fbpx

O que estudar para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ?

Depois do primeiro anúncio do novo concurso para a Polícia Civil do Rio de Janeiro, uma das dúvidas que mais recebemos é: como estudar para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ?

Um dos grandes atrativos dos cargos é o salário, acima de R$4 mil para o cargo de nível fundamental e acima de R$5 mil, para o nível médio.

Como o conteúdo programático, assim como a rotina dos cargos é parecida, dá para conciliar os estudos para ambos. Com o edital publicado e as provas marcadas para dias diferentes, podemos observar que é possível se candidatar aos dois cargos.

Mas vamos ao que interessa, como estudar para auxiliar e técnico de necropsia da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Como não tem concurso desde 2009, as provas para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ são umas das mais esperadas

Como não tem concurso desde 2009, as provas para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ são umas das mais esperadas (Foto: Pexels)

O que você vai encontrar nesse conteúdo:

O que estudar para técnico de necropsia da PC RJ?

Segundo o professor da Folha Cursos e técnico de necropsia da PC RJ, Maxwell Almeida, os estudos podem ser aproveitados para os dois cargos. Confira como foram os editais anteriores:

Quando foi o último concurso para técnico de necropsia da PC RJ?

Os últimos editais para a prova de técnico de necropsia foram em 2002 e 2009. E mudanças já foram perceptíveis na estrutura das provas. Portanto, é importante não se prender a um conteúdo específico. Confira o edital do último concurso de técnico de necropsia.

Análise da prova de técnico de necropsia de 2009

É muito importante refazer as provas anteriores e compreender como o conteúdo pode ser cobrado.

Para isso, o professor de Anatomia e Fisiologia, Maxwell Almeida, fez a análise da parte de conhecimentos específicos da prova realizada em 2009 para técnico de necropsia.

Na ocasião, a banca organizadora foi a Fundação Getulio Vargas, que cobrou conteúdos de:

  • Conhecimentos gerais (peso 1): Língua Portuguesa – 20 questões
  • Conhecimento específico (peso 2): Fisiologia e Anatomia Humana – 40 questões

Como as disciplinas específicas tinham peso 2, o total da prova foi 100 pontos.

Foram aprovados os candidatos que acertaram pelo menos 50% em cada uma das disciplinas isoladamente. Ou seja, pelo menos 10 questões de Português e 20 das específicas.

De acordo com Mawxell Almeida, a prova da FGV não teve questões muito aprofundadas em seu conteúdo. Entretanto, estas conseguiram ser muito abrangentes, mas respeitando o nível médio do concurso.

O candidato deve se atentar para a localização exata da estrutura anatômica no corpo e sua anatomia como um todo. Acredito que a próxima prova venha com questões mais elaboradas e complexas, explica o professor Maxwell Almeida, que também é técnico de necropsia da PC RJ.

Qual conteúdo mais caiu na prova de 2009 de técnico de necropsia?

De acordo com o professor, na ocasião, a banca deu muito valor e foco para a Esplancnologia, que é o estudo das vísceras.

Os temas com mais questões foram os sistemas Digestório e Urogenital.

Além desses destaques, a prova teve também muitas questões de assuntos de Histologia. O professor e técnico policial recomenda o estudo desse tema.

Quais as expectativas para os conteúdos que podem ser cobrados?

Maxwell Almeida reforça que só teremos essa certeza quando o edital de fato sair. Porém, o técnico ressalta que uma análise antecipada do cenário o faz acreditar que pode haver mais questões do sistema Cardiovascular e Respiratório.

Atualização: no edital novo, foram acrescentadas as disciplinas de Noções de Prova no Processo Penal e Noções de Direito Administrativo.

Atenção! Todo o conteúdo programático do edital deverá ser estudado, não descarte nenhum tema. A aprovação só virá com grande dedicação e rotina diária de estudos.

A Anatomia e Fisiologia Humana possuem conteúdo extenso, portanto, o quanto antes iniciar a sua preparação, maiores serão as chances de sucesso no concurso.

Curso para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ

O que estudar para auxiliar de necropsia da PC RJ?

Apesar de no dia a dia exercerem muitas funções parecidas, o cargo de auxiliar de necropsia da PC RJ também tem suas próprias particularidades. Confira!

Quando foi o último concurso para auxiliar de necropsia da PC RJ?

O último concurso para auxiliar foi em 2002, organizado pela Faepol. Porém, segundo Alexandre Prado, esse edital não deverá ser utilizado como referência. Isso porque, como se passaram quase 20 anos, é possível que muita coisa mude na avaliação.

Como foi a última prova de auxiliar de necropsia da PC RJ?

Na última prova para auxiliar de necropsia, foram 60 questões:

  • 30 questões de Noções Básicas de Biologia e Anatomia Humanas
  • 20 de Língua Portuguesa
  • 10 de Matemática

O mínimo de acertos, na ocasião, foi 30, algo que não deverá ser mantido.

Atualização: no edital novo, foram acrescentadas as disciplinas de Noções de Prova no Processo Penal e Noções de Direito Administrativo.

Qual a diferença entre técnico e auxiliar de necropsia?

Conforme explicou professor e técnico de necropsia da PC RJ, Maxwell Almeida, no dia a dia, as duas funções se misturam muito e um acaba fazendo o trabalho do outro.

No entanto, na teoria, o auxiliar é o responsável pelo corpo fora da mesa de necrópsia. Ou seja, entre suas atividades, estão:

  • Receber o cadáver do corpo de bombeiros
  • Levar o cadáver até a sala onde vai ser feito o exame
  • Despir e lavar o cadáver
  • Guardar na geladeira depois de feito o exame
  • Entregar o cadáver para a funerária ou para a família

Já o técnico de necropsia tem como atividade o exame propriamente dito até o fechamento do corpo.

Como escolher entre técnico e auxiliar de necropsia?

Quem tem o ensino médio pode escolher fazer a prova para as duas carreiras. Mas, como em qualquer profissão, é importante saber se você tem vocação para o cargo. Ou seja, se tem identificação e gosta das funções.

No caso dos cargos de necropsia, Maxwell Almeida recomenda que o candidato se pergunte:

  • Você levaria numa boa o estresse visual durante os plantões? Ou isso seria algo perturbador para você?
  • No Instituto Médico Legal (IML) são feitos exames de mortes violentas, homicídios, acidentes, etc. Como seria para você acompanhar crimes bárbaros de perto?
  • Como ficaria a sua condição emocional em lidar com corpos de crianças, pessoas carbonizadas e cadáveres em estado de decomposição avançado?

Também é preciso levar em conta o cheiro dos corpos e o estado de decomposição possivelmente avançado de alguns. Em suma, as altas temperaturas do Rio de Janeiro avançam o processo.

Quem falece de Coronavírus precisa passar pelo IML?

Em geral, não. Por exemplo, o professor Maxwell lembra de um caso de um homem que sofreu um acidente de moto. Ao ser levado para o hospital, ele foi contaminado pela Covid-19 lá.

Portanto, como a causa primária da morte foi o acidente, o corpo precisou ser levado para o IML. Mas em casos que a pessoa simplesmente adoece e falece no hospital, a própria instituição já encaminha o corpo para o responsável.

Apesar de ter lidado com casos como esses citados, o Equipamento de Proteção Individual (EPI) já é procedimento padrão nas funções do IML, como o uso das máscaras N95.

Planejamento de estudos: dá para estudar para técnico e auxiliar de necropsia?

Como as disciplinas são basicamente as mesmas, os estudos para um cargo já podem ser aproveitados para o outro. Principalmente Anatomia e Fisiologia, que são as matérias no edital com maior peso.

Para diferenciar uma da outra, ele recomenda lembrar que a Anatomia é a identificação e a Fisiologia, a função.

Por exemplo, se você pensa em uma caneta, a Anatomia é o seu corpo e a sua Fisiologia é escrever. Ou seja, sua função. Falaremos mais sobre essa distinção mais adiante.

No estudo, a questão é aplicar esses conhecimentos para o corpo humano. Da mesma forma, para histologia, citologia, biologia e os demais sistemas. Sempre com constância e eficiência.

Agora que você já sabe como devem ser as provas para técnico e auxiliar de necropsia, é hora de iniciar seus estudos. O professor Alexandre Prado te ajuda:

1# Iniciando o Planejamento

Para começar, Alexandre Prado indica que o candidato faça a análise minuciosa da última prova do concurso.

Essa varredura envolve avaliar questão por questão, cada tema do conteúdo programático e disciplina por disciplina, comparando com o edital correspondente e marcando quais temas mais caíram.

Dessa forma, o interessado perceberá que existem sempre uns 20% a 30% do conteúdo que é certo de cair.

Esses detalhes vão fazer com que você direcione o seu estudo e pegue efetivamente aquele conteúdo de conhecimento essencial para sua prova.

2# Montando o seu horário

Para elaborar o seu horário, você deverá começar preenchendo todos os compromissos fixos que você não pode mudar, como o seu trabalho ou curso.

Assim, os excedentes vagos você utilizará para os seus estudos. Separe no mínimo três horas por dia. Essa carga horária pode ser distribuída ao longo do dia.

Após montar o cronograma, distribua os conteúdos. O tempo de Português deve ser o menor, e o restante para conteúdo específico. Isso porque, na última prova, 80% do conteúdo foi de conhecimento específico.

enlightened Você precisa de uma hora para almoçar? Ou você pode realizar sua refeição de forma saudável e correta com o tempo de 30 minutos?

Com os 30 minutos restantes, utilize para fazer a leitura de algum texto, conteúdo de apostila ou até mesmo assistir a uma videoaula de algum dos temas de técnico de necropsia, recomenda Prado.

enlightened Outra estratégia é começar a dormir meia hora depois e acordar meia hora antes do horário de costume para ter mais tempo disponível de dedicação aos estudos!

Com esses três momentos – acordar mais cedo, tempo de almoço e dormir mais tarde -, você já somou 1h30 de preparação ao longo do dia, destaca o professor.

No restante do tempo, você pode conseguir estudar aproveitando o trajeto que você faz para o trabalho e do trabalho para casa, por exemplo.

3# Ciclo de disciplinas

Na prova de técnico de necropsia, a mais recente e que vamos pegar aqui como exemplo, temos 20 questões de Português (peso 1) e 40 específicas (peso 2).

O estudo da teoria deve ser 4×1, ou seja, dedicar-se quatro vezes mais à específica do que a Português.

Lembrando que esse ciclo foi montado antes da publicação do edital, ok?

Após cada ciclo de estudos de determinado tema, o candidato deve fazer exercícios sobre o conteúdo estudado, iniciando no fim de semana.

Ao final de cada quatro semanas, deve fazer questões sobre todo o conteúdo estudado anteriormente, reforçando esse aprendizado.

Os resumos são importantes fazer com base em questões resolvidas de cada tema. “Ao final de cada ciclo de estudos concluídos, aconselho os simulados temáticos”, explica o professor Prado.

O professor Maxwell considera que a metodologia vai muito do que funciona para cada um. No entanto, o que funcionou para ele quanto prestou o concurso de técnico de necropsia – e o que acredita ser melhor – é fazer um estudo de forma sistêmica dentro da Anatomia.

Ou seja, separar em sistemas. O mesmo vale para anatomia microscópica, citologia e histologia.

Além disso, outra dica importante é procurar ter contato com professores diversos, para conhecer outras metodologias de estudar e aprender.

No que diz respeito à diferença entre auxiliar e técnico de necropsia nas provas, ele não vê disparidade no nível de dificuldade. Inclusive, na sua opinião, a última prova para auxiliar foi mais difícil do que a do concurso para técnico de necropsia.

Portanto, além de um estudo anatômico criterioso, também recomenda procurar os melhores livros de Anatomia. Até mesmo os de Biologia do ensino médio já são de grande ajuda.

4# Não esqueça do TAF

Outro ponto importante é não esquecer de encaixar na rotina o tempo para preparação do TAF (teste de aptidão física).

A recomendação de Prado é que, mesmo com uma cobrança não tão rigorosa como foi para o cargo de inspetor, o candidato não deve deixar ignorar o treinamento para essa etapa.

Exercícios físicos são essenciais para a saúde além de interferirem diretamente no rendimento na hora do estudo.

Agora que você já sabe como se preparar, vamos às disciplinas?

Como estudar Anatomia e Fisiologia para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ?

Como muitos futuros servidores não têm contato com matérias da área da Saúde e Biologia, essa é uma das dúvidas mais comuns.

Para começar, vale destacar a definição de cada área:

– Anatomia é a ciência que estuda as partes do corpo.
– Fisiologia é a ciência que estuda os eventos que ocorrem no corpo humano.

De início, é preciso ressaltar uma diferença. Enquanto que. para técnico em necropsia, no concurso, as matérias cobradas são Conhecimentos de Anatomia e Fisiologia Humanas, para auxiliar, são Noções Básicas de Biologia e Anatomia Humanas.

Apesar dos nomes diferentes, segundo Maxwell Almeida, o conteúdo é basicamente o mesmo. Tanto que pode aproveitar em ambos os concursos.

Assim, o futuro servidor amplia suas chances de aprovação para auxiliar ou técnico de necropsia da PC RJ na hora de estudar. Afinal, as funções no dia a dia são basicamente as mesmas, com uma pequena diferença na remuneração.

Com isso em mente, o professor recomenda que o futuro servidor estude o conteúdo todos os dias e faça exercícios no final de cada estudo. Algumas das suas dicas de estudo são:

  • Praticar
  • Estudar em grupo
  • Metodologias ativa e dinâmicas
  • Ser autocrítico

Além disso, ele também indica a visita a um anatômico em alguma universidade, caso seja possível.

Dicas para estudar para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ

Como começar a estudar Anatomia e Fisiologia para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ?

A última seleção para o cargo de técnico de necropsia foi em 2009, com a FGV como banca organizadora. Essa área exige um conhecimento aprofundado nas matérias biológicas. Em 2021, a FGV também será a banca do concurso PC RJ para seis cargos (exceto delegado).

O professor de Anatomia, Maxwell Almeida, explica que o primeiro passo é separar as provas anteriores.

A prova de 2009 foi a última realizada para técnico de necropsia. Na ocasião, as matérias cobradas foram Língua Portuguesa, Fisiologia e Anatomia.

Atualização: no edital novo, foram acrescentadas as disciplinas de Noções de Prova no Processo Penal e Noções de Direito Administrativo.

Além de direcionar os estudos para a matéria específica, o professor alerta que é extremamente importante focar na leitura e o aperfeiçoamento da interpretação de texto.

Em relação à parte específica de Anatomia e Fisiologia Humana, o professor Maxwell indica iniciar os estudos pelo básico, com leitura dos conteúdos e familiarização dos temas.

É importante ter um contato inicial e compreender bem os pontos. A prova geralmente é muito abrangente e cada detalhe do corpo humano deve ser levado em consideração.

Como iniciar o estudo para Anatomia?

Na parte da Anatomia, Maxwell Almeida sugere que inicialmente seja feito o estudo de todo o sistema locomotor (ossos, articulações e músculos).

Quando finalizada esta parte, você deverá focar no estudo de todas as vísceras do corpo humano.

Nas provas anteriores, a citologia, histologia, mitose e meiose e transporte transmembrana foram temas frequentemente abordados pelas bancas responsáveis por esta prova.

Sistema Locomotor

Quais cuidados ter ao estudar Anatomia e Fisiologia Humana para técnico e auxiliar de necropsia da PC RJ?

Em primeiro lugar, o professor já pede aos interessados para desmistificar a ideia de que, por se tratar de um cargo de escolaridade nível médio (ou no caso de auxiliar, fundamental), que a prova poderá ser mais fácil.

Pelo contrário, o grau exigido será de acordo com a escolaridade. Entretanto, a concorrência pesará nesse aspecto. Para conseguir administrar isso, é importante realizar muitos exercícios de provas anteriores.

Aos poucos, o candidato perceberá o seu progresso no conteúdo e a maior familiarização com os temas abordados.

O uso da memória fotográfica é essencial para o sucesso nessas áreas. Estudar o corpo humano é complexo, portanto, imagens em livros e materiais de apoio poderão ajudar a fixar melhor o conteúdo estudado.

Por isso, é recomendável buscar por aplicativos, posteres e imagens de livros para ajudar na memorização.

Memória Fotográfica

Qual o material usar para estudar Anatomia e Fisiologia para técnico e auxiliar de necropsia?

Busque por livros de Anatomia e atlas da área (livros ilustrativos). Outra possibilidade é o material específico de cursos preparatórios para técnico e/ou auxiliar de necropsia.

É importante aliar o estudo textual com boas imagens, juntando a visualização do conteúdo com boas explicações teóricas.

Para fixação da matéria, é indicada a resolução de exercícios, principalmente de provas anteriores. Além de ajudar a memorizar o conteúdo, essa técnica também é útil para você avaliar seu nível de conhecimento.

Por fim, e não menos importante, mantenha o hábito de estudo. Fechar os conteúdos do antigo edital até a publicação do novo deixará você bem avançado em relação aos outros candidatos. Além disso, caso incluam novos temas, você terá tempo para desenvolver com calma o estudo deles.

DICAS EXTRAS: não ignore esses pontos na sua preparação

O trabalho com necropsia envolve verificar causas de morte. Portanto, segundo Maxwell, é preciso que o candidato entenda que a base da profissão deve ser um dos pontos para prestar muita atenção na hora de estudar.

O técnico de necropsia da PC RJ revela que o que mais observa no IML é a chegada de óbitos provocados por problemas no sistema cardiovascular e respiratório.

Se eu fosse elaborar uma prova, claro que seria uma prova bem abrangente, mas com foco no sistema cardiovascular e respiratório, porque são as principais causas de morte que a gente observa dentro de um exame médico legal, afirma Almeida.

Segundo o profissional, isso acontece porque nem todos os corpos que chegam ao IML são provenientes de mortes violentas.

“Um indivíduo só deve ir para o IML caso haja uma dúvida sobre a causa da morte, mas nem sempre acontece isso. Por isso temos diversos caso no IML de serviço de verificação de óbito. Recebemos o corpo de um indivíduo que tem uma morte natural e, entre elas, cardiovascular e respiratório”, completa.

Lei Maria da Penha pode cair na prova

Em 2019, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, sancionou a Lei 8407/19, que obriga os concurso das polícias Militar e Civil do estado a cobrarem a temática da Lei Maria da Penha em seus concursos.

A questão é: como o tema pode ser cobrado na prova de técnico de necropsia? O professor Alexandre Prado explica que há três possíveis meios para isso:

O que você deve estudar para necropsia

Primeiro de tudo, a dica do Maxwell é que até a publicação do edital você esteja afiado na parte de conhecimentos específicos, que é Anatomia, Fisiologia, Biologia – com ênfase para mitose e meiose – e Português.

O que é certo de cair nessa prova é Português, a parte de anatomia macroscópica e microscópica e também a Maria da Penha. O que vier depois no edital e for complicado, você vai correr atrás do prejuízo , destaca Maxwell.

Um ponto levantado pelo técnico da PC RJ e pelo professor Alexandre Prado também é a possibilidade de cair o estatuto do servidor.

“Eu não sei porque não cai para o técnico e auxiliar de necropsia o estatuto do servidor. Ele é um servidor regido pelo mesmo estatuto, o do policial. Então ele tem que saber como que é a promoção dele, quais as dedicações, a estrutura da carreira, os deveres, as obrigações e as consequências”, afirma Prado.

Atualização: no edital novo, foram acrescentadas as disciplinas de Noções de Prova no Processo Penal e Noções de Direito Administrativo.

Fazer questões e simulados é uma boa alternativa para dar um gás nos seus estudos. Você já fez algum hoje?

Por onde começar a estudar necropsia

Maxwell Almeida explica que a primeira coisa que você deve fazer é iniciar pelo básico, com um livro de ensino médio. Não adianta querer começar pelo conteúdo complexo do edital se você não sabe o conceito inicial.

O próximo passo, assim que evoluir nesse conteúdo, é procurar um livro de nível superior. A indicação do técnico é o livro Anatomia Humana Básica, de Dangelo e Fattini.

Segundo o professor, este é um livro com a linguagem clara, bem didático e que ajuda a orientar a pessoa sobre o que estudar.

O servidor da PC RJ também recomenda atenção ao conteúdo de anatomia microscópica quando iniciar sua pesquisa.

“Quando a  gente fala ‘ah, cai anatomia na prova’ estamos falando o que que cai em anatomia microscópica e macroscópica. E dentro da microscópica você tem a citologia, a histologia, a biologia celular de uma forma geral, mitose e meiose, desenvolvimento embrionário”, explica.

Ou seja, há vários pontos que podem ser sim abordados e cobrados para essa prova. Portanto, atenção máxima na hora de estudar e não deixar nenhum ponto para trás.

Dedique-se ao seu propósito e não desista

Nesse sentido, Maxwell Almeida acredita que a própria pandemia possa ser uma motivação para estudar.

Esse emprego público pode ser seu. Só vai depender do quanto você se dedica ao estudo.

Também é preciso que o estudante esteja consciente:

  • Das suas limitações
  • Do que você está aprendendo
  • Do quanto você se dedica nos estudos

Além de vacâncias surgirem com o tempo, há a possibilidade de um aumento no número de vagas. Nesse contexto, o IML precisa urgentemente de servidores, com risco do sistema colapsar.

Há até mesmo unidades fechando por falta de mão de obra e cadáveres sendo encaminhados para os municípios vizinhos.

Confira um FAQ completo sobre os cargos de Necropsia da PC RJ

Agora é para não ficar mais nenhuma dúvida! Confira as perguntas que mais recebemos dos interessados no concurso de necropsia da Polícia Civil RJ.

1 – Quanto ganha um auxiliar e um técnico de necropsia?

O auxiliar de necropsia tem remuneração inicial de R$4.606,29.

A remuneração do técnico de necropsia é R$5.165,75.

2 – Tem limite de idade para concorrer?

A idade mínima é 18 anos para ambos, sem limite máximo. A idade limite para participar é de 65 anos. Se já for servidor, até os 70. Da mesma forma, também não tem altura mínima para concorrer.

3 – Auxiliar e técnico de necropsia têm porte de arma?

Os cargos de técnico e auxiliar de necropsia PC RJ permitem o porte de arma uma vez que são policiais.

4 – Posso desempenhar a função relacionada a minha formação superior?

Se você for formado e passar para esses concursos, a sua atribuição será referente ao seu cargo e não a sua formação.

5 – Devem cair noções de Direito nas provas de necropsia?

No edital novo, foram acrescentadas as disciplinas de Noções de Prova no Processo Penal e Noções de Direito Administrativo para ambos os cargos.

6 – Língua Inglesa pode cair nas provas de auxiliar e técnico de necropsia?

Língua Inglesa não consta como uma das matérias em nenhum dos editais.

7 – A natureza da dívida pode reprovar no concurso da Polícia Civil RJ?

Você deverá apresentar as certidões. Isso significa que sim, dependendo da natureza, poderá reprovar por esse motivo.

8 – Como ingressar na Polícia Civil do Rio de Janeiro?

Para ser um policial civil no Rio de Janeiro, independentemente do cargo, é necessário passar no concurso público. A seleção para o ingresso neste cargo tem duas fases:

⇒ 1ª fase: prova de conhecimento, exame psicotécnico, exame médico e prova de capacidade física.

⇒ 2ª fase: curso de formação profissional, com apuração de frequência, aproveitamento e conceito. Os habilitados na primeira etapa do concurso são matriculados no curso de formação, realizado na Academia de Polícia Sylvio Terra, no Centro do RJ.

9 – Existe salário durante o curso de formação?

Durante as aulas, o concorrente recebe bolsa-auxílio correspondente a 80% do valor do vencimento da classe inicial do cargo, sem incidência de descontos relacionados com o regime próprio de previdência.

10 – Quantas vagas para técnico e ao auxiliar de necropsia?

A oportunidade conta com 10 vagas para técnico de necropsia (nível médio) e 10 vagas para auxiliar de necropsia (nível fundamental) da PC RJ. Entretanto, a polícia demonstrou que pretende fazer esforços para chamar os excedentes.

Curso para auxiliar e técnico de necropsia da PC RJ

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Carina disse:

    Informações muito boas,é um primeiro passo para quem quer ir a luta e conseguir trabalhar na área mortuária, fazer o que realmente gosta .E ter noção de que pode ser um parente seu e ter amor a dor do próximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *