fbpx

Como estudar Informática para concursos públicos?

Ver Informática no conteúdo programático em um dos concursos que você quer prestar pode ser assustador algumas vezes.

Afinal, pode ser que essa não seja sua área de formação e seus conhecimentos são os mais básicos possíveis.

Fora que, mesmo quando é explicado que será cobrado apenas um conteúdo básico, surge aquela dúvida do que é considerado básico pela banca.

O professor de Informática, Jeferson Bogo, do Gran Cursos Online, tirou essa e mais algumas dúvidas sobre o que você precisa saber e estudar para uma prova que cobra os conhecimentos de Informática.

Ver informática no conteúdo programático em um dos concursos que você quer prestar pode ser assustador algumas vezes

O professor Jeferson Bogo, do Gran Cursos Online, costuma sugerir aos seus alunos que tenham noção de hardware e software (Foto: Freepik)

O que estudar em Informática para concursos?

O candidato precisa estar sempre atento ao edital. No entanto, Jeferson Bogo costuma sugerir aos seus alunos que eles tenham uma noção de hardware e software, ainda que não apareça no conteúdo programático.

O princípio básico da Informática é conhecer os componentes, como eles funcionam e interagem, porque isso influencia em todo o estudo da matéria.

Também é muito importante conhecer a banca e como ela trabalha cada um dos assuntos. Por isso, é fundamental resolver questões, preferencialmente da banca, e estudar a teoria.

Quais são os conhecimentos básicos de Informática?

A maior parte das bancas costuma cobrar os sistemas operacionais Windows 7 e 10 e Linux, além do Pacote Office nas versões 2010, 2013, 2016 3 2019 e o Libre Office.

Também são cobrados conhecimentos de Internet, que envolve rede de computadores e demais assuntos relacionados, e Segurança da Informação.

Nos editais, dentro desses assuntos aparecem ainda navegadores, serviços de e-mail, entre outros, de acordo com o professor.

O que cai em Informática para concursos de nível médio? E superior?

Segundo Bogo, os assuntos são basicamente os mesmos. Alguns concursos para nível superior têm focado na parte de TI, algo que não acontece para nível médio.

O que também pode variar é a dificuldade das questões.

Normalmente, para nível superior será exigida uma interpretação um pouco mais aprofundada, um conhecimento a mais do mesmo assunto, explica o professor Jeferson Bogo.

Em quais concursos cai Informática?

A Informática já vem sendo cobrada há um bom tempo na maioria dos concursos. No entanto, o professor aponta que, atualmente, ela tem sido cobrada em quase todos e com uma profundidade cada vez maior, envolvendo a parte de TI.

Alguns exemplos do que as bancas estão começando a cobrar são linguagens de Programação e Bancos de Dados mais aprofundados, também ligados à TI.

Esses conteúdos já chegaram a ser cobrados na Polícia Federal e estão presentes na prova da Polícia Civil do Distrito Federal para o cargo de agente.

Ele também aparece, ainda que de forma diferente, para a carreira de escrivão da PCDF.

Quais são as bancas mais difíceis?

Na visão de Bogo, a banca mais difícil é o Cebraspe. Além do conhecimento aprofundado, ela exige muita interpretação por parte do futuro servidor.

É preciso se preparar com muita competência e saber como a banca gosta de cobrar as questões.

Às vezes, o aluno sabe aquele conteúdo, porém, na hora de fazer a prova, ele não consegue interpretar aquilo que a banca desejava, o conhecimento que ela almejava obter ali naquele momento, explica.

Criam-se “preguinhas” a partir de vocabulários que o aluno não tem, e não tem o conhecimento necessário para interpretar.

Como estudar Informática para concursos?

De modo geral, a Informática, como qualquer outra matéria, tem muitos termos técnicos próprios, em sua maioria da língua inglesa.

Não é que o aluno precise saber Inglês para saber Informática, mas é necessário para que você compreenda o assunto para que entenda aquele vocabulário.

Jeferson Bogo sugere que os alunos anotem os termos no idioma original e procurem pela tradução. Dessa forma, o aluno cria o seu vocabulário e consegue entender o que os termos significam nas palavras dele.

“Em determinados momentos, as bancas cobram o termo em inglês, então você tem que estar preparado para ver aquele termo e saber o que ele significa, no que ele está envolvido”, alerta.

O futuro servidor também pode assistir videoaulas ou aulas presenciais, estudar por meio de livros e arquivos em PDF.

O professor também alerta que o aluno só vai saber qual forma funciona melhor para ele tentando, fazendo exercícios e testando de que maneiras ele conseguiu fixar melhor o conteúdo.

É possível estudar sozinho para Informática?

Sim, é possível, apesar de ser mais trabalhoso e exigir mais dedicação. No entanto, quando você está estudando uma disciplina que já não é da sua área, pode ser necessária uma orientação.

Sozinho, o aluno corre o risco de acabar se aprofundando muito em um assunto que não costuma nem ser cobrado, por exemplo.

Além disso, dentro das bancas costuma existir uma espécie de jurisprudência. Isso significa que um determinado assunto pode cair, de formas diferentes dependendo da banca que está aplicando aquela prova.

Existe algum método e técnica de estudos mais recomendados?

Depois de anos lecionando, Jeferson Bogo percebeu que não existe um método certo, mas sim o que funciona para cada um.

Alguns se dão bem utilizando o computador para estudar. Outros, criam uma dependência da máquina e não conseguem resolver as questões sem o seu auxílio, o que é extremamente prejudicial, já que a prova inteira é feita no papel.

Há também os que não têm familiaridade nenhuma com a máquina e se sentem assustados, o que também prejudica.

O professor explica que não é preciso saber mexer no computador ou testar os comandos para memorizá-los, apesar de ajudar algumas pessoas.

Eu sempre falo para o aluno: ‘na teoria, você pode ser um excelente conhecedor de carros sem nunca ter dirigido um. Pode saber mais do que uma pessoa que dirige todos os dias’, exemplifica Bogo.

Usar ou não o computador para os estudos, portanto, dependerá do futuro servidor ir testando se funciona ou não para ele.

É uma questão de praticar, com diversos métodos já citados, como assistir aulas e ler livros e arquivos em PDF.

Como fazer o planejamento de estudos para Informática?

Para se planejar, a leitura detalhada do edital é essencial. A sugestão do professor costuma dar para seus alunos é de uma sequência que ele considera melhor para estudar:

  1. Introdução a hardware e software
  2. Sistemas operacionais
  3. Internet (rede de computadores)
  4. Segurança da Informação
  5. Pacotes de escritório (Office e LibreOffice)

Jefferson Bogo ainda recomenda, no caso do pacote Office, seguir a ordem:

  1. Word
  2. Excel
  3. PowerPoint

Para o caso do LibreOffice, ele acredita que seja melhor começar pelo Writer, seguido pelo Calc e pelo Impress, respectivamente.

Lembrando que é sempre muito importante checar se esses conteúdos estão sendo cobrados no edital!

Estudar informática

Dicas de materiais de estudo de Informática para concursos:

Segundo o professor de Informática, existem bons livros, mas o uso deles pode calhar de cair em um estudo muito genérico, já que não são pensados de acordo com a banca para qual o estudante está se preparando.

Jeferson Bogo sugere buscar cursos ou PDFs específicos para a prova que o candidato está se preparando, onde os professores trabalharam questões exigidas pela banca, e sempre focados na área dele.

A cobrança da área Fiscal para a área Policial, por exemplo, pode ser diferente.

Pode até parecer assustador a princípio, mas a Informática é uma matéria como qualquer outra e seu entendimento não é nada que um bom planejamento de estudos não resolva.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *