fbpx

Como estudar por livros para concursos

Compartilhe o conteúdo

Estudar por livros é a primeira alternativa que pensamos quando iniciamos nossa maratona de estudos. Seja na escola, faculdade, curso ou na preparação para aquele concurso dos sonhos.

São nos livros que encontramos a base dos conteúdos para adquirir o conhecimento que precisamos. Entretanto, determinadas vezes esbarramos em um material extremamente denso.

Muitas páginas para ler e assimilar é um grande desafio na hora dos estudos. No caso dos concursos públicos, estudar por livros se torna um desafio ainda maior.

Isso porque para cada disciplina estudada, há uma variedade imensa de conteúdos. Principalmente quando não é um concurso de área específica. A alternativa, portanto, passa a ser um estudo com um material mais resumido.

“Quando não é um concurso de área específica, faz mais sentido estudar a lei seca e resumos. Caso contrário, a pessoa teria que comprar vários livros”, afirma O Especialista da Folha Dirigida, Alexandre Prado.

É preciso, portanto, recorrer à algumas técnicas para ajudar a absorver o máximo de conteúdo possível.

Alexandre Prado selecionou três técnicas que você pode utilizar e são indispensáveis para o seu estudo por livros. Confira abaixo!

Técnica de Resumos

estudar por livros

O método do resumo já é utilizado por muitos concurseiros. Geralmente, é a primeira técnica de estudo que aprendemos na escola para dar conta de todos os livros e textos.

Os resumos devem condensar o texto analisado, com as ideias principais. O ideal, segundo Alexandre Prado, é que não ultrapassem 10% do conteúdo geral do texto.

O objetivo é que resulte em um material de leitura rápida, que sirva para reforçar as informações da leitura inicial.

Em alguns casos, caso você ache necessário, é indicado também fazer transcrições e trechos do próprio autor do livro.

Isso sempre lembrando de colocar entre aspas e com a numeração da página entre parênteses para facilitar a busca no material bruto, quando for necessário.

📝 Guia: 51 dicas para concursos públicos

Técnica de Sublinhar

sublinhar

Essa técnica constitui em sublinhar as informações mais importantes de um texto. Entretanto, Alexandre Prado recomenda que os concurseiros não comecem a sublinhar logo na primeira leitura. Exceto quando você conhecer muito bem o assunto do texto e o seu objetivo.

Segundo o professor, é necessário que o estudante faça uma primeira leitura do texto ou capítulo, no caso de um livro, entenda a base do assunto e, dessa forma saiba definir quais são os pontos mais importantes a serem grifados.

Identificando essa ideia geral, a dica é marcar o ponto principal de cada capítulo e parágrafo, sempre lembrando de buscar aquele conceito, significado e classificação chaves para a sua preparação.

Ao sublinhar o texto, você criará uma forma fácil de compreendê-lo.

Técnica de Esquematização

Outra técnica indicada pelo Especialista Alexandre Prado é a da metodologia da esquematização. Esse método baseia-se na reunião dos conteúdos que você leu e a organização deste em esquemas (processos) que facilitem a memorização.

Esses esquemas são representações sintéticas dos textos e podem ser gráficos, códigos ou palavras. O objetivo é que sejam organizados seguindo uma sequência lógica, apresentando as ideias principais e subordinadas.

Segundo Alexandre Prado, as principais características para elaboração de um esquema eficiente são:

  • Fidelidade ao texto
  • Estrutura lógica
  • Adequação ao assunto estudado
  • Utilidade

Dois dos principais processos de esquematização são a mnemônica e os mapas mentais. Mas você sabe o que significa esses termos? O professor Alexandre Prado explica:

#MnemônicaA estratégia Mnemônica representa um recurso para memorização de conceitos mais complexos, com o auxílio de palavras mais fáceis de decorar.

Geralmente, as iniciais dos conceitos formam uma única palavra, fácil de decorar e lembrar. Por exemplo, LIMPE que contém os princípios constitucionais expressos no Direito Administrativo:

Legalidade

Impessoalidade

Moralidade

Publicidade

Eficiência

#Mapas MentaisO mapa mental é uma espécie de diagrama para ser utilizado como ferramenta de revisão,  que você reúne todas as informações que coletou durante o seu estudo.

Os mapas mentais transformam as informações de textos em esquemas que usam cores, palavras-chave e imagens que ajudam a memorizar o conteúdo de forma a não perder a relação entre um tópico e outro.

Normalmente, a etapa de construção do mapa mental vem após a confecção do resumo e realização de exercícios. Ele é feito quando já temos um certo domínio do conteúdo.

“Quando você está fazendo um mapa mental, está em um processo de consolidação do conteúdo pela sua ótica e pelo seu entendimento”, garante Prado.

Organização é fundamental para um bom desempenho nos concursos públicos. Siga essas dicas e boa prova!


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *