fbpx

Qual a melhor forma de estudar para concurso sozinho?

Durante os seus estudos, você já deve ter se perguntado: afinal, qual a melhor forma de estudar para concurso sozinho?

Quando criança, em algum momento da sua vida escolar, você já deve ter pensado: “como eu posso fazer para ter mais tempo para poder brincar?”

Estou errado? Acho que não.

Sua vida era dividida entre escola, dever de casa, provas e diversão. E a tal da diversão sempre pareceu mais atraente! E a verdade é que ela é mesmo!

Jogar bola, brincar de boneca, assistir à TV, brincar de esconde-esconde ou taco (“bets”) com os amigos é uma atividade muito melhor do que sentar para estudar – seja para fazer o dever de casa ou preparar-se para uma prova.

Acontece que nós nunca fomos ensinados a estudar de verdade. O dever de casa, as provas bimestrais e o tempo em sala de aula eram apenas variáveis da equação dos estudos.

Mas isso jamais foi unido de uma forma que fizesse sentido, em termos de aprendizagem. Eram apenas obrigações chatas a “tirar” o seu tempo de brincar.

Estudar para concurso sozinho demanda extrema organização (Foto: Freepik)

Estudar para concurso sozinho demanda extrema organização (Foto: Freepik)

Qual a melhor forma de estudar para concurso sozinho?

Agora, adulto, você resgatou toda sua lembrança dessas variáveis isoladas para se preparar para concursos públicos e pensou: “Oxi, como eu vou fazer isso?”.

Calma! Eu te ajudo!

Vou apresentar a você algumas ações práticas para que possa estudar de maneira eficiente. Eu não ficarei em cima do muro, mas adianto que nada irá superar o que você descobrir ser mais eficiente no seu caso.

Partindo do pressuposto que você tem um material para poder estudar – videoaulas, PDFs, apostilas ou livros –, vamos separar 60 minutos do seu dia e dividi-los em cinco partes:

1# Estudo (30 minutos)

É o momento do seu contato com o conteúdo. É a aula propriamente dita. Pode ser em vídeo ou então em algum material escrito. Durante esse tempo você deve produzir o seu próprio material de revisão (anotações sistemáticas e curtas).

2# Questões (10 minutos)

Em seguida, você deve fazer questões sobre o tema estudado. Pode ser que você faça 15 questões, mas também é possível que você resolva apenas uma. A preocupação não é a quantidade delas, mas a forma de cobrança daquele conteúdo teórico em formato de questões.

3# Revisão (5 minutos)

É o breve momento em que você retoma o seu material de revisão e, relendo, melhora as anotações feitas. Lembre-se: a leitura do seu material de revisão deve fazer sentido para você, então haverá algumas palavras a mudar ou acrescentar aqui e acolá.

4# Registro (5 minutos)

Este talvez seja um dos mais essenciais momentos, em termos de eficiência nos estudos. É o momento em que você irá anotar:

  1. A quantidade de questões feitas
  2. O número de acertos
  3. Dificuldades ou comentários sobre o conteúdo
  4. Onde você parou na leitura ou vídeo
  5. O que fazer na próxima sessão de estudos daquela disciplina.

5# Preparo e descanso (10 minutos)

Enquanto descansa, carrega pedras! Você tira seus olhos do conteúdo e começa a separar física e digitalmente o material para a próxima sessão de estudos que irá fazer.

Trata-se de se adiantar para poder começar a próxima sessão. No restante do período, levante, estique o esqueleto, trate de suas necessidades fisiológicas e volte.

Esses 60 minutos compõem uma única sessão de estudos, aquele momento que você senta para estudar uma disciplina.

Fique à vontade para repetir esse processo quantas vezes forem necessárias em sua preparação! Minha recomendação é a de que você faça até seis sessões por dia com disciplinas alternadas.

Bons estudos!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *