fbpx

Como estudar Direito Administrativo para concursos

Compartilhe o conteúdo

Saber como estudar Direito Administrativo para concursos é um dos principais desafios de quem sonha ser servidor público.

Isso porque, diferentemente de disciplinas como Constitucional, Penal e Civil, essa matéria não tem o seu conteúdo reunido em um só lugar.

Para aprender por completo, é preciso estar atento a um conteúdo muito maior e cheio de detalhes, pois Direito Administrativo pode estar presente em diversos ramos da área.

Mas primeiro, de acordo com O Especialista da Folha Dirigida, Alexandre Prado, você precisa saber quais são os principais desafios das provas de Direito Administrativo.

Depois de compreender isso muito bem, você poderá definir a estratégia de planejamento e sua rotina de estudos.

Estudar direito administrativo

A disciplina de Direito Administrativo tem muitos conceitos baseados em Doutrinas e na Jurisprudência. (Foto: Pixabay)

8 desafios do estudo de Direito Administrativo

Estudar Direito Administrativo não é fácil. Mas calma, você não está sozinho nessa. Existem alguns fatores que fazem com que o estudo desta disciplina seja um desafio.

Conhecer bem seus obstáculos é fundamental para encontrar a solução do problema e dar continuidade à sua trajetória em busca de se torna um futuro servidor.

1. Matérias muito extensas e cheias de detalhes

Primeiro de tudo, o professor Alexandre Prado afirma que um problema para o estudo de Direito Administrativo é que as matérias são muito extensas.

O Especialista explica que isso acontece porque alguns conceitos e nomenclaturas fundamentais da disciplina se relacionam com diversos temas.

Um exemplo é a Caducidade. Você já ouviu falar nesse termo?

No Direito Administrativo, a palavra Caducidade pode ter dois significados:

  • Extinção do ato administrativo
  • Extinção de concessão (contrato particular) de serviço público

Por isso, o professor recomenda atenção máxima quando for aprender os pontos dessa disciplina para não confundir quando chegar a prova.

2. Muitos conceitos Doutrinários e Jurisprudenciais

A disciplina de Direito Administrativo tem muitos conceitos baseados em Doutrinas e na Jurisprudência. Isso pode parecer assustador, afinal traz um pouco mais de trabalho para entender o funcionamento desta matéria.

Doutrinas e Jurisprudências não são temas fáceis. Resumidamente, possuem os seguintes significados:

  • Jurisprudência é um termo jurídico que significa o conjunto das decisões, aplicações e interpretações das leis.
  • Doutrina, por sua vez, é o conjunto de princípios, ideias e ensinamentos de autores e juristas, e representa a base para o Direito.

3. Ramo do Direito não codificado

O Direito Constitucional é estudado pela Constituição Federal. Direito Penal, pelo Código Penal,  enquanto que o Direito Civil tem o Código Civil como material base.

E o Direito Administrativo?

Como falamos lá no começo desse texto, o Direito Administrativo é estudado em todas essas partes. Isso acontece porque ele não está “codificado”,  ou seja, para seu estudo, não há uma reunião de leis em um único documento.

Exemplos:

  • Na Constituição Federal, no capítulo 7, existe um conteúdo de Administração Pública, que é uma matéria de Direito Administrativo.
  • No Código Penal, no trecho que fala dos crimes contra Administração Pública, também há a relação com os conceitos do Direito Administrativo. Entre eles, o de funcionário público, no artigo 327 do Código Penal.

Percebe-se, portanto, que existem inúmeros caminhos para serem estudados nesta disciplina. E isso é só o começo.

Quer acesso a todo o conteúdo Premium da FD? Saiba como!

4. Matéria que passeia em outros ramos do Direito

O Direito Administrativo não possui um documento específico com todas as suas leis, é uma matéria que passa em outros ramos do Direito.

Assim, torna-se mais complexo de se estudar e obriga o estudante a possuir uma noção do Direito como um todo. Como exemplificado no ponto anterior.

5. Matéria sem muitas emoções na leitura, portanto pouco “amigável”

O Direito Administrativo é uma matéria de leitura cansativa, pois é um conteúdo denso. Com isso, tenha em mente que é trabalhoso estudar essa disciplina.

Você deve ter atenção redobrada na hora de analisar cada ponto do seu conteúdo programático e evitar se distrair. Você sabe como manter o foco nos estudos e não perder a concentração?

6. Dificuldade de identificar qual tema está sendo abordado na hora do exercício

Em alguns momentos, a banca pode colocar um contexto que dificulta compreender se a ideia central está falando de Princípios, Poderes Administrativos ou até mesmo de Atos.

Isso causa uma grande confusão, pois fica mais difícil entender o caso concreto presente na prova com a explicação em sala de aula ou videoaula do professor.

Nesse caso, a dica é praticar fazendo muitos exercícios de provas anteriores para conseguir identificar bem tudo que for cobrado.

cta-questões

7. Dificuldade do estudante enxergar outros exemplos além do que é ensinado

Durante o aprendizado da disciplina de Direito Administrativo, os exemplos costumam ser os mesmos. Desse modo, a grande dificuldade gira no propósito de aplicar esses conceitos em outras situações.

Por isso também a importância de fazer o máximo de questões possíveis

8. Falta de concentração

Por conta de todos os obstáculos citados, o estudante acaba por desanimar e cair na desconcentração. Mas você não pode deixar isso acontecer com você.

Se você tem uma meta, um objetivo, precisa permanecer firme no seu planejamento como um todo.

O professor Alexandre Prado separou soluções para os futuros servidores que precisam estudar Direito Administrativo.

Vamos lá?

Oito desafios do estudo de direito administrativo

4 passos para estudar Direito Administrativo para concursos

Alexandre Prado explica que existem quatro pilares da sua rotina que você deve colocar em prática para manter o foco nos estudos para concursos em Direito Administrativo:

  • Disciplina
  • Dedicação
  • Esforço
  • Organização

Esse deve ser o ponto de partida para um estudo organizado. Além disso, também existem passos que você pode seguir para dominar a matéria.

A ideia é que, a partir deles, você construa sua rotina de estudos. Lembrando sempre de ter os quatro pilares acima como o norte do seu planejamento.

Os quatro passos são:

  1. Preparação
  2. Planejamento
  3. Execução
  4. Revisão contínua

Quatro Pilares

1. Preparação

A fase inicial é a de preparação. A partir dela você coletará o material necessário para montar sua programação.

O primeiro passo é ler atentamente o edital. Nele, você encontra todo o conteúdo que você precisa aprender para o seu concurso. Se o edital não tiver sido publicado ainda, você pode recorrer aos editais anteriores do concurso que você quer fazer.

Além disso, pode (e deve) focar na focar na banca organizadora do seu concurso, procurando provas anteriores da disciplina para ter uma ideia do que pode ser cobrado.

O segundo passo é selecionar bem o material que você precisa utilizar. No caso do Direito Administrativo, Prado indica os seguintes recursos:

  • Videoaula, aula presencial ou livro base de referência
  • Legislação atualizada
  • Material complementar, apostilas e PDFs
  • Questões divididas por termas ou/e banca

Material reunido, o terceiro passo é dividir de acordo com a fonte e o material estudado. Você pode dividir em: Legislação, Doutrina e Jurisprudência.

O último passo da preparação é manter sempre um “kit tempo ocioso” dentro da mochila. O kit nada mais é do que um material de estudo que esteja sempre à sua disposição e você possa recorrer quando tiver algum tempo livre ao longo do seu cotidiano. Pode ser a lei seca de algum conteúdo importante ou exercícios extra.

2. Planejamento

A fase do planejamento é aquela na qual você, após reunir o material de estudo, organiza cada um em seu plano de estudos.

Nesse momento, a primeira coisa que você deve fazer é separá-los de acordo com os temas as serem estudados. Pode fazer isso da seguinte forma:

  1. Legislação (lei seca)
  2. Doutrina e Jurisprudência através da preparação
  3. Realizar exercícios dos temas estudados

Em seguida, você inclui no seu plano de estudos cada um desses temas e alterne o cronograma entre Legislação e Doutrina/Jurisprudência.

Lembre-se sempre de fazer uma relação do tema com a Legislação a ser estudada.

Por último, não esqueça de, antes de começar um tema novo, incluir tempo inicial para a revisão do tópico que já foi estudado. Duas boas técnicas de revisão são os flashcards e mapas mentais.

Revisar é muito importante, pois ajuda a fixar o que foi estudado, afinal, a repetição leva à absorção do máximo de conteúdo possível.

3. Execução

Após concluir o planejamento, o próximo passo é colocar em prática. O professor Alexandre Prado recomenda que você divida o seu tempo da seguinte forma:

  • 70% para aprendizado teórico + exercícios da matéria
  • 20% para fazer seu próprio resumo
  • 10% para reler a matéria anterior

Comece absorvendo o conteúdo com videoaulas, aulas presenciais, livros e PDF’s e materiais de apoio. Sem esquecer de ler a Lei Seca.

Após finalizar o estudo, você pode fazer um resumo com tudo que você entendeu sobre o tema estudado. Pode ser com tabelas, quados e esquemas.

Por último, antes de iniciar os estudos em um novo dia, faça a revisão do conteúdo anterior através do resumo que você construiu anteriormente. Revisar pelo próprio resumo é fundamental, pois você terá mais facilidade de lembrar aquele assunto pois criou associações no seu cérebro na hora de montar o material.

Como dividir seu tempo de estudo

4. Revisão Contínua

Por se tratar de uma matéria muito abstrata e conceitual, o processo de revisão contínua é extremamente necessário para a solidificação do conteúdo.

É importante estar atento às atualizações que acontecem no meio e ter sempre o seu material atualizado. Por isso, você pode seguir também as dicas abaixo:

  • Separe um dia na semana para revisão de todos os temas através de seus próprios resumos.
  • Faça exercícios de diversos temas da matéria sem filtro de temas.
  • Leia informativos de Tribunais Superiores.
  • Acompanhe atualizações das leis relacionadas aos temas.

Principais temas de Direito Administrativo para concursos

Para ajudar nessa caminhada, Alexandre Prado também separou cinco temas que mais são cobrados na disciplina de Direito Administrativo.

Administração Pública

Agentes Públicos

Atos Administrativos

Licitações

Contratos

Verifique se esses tópicos são exigidos no edital do seu concurso de interesse. Bons estudos e mandem suas dúvidas aqui para o Blog FD.

🔒 [Exclusivo assinantes FD]: Concurso TJ RJ: 5 assuntos mais cobrados em Direito Administrativo


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Paulo Farias disse:

    Show, maravilhas, estas informaçoes!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *