

Você será inundado de técnicas de estudos nas redes sociais.

Elas terão os mais variados e criativos nomes, misturando termos ou expressões em inglês, como o “Método Sniper”; o bom e velho número e nome, como o “Método 4.2”; ou serão vendidas no bom e velho português tupiniquim: “Estudando por Questões”.

Longe de criticar quem ensina esses métodos, eu prefiro um discurso mais “em cima do muro”, nem lá, nem cá. Existem componentes de validade em todos eles.

Boa parte são fruto da sistematização do que funcionou pessoalmente para quem o ensina. E, na minha opinião, é aí que mora o perigo. Porque funcionou com os outros e pode (eu disse pode) funcionar com você. Assim como pode não funcionar.

qual o melhor jeito de estudar para concursos?

Você já se perguntou qual o melhor jeito de estudar para concursos? A resposta mais simples é: do seu jeito. (Foto: Unsplash)

Qual o melhor jeito de estudar para concursos?

Estou aqui para, além de alertá-lo, afirmar que não haverá um melhor jeito para estudar do que o seu. Aquele o qual funciona na sua realidade, respeitando a sua história e a sua realidade.

Poderíamos aqui discutir eficiência de diferentes métodos com números e pesquisas científicas, mas esse não é o objetivo. Quero despertar em você a curiosidade para se descobrir nos estudos.

O que funciona para você? Livro, PDF ou videoaula? Como você rende mais? Qual seu material de revisão favorito? Quais ferramentas de estudo você prefere usar?

O segredo para ter as respostas a essas perguntas é testar. Tem gente que se sente à vontade com PDFs, outros preferem videoaulas. Há os que produzem resumos, assim como há os que grifam para reler. Existe certo e errado? Não. Existe apenas o que é mais ou menos eficiente para você.

Não vamos negar a ciência por trás de recomendações como o estudo ativo, a recuperação ativa, a repetição espaçada e a alternância de estímulos, mas precisamos adaptá-las à sua realidade.

Jornada de sucesso nos estudos

Como sei que uma lista faz sucesso, aqui vão cinco elementos para guiar seus testes e essa jornada de autoconhecimento para o rendimento nos estudos:

  1. Organização
  2. Estudo
  3. Questões
  4. Revisão
  5. Simulados

Na organização, descubra se rende melhor usando um cronograma fixo ou com ciclos de estudos.

Você pode, ainda, observar seu rendimento ao estudar uma única disciplina no dia e compará-lo com o desempenho ao estudar duas ou mais matérias.

No estudo, teste seu rendimento com os diferentes estímulos possíveis: leitura, vídeo, áudio, etc. Além disso, teste o tempo ideal para sua sessão de estudos – 25, 30, 45, 50, 90 minutos?

Com as questões, seu teste pode envolver a descoberta do momento para resolvê-las – se logo após estudar a matéria ou separando um dia da semana para isso.

Na revisão você tem diversas possibilidades. Teste as duas ou três ferramentas que tem familiaridade para produzir o seu material de revisão, por exemplo.

Seria o resumo? O resumo-gráfico? O mapa mental? Sua facilidade e agilidade para produzi-los e consumi-los serão ótimos indicativos.

Por fim, explore a utilidade dos simulados para você. Sente-se confortável em fazê-los? Como se sente depois do resultado? Desestimulado ou motivado?

Entenda que não há uma regra ou forma universal que vá servir para todos. Só você pode responder com precisão a esses questionamentos.

Bons estudos!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *