fbpx

Quantas horas por dia de estudo é preciso para passar em concurso?

Compartilhe o conteúdo

Uma dúvida muito comum para quem está se preparando para concursos públicos é saber definir quantas horas por dia de estudo precisa ter para passar.

Alguns acreditam que estudar por muito tempo significa qualidade, porém, nem sempre a quantidade resultará em um aprendizado efetivo. Qualidade é sempre melhor que quantidade.

Para ajudar você a definir quantas horas por dia de estudo são necessárias para seu planejamento, consultamos o doutor Pablo Vinicius, psiquiatra e especialista em Medicina do Sono, e o fundador da Eduqc, Victor Maia.

Quantas horas por dia de estudo para passar em concurso é ideal para você?

Quantas horas por dia de estudo para passar em concurso é ideal para você? (Foto: Unsplash)

O que você encontrará neste post:

Como me organizar para estudar para concursos públicos?

A organização do estudo para concurso público parte de uma análise do edital que o interessado(a) deseja realizar. Para isso, é preciso conferir as etapas, disciplinas e o histórico do concurso.

Caso o edital não tenha saído, é válido usar os anteriores como base para saber o que estudar. Tendo em mãos as matérias que pretendemos estudar, é hora de montar um ciclo de estudo.

Quantas disciplinas estudar por dia?

As disciplinas que devem ser estudadas por dia devem seguir a ideia dos ciclos de disciplinas. Esses ciclos são elaborados a partir da reunião destas a partir de suas similaridades nos conteúdos.

A sugestão é que essa parte do planejamento de estudos seja organizada de três em três matérias. Ou seja, cada ciclo será composto por três blocos de disciplinas.

O ideal é organizar este ciclo com o objetivo de estudar de duas a três disciplinas do mesmo bloco por dia. Após concluir todo o conteúdo de cada bloco, o passo seguinte é partir para um novo ciclo.

Como dividir o tempo de estudo para cada disciplina de um concurso?

O recomendado, como dito anteriormente, é estudar por blocos. Ao menos dois blocos por dia de segunda a sexta.

Para quem tem a possibilidade de estudar 10 blocos por semana, o final de semana será destinado a realização de questões e revisões.

Já para quem não tiver essa possibilidade, o ideal será compensar o estudo nos finais de semana.

Precisa de ajuda para montar o seu planejamento de estudos? Você pode contar com o Smart Planner

Smart Planner da Folha Dirigida

O que é hora líquida?

As vezes não possuímos em nossa agenda a disponibilidade de estudar por quatro horas seguidas. Nesse caso, o conceito de hora líquida entra para ajudar. Mas como assim?

Para entender melhor, vamos apresentar a seguinte situação:

Pela manhã, o estudante possui 30 minutos livre para estudar antes de ir para o trabalho. Em seguida, consegue separar mais 30 minutos de sua uma hora de almoço.

Após isso, no final do dia, já em casa, consegue disponibilizar mais uma hora para estudar. Horas líquidas, portanto, são o somatório do estudo ao longo do dia.

Para você entender melhor, separamos aqui a diferença entre horas líquidas e horas brutas.

  • Horas brutas: o tempo do relógio, que passa normalmente, contado de forma integral. Se você estuda das 8h às 10h, por exemplo, seu tempo de estudo bruto é de duas horas.
  • Horas líquidas: o somatório do estudo ao longo do dia, sem interrupções e pausas. Se durante duas horas de estudo você parou por 15 minutos, seu tempo líquido é de 1h45min.

Quantas horas de estudo por dia o cérebro aguenta?

Muitos estudantes acham que seguir horas estudando é benéfico para o corpo. Entretanto, o cérebro precisa de intervalos de estudo.

O Dr. Pablo Vinicius, psiquiatra e especialista em Medicina do Sono, enfatiza: não existe uma resposta única para todas as pessoas, de acordo com a ciência, pois cada corpo é um corpo. Depende de como funciona o organismo de cada um.

Todo aprendizado que temos quando estamos estudando é determinado pelas reações elétricas e químicas que estão acontecendo no cérebro, explica o médico.

Estudar gasta energia e consome os neurotransmissores.

Ele exemplifica o início do estudo com um copo cheio: conforme você vai estudando, esse copo esvazia aos poucos. Se você estuda com o copo vazio, não vai conseguir aprender. Estará apenas fazendo esforço por um aprendizado ineficiente por causa da exaustão cerebral causada pela falta dessas pausas.

Por isso os intervalos são importantes: são neles que o seu copo voltará a encher. O médico recomenda blocos de estudos de 40 a 50 minutos em média.

Horas brutas x horas líquidas

Quantas horas por dia de estudo é preciso para passar em concurso?

Também não existe um tempo único que se aplique a todos. Mas há como saber quando você chegou ao seu limite. É quando você não consegue mais:

Nesse momento, o seu cérebro entrou em fadiga e não consegue mais absorver conteúdos no dia. Para alguns, esse momento chega depois de três horas de estudo. Para outros, de dez.

É muito importante você perceber isso e respeitar os seus próprios limites!

“Aprendizagem não é quantidade de estudo. Aprendizagem é eficiência no estudo. É você reter o que estudou”, enfatiza o doutor. “A palavrinha mágica da aprovação chama-se eficiência”, completa.

O fundador da Eduqc, Victor Maia, enfatiza que esse tipo de foco no resultado pode causar ansiedade. Mais importante que isso é reservar um horário de estudo condizente com a própria realidade e tentar transformar o máximo de disponibilidade em tempo efetivo.

“Não faz sentido estudar mais que 36 horas por semana, porque não rende. Mas, novamente, essa não é a melhor abordagem”, alerta.

Qual a melhor hora do dia para estudar?

Para responder essa pergunta, utilizamos o conceito de cronotipia. Quem explica é o Dr. Pablo:

A cronotipia é o estudo do ciclo sono-vigília. Esse é o ciclo que controla nosso estado de alerta durante o dia e nosso sono à noite, afirma o médico em seu livro A Fórmula: Desenvolvendo Cérebros Extraordinários.

De acordo com o médico, esse ciclo tem a duração de 24 horas. Entretanto, nosso corpo não funciona da mesma maneira o dia todo.

Cada pessoa possui um ritmo biológico diferente, características determinadas geneticamente. Portanto, cada individuo tem um horário do dia que renderá mais, o que é importante para não ter sono na hora de estudar.

A cronotipia divide os ritmos biológicos em três diferentes ciclos: matutinos, vespertinos e intermediários.

Alguns estudantes podem ser matutinos, ou seja, rendem mais na parte da manhã. Outros podem ter melhores desempenhos na parte da tarde e são conhecidos como intermediários.

Já os alunos que se sentem melhor estudando durante a parte da noite são os vespertinos. Dessa forma, a dica é testar qual parte do dia você se sente melhor estudando e utilizar esse artifício ao seu favor.

Assinatura Folha Dirigida

*colaborou Audryn Karolyne


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Folha Dirigida disse:

    Olá, André! Que bom que gostou do conteúdo. Caso tenha alguma sugestão do seu interesse, pode entrar em contato conosco também! Abraços, Blog Folha Dirigida.

  2. Andre disse:

    Muito bom o conteúdo, vi que posso melhorar muito meu desempenho nos estudos. Vou compartilhar o conteúdo com meus amigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *