fbpx

Como desenvolver soft skills na preparação para concursos

Compartilhe o conteúdo

Desenvolver soft skills na preparação para concursos é fundamental. Você sabia disso?

Isso porque, ter habilidades comportamentais bem construídas é essencial para estar bem mentalmente e ter inteligência emocional para um crescimento técnico na preparação para as seleções.

Por isso, você precisa identificar as suas soft skills para ter consciência de como isso pode impactar na sua jornada de sucesso rumo ao sonho de se tornar um futuro servidor.

Soft skills para concursos

Desenvolver soft skills na preparação para concursos é fundamental para fortalecer também as habilidades técnicas (Foto: Freepik)

Qual a importância das soft skills na preparação para concursos?

Primeiro, você deve saber que as soft skills estão relacionadas ao lado comportamental das pessoas, ou seja, como você trabalha, ou se organiza dentro do seu percurso.

Segundo o psicanalista Marcelino Viana, é necessário você precisa ter habilidades comportamentais para trabalhar em função do que você deseja e utilizar isso ao seu favor e ter foco no seu objetivo.

“O objetivo é o favorecimento da perspectiva da autoconsciência”, afirma.

Para ter um bom resultado na preparação cognitiva, faça um bom trabalho emocional antes. E as soft skills estão diretamente ligadas a isso.

O psicanalista afirma ainda que ter atitude para o estudo e não exitar em pedir ajuda quando é fundamental nesse processo. Algumas habilidades que você para se trabalhar são:

  • Pensamento crítico em relação ao seu percurso
  • Empatia com o momento e com você mesmo
  • Ética com o processo
  • Identificar se você está se preparando de verdade ou se está se iludindo
  • Positividade
  • Gestão do tempo
  • Resiliência

O último ponto é essencial pois, caso você entre em um cenário mais difícil, é imprescindível ser resiliente para sair dessa situação e não “travar”. Você avalia e acaba encontrando uma solução para o problema.

Não se trata de dizer se o percurso de ensino foi bom ou não. Nesses momentos, temos uma ideia de culpabilizar os processos anteriores de aprendizagem para justificar um resultado negativo. Como exemplifica Marcelino:

“Eu não tive um bom preparo na escola, eu chego aqui agora na minha preparação para concurso público com ‘aquele processo não foi bom,  aqui não vai ser bom, eu não vou conseguir’. Culpabilizar uma preparação anterior pode gerar um desgaste no seu percurso de preparação.”

O conselho de Marcelino Viana é: passado é passado.

Mas, isso não quer dizer que você deve desconsiderar o seu passado por completo. Pelo contrário. O objetivo é pegar influências positivas para a caminhada futura e tirar, das experiências anteriores, aprendizados sobre o que não repetirá.

Habilidades para preparação para concursos

Como identificar as suas soft skills?

Como já explicado, para aperfeiçoar as soft skills você não deve culpabilizar o passado. Viva o presente e quebre crenças limitantes.

Acredite que vai dar certo e, com isso, tome atitudes, compreenda o seu cenário e busque novas capacidades e possibilidades.

A neurociência pode ser aliada nesse processo de aprendizagem. Marcelino Viana afirma que existem mecanismos científicos que podem ajudar a pessoa a aprender e reter melhor o conteúdo.

Essas ferramentas ajudam a mapear o seu comportamento e, em consequência, você identifica melhor suas habilidades e de que maneira elas podem ajudar no seu estudo.

Existem mecanismos que podem ajudar a aprender melhor e, da mesma forma, existem outros que você pode analisar, entender e compreender suas habilidades, para resolver os problemas que surgirão na sua vida, indica o psicanalista.

Um alerta é que você precisa ter cuidado com as pessoas que podem tirar você do seu percurso. Cada um tem a sua história de vida, de lidar com determinadas situações.

A capacidade de analisar isso e encontrar estratégias de ação, entre a teoria e a prática, ajuda a trazer qualidade na sua vida. Não só na preparação de futuro servidor, mas também no pessoal.

1. Identifique as suas habilidades

O que você tem de bom? Identifique a relevância do que você tem de bom para poder dar sentido a essa habilidade comportamental e praticar em torno da hard skill.

“De repente, você é muito bom em leitura dinâmica ou em criar resumos. Pode ser que seja muito bom em gerenciar o seu tempo, em ser disciplinado em relação ao seu horário de estudo”, exemplifica.

Qual a importância disso na sua preparação? Por que é importante você reconhecer que é bom nisso?

Quando você tem um maior reconhecimento de si, automaticamente as retenções tendem a melhorar também.

2. Você precisa praticar

Você trabalha pautado no seu plano de ação. Por isso, quase tudo depende da prática para consolidar determinadas habilidades.

E por que isso é necessário? Porque traz motivação.

E quanto mais motivado você estiver, mais você será coerente com a preparação. E quanto mais você sentir que está crescendo, ficará ainda mais motivado para continuar a escalada.

3. Avalie sua prática

Marcelino Viana afirma que você deve sempre avaliar sua prática, se ela está levando para um caminho positivo.

O motivo disso é que pode ser que você precise ajustar seus horários, que muitas vezes podem se tornar excessivos e exaustivos, e otimizar as jornadas com qualidade de estudo e retenção maiores.

As neurociências indicam caminhos para a gente otimizar. Você pode estudar de maneira inteligente e pode acelerar no começo, mas quando sentir que aquelas oito horas passam a ser sofridas, você pode otimizar.

Sentiu que está em um ritmo acelerado, pode ser que seja o momento de começar a fazer revisões mais sucintas.

Se você já vinha fazendo revisões intercaladas, agora pode trabalhar para a reorganização desse estudo focando, por exemplo, em editais verticalizados.

Por outro lado, se você sentir que está estudando poucas horas por dia e estiver confortável para aumentar essa carga horária, essa avaliação pode ajudar a identificar isso.

3 passos para avaliar suas soft skills

Como desenvolver as soft skills para concursos públicos?

Para ajudar os futuros servidores a desenvolverem soft skills para concursos, Marcelino Viana elaborou um quadrante com tópicos essenciais para identificar em você mesmo e no que está ao seu redor.

Você pode baixar o quadrante completo no site da Folha Dirigida e começar a montar agora com a gente.

Vamos lá?

1º Quadrante: Eu

Nesse primeiro quadrante, é preciso estar centrado em você, no seu “eu”. Analise a sua realidade, tanto em relação à preparação para concursos, quanto em particular. Como um caso que o professor exemplifica:

“Minha realidade é de origem humilde, eu não tive hábitos anteriores de estudo. Entendi que eu preciso mudar de vida efetivamente e não sei como começar, nem qual é o processo. Mas eu quero mudar de vida, e nisso eu vou tomar decisões para que possa avançar nisso”.

Nesse caso, podem surgir pensamentos negativos em um primeiro momento. Muitas pessoas acreditam que podem fracassar e não serem aprovadas.

Lembre-se sempre disso: pensamentos geram sentimentos. Quais são seus tipos de sentimentos? Qual é o seu nível de capacidade de autoavaliação?

O papel das soft skills, nesse momento, é analisar essa realidade. Os pensamentos podem ser limitantes de início, mas no instante que você procura por sentimentos positivos para avançar, significa que está trabalhando bem suas habilidades comportamentais.

Busque também melhorar sua capacidade de autoavaliação e, se estiver fazendo errado, tente consertar.

2º Quadrante: Outros

Como é que você lida com os feedbacks? Qual é a sua relação com os outros? O que precisa em relação aos outros?

Algumas pessoas necessitam da aprovação do outro para poder se manter firme no caminho.

Eu sofro se alguém não me avaliar? E se alguém não me der essa aprovação? Se alguém não aprova meu percurso de preparação para concurso, eu vou sofrer? Como é o meu comportamento em relação a isso?

Se alguém aprova, é provável que dê um feedback. Você precisa saber se tem ou não facilidade de entender que isso é uma crítica construtiva.

Entenda que os feedbacks podem representar o que você precisa melhorar, como um impulsionador da sua motivação.

Como você se sente? É algo que você segue em frente ou paralisa? A tomada de consciência desses aspectos pode fazer você enxergar habilidades comportamentais cruciais.

3º Quadrante: Concurso

Outro ponto para analisar é em relação ao concurso que você quer. Escolheu sua área, concurso, órgão e qual carreira? O momento seguinte é identificar:

  • Requisitos
  • Recursos (materiais e espaço de estudo)
  • Estratégia-tempo
  • Ciclos
  • Gestão de tempo

Crie um plano de ação. Considerando o que você tem de material, espaço e tempo disponível, defina quantas horas por dia terá disponíveis para começar a estudar.

Em seguida, faça o seu ciclo de estudos. Mas como são esses ciclos de estudo? Você lida com a gestão desse tempo da forma mais inteligente possível? Aproveita o máximo disponível para a preparação?

Se você conseguir identificar isso, ótimo. Se não, pode começar a praticar para definir a melhor organização de estudos para você.

o que identificar quando escolhe um concurso

4º Quadrante: Atitudes

Se entende o que precisa melhorar e onde precisa, é hora de começar a tomar atitudes.

Pratique atividades que possam ajudar as soft skills, seu lado emocional e comportamental. Atividades essas que são determinantes também para as hard skills, para reter bem o conteúdo estudado.

Como por exemplo:

  • Revisar
  • Escrever
  • Resolver exercícios e simulados

Como você lida com a sua organização? Tem bons hábitos? Acorda cedo? Pratica uma atividade física? Uma recomendação nessa fase é criar hábitos diários.

Marcelino Viana recomenda também a prática da leitura diária para que, mesmo com o mínimo de tempo, no final do mês você terá um grande resultado.

Em relação aos estudos, comece aos poucos até você criar hábito. Se tem dificuldade em relação a isso, você pode procurar uma mentoria.

As mentorias vão orientar você em relação aos caminhos mais adequados. E quanto mais alinhados, mais você se sente motivado. Quanto mais motivado, mais pratica e tem maior probabilidade de criar novas habilidades, explica.

Da mesma maneira a imersão. Entender processos que são seus, como você lida e como trabalha com isso.

  • O que faz você feliz?
  • Quais são realmente os seus objetivos de vida?
  • A sua situação atual o faz bem?

Se não faz bem, talvez seja a hora de mudar. Para mudar, saiba quais são os seus pontos fortes e o que você quer realizar com isso.

Fazer uma imersão em si é você constantemente lidar com isso, com seus pontos fortes que vão ajudar a chegar em determinado ponto de evolução no seu percurso.

Acompanhe o programa Treine Sua Mente para dicas de como desenvolver suas soft skills da melhor forma.

Quer acesso a todo o conteúdo Premium da FD? Saiba como!


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *