fbpx

Qual fase da OAB é mais difícil?

Compartilhe o conteúdo

O exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) é composto por duas fases diferentes, mas será que tem uma que é mais difícil?

Na primeira fase, os candidatos têm cinco horas para resolver 80 questões de múltipla escolha. Ao todo, são 17 matérias diferentes.

Para ser aprovado, é necessário acertar metade da prova, ou seja, 40 questões. Os aprovados, então, vão para a segunda fase – em que é possível escolher a área.

A avaliação tem valor total de 10 pontos, sendo cinco pontos na redação da peça processual e 1,25 para cada questão discursiva.

O tempo, assim como na primeira fase, é de cinco horas. Para aprovação, é necessário conseguir, no mínimo, seis pontos.

Cada fase tem as suas peculiaridades, isso é verdade, mas para ter uma ideia de qual é a mais difícil, a Folha Dirigida fez um enquete com os seus leitores.

O resultado foi quase um empate: 51% apontaram que a segunda fase é mais difícil, por outro lado, os 49% restantes escolheram a primeira como a mais complexa.

Qual fase da OAB é mais difícil?

E agora? Como identificar?

Existe uma fase mais difícil da OAB?

O professor de Direito, Fabrizio Rubinstein, afirma que as duas fases são difíceis. Isso, inclusive, explica por si só a diferença mínima no resultado da enquete.

Por isso, o que pode (e deve) ser analisado é o tipo de dificuldade que cada uma apresenta, além das suas singularidades.

Qual a dificuldade da primeira fase da OAB?

O advogado pontua que a maior dificuldade para a primeira fase do exame da OAB é a grande quantidade de disciplinas para estudar e como o candidato irá conciliá-las.

A falta de planejamento para essa fase pode ocasionar a reprovação no exame. Por isso, a organização e planejamento nos estudos é fundamental.

Segundo o professor, quando você não se planeja de forma adequada, acaba querendo estudar todas as 17 matérias de uma vez só.

Porém, essa não é a melhor prática. Estudar muitas disciplinas ao mesmo tempo tornará a sua evolução no aprendizado lenta.

Como planejar seus estudos para a primeira fase da OAB?

Antes de montar uma estratégia de estudos, é preciso entender que há disciplinas mais cobradas do que outras.

Portanto, você precisa identificar quais são as que têm mais questões. Para essas, será necessário um tempo maior de dedicação.

Por exemplo, Ética é a matéria com o maior número de questões. Ao todo, são oito. Logo, você precisará estudar com um pouco mais de atenção esta.

Confira o número de questões de cada disciplina:

  • Ética – 8 questões
  • Direito Civil – 7 questões
  • Direito Constitucional – 7 questões
  • Processo Civil – 7 questões
  • Direito Administrativo – 6 questões
  • Direito do Trabalho – 6 questões
  • Direito Penal – 6 questões
  • Processo Penal – 6 questões
  • Direito Empresarial – 5 questões
  • Direito Tributário – 5 questões
  • Processo do Trabalho – 5 questões
  • Direito Ambiental – 2 questões
  • Direito do Consumidor – 2 questões
  • Direito Internacional – 2 questões
  • Direitos Humanos – 2 questões
  • Estatuto da Criança e do Adolescente – 2 questões
  • Filosofia do Direito – 2 questões

Além de Ética, que é a disciplina com mais questões, você pode organizar as demais matérias em grupos.

Uma dica é utilizar o ciclo de estudos como método de aprendizagem. Você dividirá esses grupos de matérias por proximidade.

→ Você pode fazer a seguinte divisão:

  • Direito Penal e Processo Penal;
  • Direito Civil e Processo Civil;
  • Direito do Trabalho e Processo do Trabalho;
  • Direito Administrativo e Direito Constitucional.

Junto com a disciplina de Ética, esses quatro grupos já englobam 58 questões da prova – o equivalente a 72,5%.

Fabrizio Rubinstein complementa dizendo que o segredo para enfrentar a dificuldade dessa fase é encontrar o equilíbrio nos estudos.

Questões primeira fase OAB

Qual a dificuldade da segunda fase da OAB?

Na segunda fase, independentemente da escolha da disciplina, o professor afirma que a grande dificuldade está em fazer petição.

Ele conta que muitos candidatos chegam nessa etapa sem saber peticionar, seja por inexperiência ou até mesmo por falta de prática.

É comum que alguns graduandos – que não trabalharam em escritório – não tenham tido oportunidade de elaborar uma peça processual.

Mas até mesmo para quem já fez uma petição, um ponto de atenção é que, normalmente, esse documento é feito em computador, mas na prova deverá ser redigido à mão.

Esse candidato, por mais que saiba fazer uma petição, pode acabar rasurando, errando ou até esquecendo a estrutura do documento.

Como se preparar para a segunda fase da OAB?

O professor pontua três dicas que ajudarão você a chegar mais preparado na segunda fase do exame:

#1. Treine para fazer petição

Para evitar ser surpreendido na hora da prova e não saber como peticionar, é importante que você treine para fazer o documento em casa.

Outra dica é treinar escrevendo à mão, da forma que será feito na hora do exame.

#2. Dê atenção ao seu material de consulta

Apesar da consulta ser uma espécie de ajuda, na hora da prova pode tornar-se uma dificuldade.

Isso porque muitos estudantes não sabem consultar, não tem livros adequados (muitos desatualizados) ou levam muitos livros.

Como a prova tem tempo, o candidato pode se enrolar na hora de consultar. Por isso, é importante dar atenção ao seu material de consulta.

Além disso, você pode treinar para fazer consulta em simulados com o mesmo tempo da prova.

#3. Organize a divisão do seu tempo para o dia da prova

O tempo é um fator importante e precisa ser levado em consideração. Você não terá o dia inteiro para fazer a prova, por isso, é preciso saber se organizar.

Uma dica é dividir as cinco horas de prova entre a peça processual e as questões discursivas. Veja quanto tempo você precisa para cada questão.

O professor chama atenção para que você não faça rascunhos na hora da prova, ou não dará tempo de passar a limpo.

Não dá tempo de fazer rascunho, nem para a peça, nem para as questões. Então, faz pelo menos um rascunho esquematizado. Você precisa saber estruturar quantas horas serão dedicadas para a peça e quantas serão para a resolução de questões, explica.

Por fim, Fabrizio Rubinstein explica que a primeira fase atua como uma peneira e é na segunda fase que acontece o verdadeiro exame. Por isso, é preciso dar atenção a ambas.

Vai fazer o Exame da Ordem? Comece a preparação AGORA!

Dicas para a segunda fase da OAB


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *