fbpx

Inspetor ou investigador: estudo para os dois?

De início, muitos futuros servidores decidem primeiro para qual instituição estudar em vez do cargo. No caso do concurso da PC-RJ, a dúvida costuma ficar entre inspetor ou investigador. Afinal, para qual cargo estudar?

Diante dessa questão, surge ainda outra: é possível estudar para os dois ao mesmo tempo?

Um ponto positivo para o futuro servidor é que as funções entre as carreiras são bem semelhantes. Em virtude disso, as matérias do concurso são as mesmas. Nesse sentido, varia o número de questões para cada uma.

Por outro lado, os requisitos são diferentes, visto que para investigador é preciso apenas ensino médio completo, enquanto para inspetor é requisitado algum curso superior completo. Consequentemente, o salário de inspetor é de R$6.280,31, enquanto o de investigador é de R$5.740,38.

Se você tem ensino superior completo, tem outro fator ao seu favor: é possível fazer ambas as provas, já que elas costumam ser marcadas para datas diferentes.

Por esses motivos, conversamos com alguns professores da Folha Cursos sobre como estudar as matérias dos concursos para os dois cargos. Talvez, você pense que não dá conta, mas esteja mais próximo de conciliar os estudos para duas funções do que imagina!

Como estudar Língua Portuguesa para inspetor ou investigador da PC RJ?

Para qualquer cargo ou instituição, segundo a professora Priscila Ferrarotto, da Folha Cursos, a situação ideal é ter pelo menos definida a banca.

Afinal, se esse for o caso, já dá para buscar as questões mais recentes da organizadora para estudar, ainda que o edital não tenha sido publicado.

Se esse não for o caso, ela recomenda que o candidato comece a estudar por temas que estarão presentes independentemente da banca organizadora. Por exemplo, conjugação verbal é um tema bastante frequente.

Conforme o próprio nome diz, a conjugação ou flexão verbal envolve saber conjugar os verbos. Dessa maneira, engloba:

  • Tempo
  • Modo
  • Pessoa
  • Número
  • Voz

Também é muito importante estudar as teorias de:

  • Concordância
  • Regência
  • Crase

Esteja atento às regras de regência

Segundo a professora Priscila, qualquer banca costuma pedir questões envolvendo esses assuntos. Ainda é mais importante a regência por ser, de certa forma, um requisito para a crase.

Por exemplo, há muitos casos de crase em que a preposição “a” está ali devido a exigência de um verbo. Nesse sentido, a regência é uma parte da Gramática que estuda a relação de dependência entre palavras.

No caso da regência verbal, é a dependência existente entre um verbo e seu complemento. Por outro lado, na regência nominal, é a relação entre um nome e o seu complemento.

Na regência verbal, pode acontecer do complemento do verbo não apresentar preposição ou apresentar preposição.

Por fim, antes de estudar crase, é importante que o futuro servidor entenda as regras de regência.

Da mesma maneira o emprego de pronomes também é essencial para compreender a regência, com destaque para os oblíquos de terceira pessoa (o, a, os, as, lhe e lhes).

Os quatro primeiros podem exercer papel de objeto direto – de complemento do verbo sem preposição. Já “lhe” e “lhes” ocupam o papel de objeto indireto.

Também, um assunto muito importante é a concordância. Especialmente a verbal, mais frequente nas provas do que a nominal.

Interpretação de texto também pode ser cobrada

Certamente, outros assuntos que também podem cair são questões de entendimento de texto. Existe a possibilidade de elas pedirem a análise do significado contextual das palavras.

Da mesma forma, que o candidato verifique se pode haver substituição por outra. Por exemplo, em relação a sinônimos ou antônimos.

Se sobrar tempo, vale a pena dar atenção à pontuação. No entanto, dependendo de como a questão é formulada e da banca, a pessoa pode conseguir acertar apenas sendo uma boa leitora.

Por isso que eu falo, depende da banca. É muito difícil, neste momento em que a banca não está definida, falar para focar em a ou b, explica a professora.

Não estude apenas por questões

Nesse contexto, ela considera mais seguro começar pelos temas já mencionados. Priscila Ferrarotto também recomenda que o futuro servidor faça sua revisão teórica. Em seguida, resolva muitas questões.

Principalmente em casos em que o candidato não está estudando há muito tempo, ela não recomenda focar os estudos apenas em questões. O mesmo vale para quem tem muita dificuldade em Língua Portuguesa.

Mas como obter uma base teórica?

Segundo a professora, existem diversas formas. Por exemplo, basear-se na Gramática que tenha em casa. Por outro lado, a desvantagem é ela não ser um material voltado especificamente para concursos públicos.

Teoricamente, a Gramática traz uma quantidade de informação do que o futuro servidor precisa para fazer a prova.

Também é possível estudar por videoaulas, até mesmo no YouTube, voltadas para determinado concurso.

No entanto, fique atento: às vezes a aula disponível na rede é voltada para uma determinada seleção. Mas, para outros concursos e/ou outras bancas, o assunto é explorado de forma diferente.

De outra perspectiva, aulas teóricas para quem está começando, no geral, podem ser de grande ajuda.

Como estudar Informática para inspetor ou investigador da PC RJ?

Primeiro, como o concurso ainda não tem banca definida e os últimos concursos foram realizados há muito tempo, o professor Eduardo Benjamin, da Folha Cursos, recomenda que o candidato entenda bem como o regulamento do concurso funciona.

“A estratégia é situar o que tem sido cobrado na disciplina de Informática nos concursos similares a este”, explica.

Para isso, é preciso organizar o conteúdo de acordo com os pré-requisitos de conhecimento:

  1. Conceitos de Informática (hardware e software)
  2. Sistemas operacionais: Windows e Linux
  3. Aplicativos: MS-Office (Word, Excel e PowerPoint ou Writer, Calc e Impress)
  4. Internet e intranet e seus aplicativos
  5. Conceitos e modos de correio eletrônico, de grupos de discussão, de busca e pesquisa
  6. Redes de computadores
  7. Segurança

Em seguida, o futuro servidor deve separar o que estudar em cada um dos tópicos:

Informática (hardware e software)

  • Estudar conceitos básicos (hardware, software, firmware)
  • Elementos do computador (placa mãe, processador, memórias, componentes onboard e offboard)
  • Periféricos de armazenamento (hard-disk, discos, SSD, pen drive, fita DAT)
  • Sistemas de criptografia EFS (Encription File System) e Bitlocker
  • Periféricos de entrada (teclado Qwerty ABNT2, Scanner, OCR, Touch Screen, Mouse)
  • Periféricos de saída (impressora, monitores de vídeo, plotters)
  • Outros periféricos: Modems, Nobreak, Estabilizador, Filtro de linha

Sistemas operacionais Windows e Linux

  • Muita atenção ao Explorador de Arquivos – que é o navegador do Windows, só que para navegar na máquina do usuário, nos seus(s) discos(s) locais, discos SSD ou discos removíveis como pendrive
  • Estude os modos de visualização do Windows
  • Estude também sobre o firewall do Windows e as ferramentas de sistema: desfragmentador, mapa de caracteres, limpeza do disco, restauração de sistemas e backup
  • Cuidado com teclas de atalho, nomes de arquivos, seu tamanho máximo e os caracteres que não podem ser utilizados para nomear arquivos dentro do Windows
  • Estude os conceitos básicos do Linux, suas distros (versões)

Aplicativos: MS-Office (Word, Excel e PowerPoint ou Writer, Calc e Impress)

  • Estude as funcionalidades presentes nos menus dos aplicativos
  • Atenção a detalhes como: formatação de textos, teclas de atalhos, revisão de textos nos aplicativos de edição de texto
  • Conceitos básicos: linhas, colunas, intervalos, fórmulas e funções; mensagens de erros, os operadores de uma planilha eletrônica
  • Animação e transição de slides

Internet e intranet e seus aplicativos

  • Fundamentos básicos de Internet, como a sua concepção de rede anárquica, domínios, servidores de nome de domínios (DNS), o número de IP versão 4 e versão 6, conceito de URL
  • Estude sobre os modos de acesso: discado ou banda larga
  • Meios de conexão através da banda larga: rede de telefonia com modem ADSL, redes a cabos com o modem CABLE, redes 3G e 4G (LTE) e redes 5G; Bluetooth
  • Não deixe de estudar sobre Intranet e Extranet
  • Navegador ou browsers para a prova (Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome)
  • Protocolos de redes (IP, TCP e UDP, HTTP, HTTPS/SSL, HTML, TLS, DHCP, NAT, ICMP, SNMP, TELNET, entre outros)
  • Estude bem a diferença entre o TCP (garante a entrega dos pacotes) e o UDP (não garante a entrega dos pacotes)
  • Atenção as tecnologias recentes da Internet: RSS, AddOns, QRC, Plug-ins, Encurtadores de URL, VoIP e sites de relacionamento;
  • Estude sobre ferramentas WIKI

Conceitos e modos de correio eletrônico, de grupos de discussão, de busca e pesquisa

  • Gerenciadores de correio eletrônico, como o Outlook e o Thunderbird
  • Como configurá-los em sua máquina através dos protocolos HTTP, POP/POP3 e IMAP para recebimento de e-mails
  • Protocolo SMTP para o envio de e-mails
  • Envio de e-mail com cópia, cópia oculta, prioridade, criptografado e assinado digitalmente
  • Fóruns de discussão e motores de busca como Google, Bing, Yahoo

Redes de computadores

  • Os tipos de rede sob o critério geográfico: PAN, LAN, MAN e WAN
  • Os tipos de rede sob o critério de novas tecnologias: VLAN, SAN, VPN
  • Redes sem fio: 802.11 (WIFI), 802.15 (BLUETOOTH), 802.16 (WIMAX), LTE
  • Redes Peer to Peer, Client/Server
  • As sete camadas ISO/OSI: Física, Enlace, Rede, Transporte, Sessão, Apresentação e Aplicação
  • Endereço MAC, Portas de Comunicação

Segurança

  • Os princípios básicos de segurança de sistemas: Confidencialidade, Integridade e Disponibilidade
  • O que é um hacker e quais os seus tipos: Black hats, White hats, Script Kiddies, Crackers
  • Computador zumbi e sobre spams e spammers;
  • Malwares: Virus, Worms, Trojans, Rootkits, backdoors, Bot, Keylogger, Screenlogger, Ransoware
  • Ataques: Engenharia Social, Phishing, DDoS, Pharming ou Cache Poisoning, Clonagem de URLs, Spoofing, Sniffing
  • Estude sobre senhas, firewall, Honeypot, IDS, Bastion Host e redes DMZ
  • Estude sobre certificação digital e seus dois componentes principais: o Certificado Digital e a Assinatura Digital
  • Feche os estudos com criptografia e seus dois métodos: Simétrica e Assimétrica

Como se manter focado nos estudos de Informática?

Diante de todos esses conteúdos, o professor indica que os estudos de conceitos de Informática (hardware e software) sejam baseados em textos e teorias. Portanto, ele recomenda fazer:

  • Esquemas
  • Quadros sinóticos
  • Trabalhar com conceitos cognitivos.

Já para os sistemas operacionais (Windows e Linux), os aplicativos MS-Office (Word, Excel e PowerPoint) e a parte de Internet e Correio Eletrônico, o estudo teórico é essencial.

Em seguida, a prática. Segundo o professor, Informática se aprende praticando. Por fim, no que diz respeito a Redes de Computadores e Segurança, também é importante estudar a teoria.

Além disso, acompanhar os noticiários e ações que as empresas têm no dia a dia para proteger os seus sistemas de informação.

Em resumo, a disciplina de Informática preza muito pelo aspecto técnico. Nesse sentido, ao ser escolhida uma banca, é crucial fazer uma imersão pelas questões cobradas em suas últimas provas.

Da mesma forma, praticar com simulados e acompanhar os comentários das questões do seu professor. Conforme você se familiariza com a banca, percebe como o conteúdo é cobrado.

Logo, a dica do professor Eduardo Benjamin, seja para inspetor ou investigador, é aprender pela prática. Ou seja, aprender um processo e, em seguida, praticá-lo até o fazer com habilidade

Como estudar Noções de Direito Constitucional para inspetor ou investigador da PC RJ?

Segundo o professor da Folha Cursos, Sérgio Alfieri, o primeiro passo do candidato deve ser sempre ler o texto da Constituição. Em seguida, ir até o edital, onde estão todas as informações sobre o concurso que prestará.

O edital seria o mapa, as instruções do jogo, por assim dizer, afirma.

Depois de lido o edital, o candidato deve retornar ao texto da Constituição e destacar os temas pedidos.

Para os seus alunos, ele sempre destaca que o tema Direitos e Garantias Fundamentais, correspondente ao Título II do texto constitucional, é sempre uma boa pedida para os concursos.

No seu ponto de vista, é praticamente impossível um concurso público que tenha Direito Constitucional não haver até três questões sobre essa temática. Até porque esse é um tema de grande abrangência dentro da disciplina.

Dessa forma, ele considera a leitura do Artigo 5 extremamente importante. Da mesma maneira, os Artigos 6 e 12.

Para a reta final do concurso, a recomendação é fazer muitas questões de provas passadas e da banca organizadora.

A ideia é verificar como as matérias são exploradas pela banca e os assuntos de maior recorrência, além da maneira como a banca pergunta.

Folha Cursos

Como estudar Noções de Direito Administrativo para inspetor ou investigador da PCRJ?

O professor Igor Daltro, da Folha Cursos destaca que:

Se houver (e é um grande se) distinção acerca do grau de dificuldade e perfil de prova de inspetor em comparação com a de investigador, ficará por conta de que ela poderá trazer questões mais elaboradas e com exigência de conhecimento um pouco mais profundo.

Portanto, podem ser abordados os entendimentos dos Tribunais. Ou seja, as jurisprudências.

Nesse contexto, ele aconselha que o candidato faça:

  • Revisões
  • Leituras da lei
  • Resolução de questões
  • Aprofunde os estudos acerca dos temas mais cobrados e dos entendimentos jurisprudenciais recentes

Como o cargo de investigador é para nível médio, costuma ser cobrada mais a literalidade da lei, explica o professor Igor Daltro.

Nesse sentido, além da revisão de teoria e da resolução de questões, também deve fazer parte do ciclo de estudos a leitura da lei “fria”.

Diferentemente das áreas de Tribunais, Fiscal ou de Controle, por exemplo, na área da Segurança Pública alguns temas não merecem tanto destaque, como as licitações públicas.

Por outro lado, tanto para investigador quanto para inspetor, outro assuntos assumem maior protagonismo. Por exemplo:

  • Atos administrativos
  • Organização administrativa
  • Poderes da Administração
  • Responsabilidade civil do Estado.

Como estudar Noções de Direito Penal para inspetor ou investigador da PC RJ?

Segundo o professor Paulo Sumariva, da Folha Cursos, na prova de Inspetor da Polícia Civil do RJ, o candidato precisa conhecer bem a Teoria Geral do Crime.

Por consequência, conhecer o conceito analítico de crime e os elementos do Fato Típico. Além disso, também é importante analisar as causas excludentes de ilicitude, como:

  • Legítima defesa
  • Estado de necessidade
  • Estrito cumprimento do dever legal
  • Exercício regular do direito

Também deve acrescentar aos estudos a culpabilidade e seus elementos. São eles:

  • Imputabilidade
  • Potencial Consciência da Ilicitude
  • Exigibilidade de Conduta Diversa.

Por outro lado, o concurso de Investigador, como é de nível médio, Paulo Sumariva aconselha que o candidato conheça o conceito de crime, estudando o Dolo e a Culpa.

Assim como para inspetor, o futuro servidor também precisa conhecer os conceitos das causas excludentes de ilicitude (legítima defesa, estado de necessidade, estrito cumprimento do dever legal e exercício regular do direito).

Como estudar Noções de Direito Processual Penal para inspetor ou investigador da PC RJ?

De antemão, o candidato precisa estudar o Inquérito Policial, afirma o professor Paulo Sumariva. Afinal, é a principal ferramenta de trabalho da Polícia Civil.

Também é importante estudar para o cargo:

  • Provas
  • Prisão Cautelar
  • Prisão em Flagrante

Por outro lado, para investigador, o professor Paulo Sumariva explica:

O investigador é o auxiliar do delegado de polícia na atividade investigativa. Ele busca a informação, na rua ou no mundo virtual, materializando dentro do inquérito policial.

Por isso, o inquérito será a ferramenta utilizada pelo Ministério Público para iniciar uma ação penal contra o criminoso.

Dessa forma, o candidato deve conhecer as formas de instauração do inquérito policial e as diligências realizadas na investigação, nos termos do artigo 6 do Código de Processo Penal.

Além disso, o futuro servidor também deve saber os tipos de prisão em flagrante, nos termos dos artigos 302 e 303 do Código de Processo Penal.

Você está estudando para inspetor ou investigador, futuro servidor? Continue acompanhando o Blog da Folha Dirigida para mais dicas para o concurso da PCRJ!

operação pc-rj

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. ANTONIO CARLOS BORGES JUNIOR disse:

    BOA TARDE ! GOSTARIA DE ADQUIRIR O CURSO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *