fbpx

14 técnicas de estudo para concurso que você deve conhecer

Compartilhe o conteúdo

Elaborar a rotina de preparação é um passo difícil, até que você entenda como todo o processo funciona. E, parte disso, é definir as melhores técnicas de estudo para concurso para você utilizar.

Certamente, em algum momento você já se perguntou se o seu método é eficiente, correto?

Estamos sempre querendo otimizar os nossos processos e entender como podemos aprender todo o conteúdo de uma forma simples e prática.

Também surgem dúvidas sobre qual a melhor maneira de resumir os conteúdos e até como dividir o nosso horário quando não temos tempo para nos dedicarmos aos estudos.

Fizemos uma lista com 14 técnicas de estudo para concurso, para você testar e escolher o que se adapta melhor às suas necessidades.

Definir as melhores técnicas de estudo para concurso para você não costuma ser um processo fácil

Definir as melhores técnicas de estudo para concurso para você não costuma ser um processo fácil (Foto: Freepik)

1 – Mapas mentais

O mapa mental é uma ótima ferramenta de revisão. Muitas pessoas pegam um mapa mental já confeccionado para estudar alguma teoria. Não faça isso!

Motivo: alguns mapas vêm com palavras soltas, ramificações, figuras e, às vezes, podem gerar uma interpretação errada sobre algum assunto.

Além disso, certamente ao decorar um mapa pronto, na hora da prova as chances de esquecer o conteúdo são grandes. Não basta apenas tentar decorar um mapa mental pronto.

Faça o seu próprio mapa mental. Para isso, é importante o domínio da matéria. O mapa mental é o resumo do resumo. Ele precisa ser enxuto.

Se você colocar muita informação, deixará de ser um mapa e se tornará um resumo. Trata-se de uma revisão rápida, que não pode levar muitos minutos para ser lida.

Mas o que é um mapa mental?

Essa é uma técnica de resumo baseada em desenvolver um tipo de organograma/ fluxograma com diferentes temas, a partir de uma ideia central. Procure contemplar palavras-chaves específicas da temática abordada no mapa.

O objetivo dos mapas mentais é acelerar a aprendizagem, pois você é forçado a organizar as informações de uma forma simples e acessível.

Alerta: para que a técnica dê certo, é preciso saber muito bem sobre o tema que está sendo estudado para fazer o esquema na sequência.

Dessa forma, quando for utilizar o mapa para estudar, conseguirá associar ao que aprendeu anteriormente.

Algumas dicas para fazer o seu próprio mapa mental são:

  • Nunca faça resumo, mapa mental ou outro tipo de material na sua primeira leitura.
  • Escreva de forma tropicalizada.
  • Enfatize as palavras chaves.
  • Use setas, tabelas, diagramas
  • Utilize abreviações e símbolos.
  • Recorra a alguns subtítulos padronizados.
  • Utilize exemplos autoexplicativos.
  • Esqueça o perfeccionismo.
  • Seja paciente.

Que etapas devem ser seguidas antes de montar o seu?

  • Estude a matéria em que deseja montar o mapa.
  • Faça o resumo da matéria. Aquele de texto corrido, apontando mais informações e pontos que você considerar importante.
  • Faça questões sobre a matéria.

Após completar esse percurso, aí sim, faça o mapa mental, indica a coach Deborah Cal. O mapa mental é uma ferramenta para bater o olho e ver informações relevantes sobre aquele determinado conteúdo. Logo, o conhecimento mais profundo do assunto é necessário para montar o seu.

Sobre o uso dos mapas mentais:

Em que momento usar o mapa mental? Para revisar o conteúdo. É uma forma de otimizar o seu tempo, substituindo aqueles resumos robustos de texto.

É difícil montar um? Depende. Mapa mental é uma das melhores formas de se estudar, mas você precisa ter o domínio do assunto para conseguir formular um, logo isso vai depender do conteúdo escolhido.

Uma dica importante. Os mapas mentais normalmente vêm do centro do papel (por meio de um tópico inicial: conteúdo escolhido), e as ramificações são adicionadas no entorno.

Entretanto, nem para todas as pessoas isso é uma tarefa fácil. Nesse sentido, varia da forma de raciocínio de cada um. Não se preocupe caso você não consiga a adaptação para esse formato de mapa mental.

Adapte o mapa mental para atender às suas necessidades, modifique para um resumo por tópicos e palavras chaves. O importante é sentir o resultado positivo para você!

2 – Concentração

Você tem dificuldades para se concentrar? Sabia que existem técnicas de estudo para concurso que podem ajudar você com isso? Aqui, vamos falar de três técnicas para concentração.

Mindfulness

O Mindfulness é conhecido como um treinamento de atenção. Sua base está em usar o próprio corpo para se manter atento.

Para contextualizar melhor, o Dr. Marcelo Demarzo, médico especialista em Mindfulness e coordenador do Centro Mente Aberta, faz uma analogia com o barco e a âncora:

Pense em um barco: a âncora serve para o barco não ficar à deriva. E, no caso do treinamento de atenção plena, a âncora para gente é algum ponto do corpo que possa ser utilizado para que a nossa mente fique menos à deriva, explica.

Um exemplo de âncora, nesse caso, é a respiração. Dr. Marcelo afirma que ela representa um exercício clássico em Mindfulness, pois nos permite observar e prestar atenção nela.

Assim, ao notar a respiração, vamos ter um ponto de apoio para que, quando a mente “for embora” em um momento de distração, retorne ao foco ao prestarmos atenção no movimento que estamos fazendo ao respirar.

Resumindo, o treinamento é observar a respiração e, quando perceber que a mente foi para outro lugar, direcionar a atenção à respiração para retomar a concentração.

Prática dos três passos

Também conhecida como Prática da Ampulheta, como o próprio nome diz, ela é dividida em três etapas:

  • Experiência corporal
  • Respiração
  • Experiência corporal

Sim, o primeiro e terceiro passos são os mesmos! O Dr. Marcelo explica que a técnica consiste em perceber a experiência mental e corporal como um todo, fechar a atenção mais para a respiração e depois abri-la novamente para todo o corpo.

Ampulheta

Meditação

Essa é uma dica da coach Deborah Cal. Não se trata de exotérica ou religião, e sim de uma atividade simples, como sentar em uma cadeira, fechar os olhos e prestar atenção na sua respiração, e pronto, uma forma de relaxamento.

Esse hábito pode ajudar muito os ansiosos. É a prática que permite colher os resultados dessa, que é uma das técnicas de estudo para concurso muito indicada por especialistas.

Então, como iniciar?

  • Comece de forma gradativa, três vezes por semana, durante dois minutos. Quando perceber que está ficando mais fácil, aumente a frequência e o tempo.
  • É normal a mente vagar e você pensar em outras coisas durante a meditação. Fique tranquilo, é uma verdadeira musculação do cérebro.
  • Quando isso acontecer, retome a concentração para sua respiração, e tire o foco de qualquer outra linha de raciocínio.
  • Procure um lugar para sentar, não precisa ser um local totalmente silencioso.
  • Inspire devagar, segure por dois segundos, e expire devagar. Trabalhe assim sua respiração.
  • Repita esse processo de 10 a 20 vezes.

No início pode parecer difícil, fique tranquilo, isso faz parte do processo. Aos poucos você sentirá os efeitos da prática. E se no final de toda a atividade você não se sentir sereno, aumente o tempo desse treino.

Lembre-se, é uma prática e precisa de continuidade. A primeira vez você terá dificuldade, mas com o tempo ficará mais fácil.

É igual ao processo na academia, aos poucos que você fortalece o seu músculo e, com o treino, consegue pegar mais peso.

Detalhe: é importante fazer pausas durante o seu estudo para também poder relaxar e melhorar sua concentração além das meditações. Durante o estudo, conseguimos focar apenas por uma hora de forma plena, depois o rendimento começa a cair.

Faça essas pausas, procure interromper o estudo quando atingir o tempo de uma hora ou um pouco antes.

Você deve variar o estímulo do cérebro, saia, ande, vá até cozinha e beba algo, faça um lanche ou apenas olhe para o céu. E aí, sim, retome sua atividade. Isso ajudará muito com o foco e a manutenção da concentração

3 – Edital verticalizado

Edital verticalizado é uma ótima ajuda para o seu estudo com foco em concursos públicos.

O que são editais verticalizados? É o edital do concurso público separado ponto a ponto, de forma que ajude a sua visualização e a separação por tópicos de estudo.

Dependendo do edital, se ele for verticalizado por um especialista ou professor da área, ele pode indicar o artigo onde tem determinada matéria cobrada e pontos a serem trabalhados. Isso tudo não deixa de ser uma forma de você se organizar.

Na Folha Dirigida, por exemplo, dentro da área de Preparação, existem os Editais Verticalizados dos principais concursos, elaborado pela equipe Pedagógica especializada em concursos.

O edital verticalizado deve ser usado para programar revisões e administrar seu estudo de forma organizada e correta. É uma boa forma de você verificar sua progressão nas matérias cobradas pelo edital, formulando um estudo coeso e com precisão.

O edital verticalizado não é bem uma técnica, mas sim uma ferramenta para ajudar na organização das principais informações do edital de abertura do concurso e de todo o conteúdo programático.

Ele é uma tabela, separada pelas matérias do concurso, com absolutamente todos os temas listados e colunas para marcar o que já foi visto, o que precisa revisar, o que falta fazer questões…

Ou seja, o edital verticalizado nada mais é que o edital do seu concurso separado ponto a ponto!

A ferramenta pode ser usada para:

  • Organizar-se em relação às disciplinas
  • Acompanhar o progresso do estudo
  • Desenvolver uma agenda de estudo

Edital Verticalizado

4 – Flashcards

Revisão é uma das principais etapas do seu ciclo de estudo. Com elas, você tem uma melhor fixação do conteúdo e a manutenção dos temas em sua memória.

A utilização de flashcads pode ajudar (e muito!) nesse processo. Mas é preciso saber usar da maneira correta!

O flashcard é uma técnica de revisão que pode ser traduzida como um cartão de memória. Sua relação com os estudos pode ser entendida como cartão (card) rápido/instantâneo (flash).

Os flashcards funcionam como cartões ou fichas em que as perguntas são escritas na frente e as respostas, atrás. É importante que cada cartão contenha apenas uma informação (pergunta). Também pode conter imagens, sons ou sentenças.

Para concurso, é uma boa alternativa para melhorar seu aprendizado. Uma dica é fazer seu próprio cartão de estudo, pois no momento que você cria algo novo próprio, treina o seu cérebro para assimilar aquela informação quando precisar dela novamente.

5 – Áudio

A rotina de preparação do futuro servidor pode ser cansativa e é, certamente, corrida. Por isso, procurar alternativas além da leitura é boa opção.

Você já pensou em estudar usando áudios alguma vez na sua vida? Sim, isso mesmo, áudios, você não leu errado. Vale de tudo para otimizar o tempo de estudo com resultado. Aquela aula gravada ou uma teoria mais complicada de se guardar na memória.

A tecnologia veio para ser aliada na hora de melhorar o desempenho do estudo. Alguns pontos devem ser levados em consideração para que essa estratégia otimize o seu estudo, segundo a coach Deborah Cal.

Esses áudios podem ser gravações feitas por alguma ferramenta do celular como áudio do aplicativo de conversas, ou até um gravador convencional.

A coach Deborah Cal dá cinco dicas para estudar para concursos por áudio:

  • Observe se você é uma pessoa auditiva: verifique se você é capaz de reter a informação que escutou, afinal, não vai ajudar se o conteúdo gravado entrar por um ouvido e sair pelo outro.
  • Construa seus conteúdos: monte suas próprias gravações, pode ser lendo uma teoria ou resumo pronto feito por você. Vale também se for de algum material que você possua. Utilize esses áudios para estudar.
  • Esteja concentrado: derrube a ideia de que a matéria vai entrar por osmose de tanto você escutar. Esse é um ponto fundamental para obter os resultados com essa prática de estudo.
  • Utilize os áudios no trajeto do seu dia a dia: sabe aquela sala de espera de um médico, o trânsito no transporte público? Aproveite! Escute seu material, revise mentalmente, repita e organize os conteúdos na sua cabeça enquanto escuta os áudios feitos por você.
  • Procure por audiolivros: como a Constituição em áudio. Enriqueça seu material!

Caso o estudo por áudio não esteja ajudando você, não se preocupe. Algumas pessoas tendem a guardar e reter o conteúdo melhor de forma visual e escrita.

O importante é adaptar o estudo da maneira correta para você.

Estudar por áudio

6 – Técnicas para estudar leis

Essa é para quem vai prestar um concurso que tenha disciplinas de Direito. A Técnica Judiciária do TJ-RJ, Dayana Sales, deu as seguintes dicas:

  • Selecione a lei seca
  • Faça muitas questões
  • Marque os pontos que você ficou com dúvida nos exercícios
  • Faça anotações pontuais dos conteúdos que você destacou
  • Revise

Estudar leis

Estudar leis por áudio

A dica resume-se a gravar as leis em áudio, para você mesmo utilizar nos seus estudos. Mas atente-se ao tempo gasto para gravar as leis.

Às vezes os resultados são mais interessantes se você aproveitar esse tempo para realizar exercícios voltados para fixação ou de provas anteriores.

Seguimos com as dicas da coach Deborah Cal. Estudar legislação não é uma tarefa fácil. Porém, para fugir um pouco do método tradicional de leitura e memorização, a utilização do áudio pode ajudar no processo.

O importante é mensurar os resultados dessa técnica de estudo para concurso e perceber se está ajudando você a assimilar o conteúdo.

A dica resume-se a você gravar as leis em áudio, para você mesmo utilizar nos seus estudos. Mas atente-se ao tempo gasto para gravar as leis.

Porém, se quiser utilizar diferentes tempos do dia para revisar as leis, grave seu material para escutar posteriormente e tentar reter o conteúdo gravado.

Lembre-se, essa técnica não é uma regra, você precisa avaliar os benefícios que ela pode gerar!

7 – Revisão

Durante o estudo para concurso, a revisão é uma etapa fundamental. Através dela, você consegue fixar o conteúdo estudado.

Na hora de revisar, é muito comum que surjam dúvidas do que é importante priorizar. Um aliado importante nesse momento é o resumo.

No entanto, sair escrevendo tudo, de forma indiscriminada, não é a melhor forma de se resumir um conteúdo. Até porque, se tem tudo, não é resumo.

A coach para concursos Deborah Cal explica que, antes mesmo de começar a pensar nos estudos, revisões ou resumo, é necessário ter foco.

Quando você não define uma área específica para estudar, se torna mais difícil definir prioridades..

A especialista dá ainda quatro dicas fundamentais para fazer uma boa revisão

  • Faça provas anteriores
  • Mapeie os temas com maior relevância
  • Anote os assuntos que você tem maior dificuldade
  • Observe como cada banca cobra os conteúdos

Revisão

Lembrando que, a revisão não deve aparecer apenas quando a prova estiver próxima, mas durante todo o estudo! Esse processo, inclusive, vai te ajudar a superar a curva do esquecimento.

Afinal, o seu cérebro, ao longo do tempo, vai “desarmazenando” o que foi aprendido, pois ele não é capaz de reter toda a informação de uma vez.

Após 20 minutos, você vai ter esquecido cerca de 42% do que aprendeu. Depois de uma hora, mais da metade do conteúdo já foi esquecida (56%).

Passados 30 dias, 80% do conteúdo que você estudou é esquecido também.

Por isso é muito importante revisar sempre, viu?

E se você tivesse uma ferramenta para ajudar no controle das suas revisões? Você pode!

Comece a utilizar o Smart Planner agora e tenha um planejamento de estudos otimizado e automatizado.

Smart Planner Folha Dirigida

8 – Questões de concurso

Estudar por questões  é o melhor meio de comprovarmos o nosso rendimento e eficiência do estudo. É a nossa contra prova de que de fato aprendemos o que foi estudado.

Se você está se perguntando agora se deve estudar por questões ou teoria, a resposta é: estude pelos dois, pois eles se complementam.

Talvez você até faça questões durante o seu estudo e tudo o que foi lido até aqui pode parecer muito óbvio. Mas, sem mesmo que perceba, pratica outro erro dos estudantes de concurso que é não analisar as questões feitas.

Essa análise é fundamental. Ela se baseia em entender quantas questões erramos por assunto, qual o nosso rendimento e onde precisamos melhorar.

Alguns passos para estudar por questões de forma eficiente são:

  • Selecionar a banca
  • Estudar a doutrina
  • Fazer questões recentes primeiro

Algumas formas de estudar por questões são:

  • Fazer questões direcionadas
  • Provas anteriores
  • Simulados

Questões

Questões direcionadas

Estudar por questões pode ser um pontapé para aprender a teoria ou fixa-lá. Alguns dos benefícios são:

Questões ajudam a verificar se a teoria foi realmente compreendida e decorada.

  • Utilizar questões é uma forma de estudo menos cansativa.
  • Entender como uma determinada banca cobra uma teoria.
  • Estudar por questões funciona como uma revisão.

As questões direcionadas são nada mais que o caderno ou treino de questões elaborados por você.

Após estudar determinado tema de uma disciplina, você deve direcionar um caderno de questões somente sobre esse assunto.

É importante que essa lista de questões não seja realizada logo após o estudo dessa teoria. Você precisa de um tempo para testar se realmente gravou o conteúdo.

Lembre-se de elaborar seu caderno de questões a partir da de exercícios da banca escolhida para organizar o concurso de seu interesse. Assim, você também consegue identificar a forma que a banca cobra o conteúdo.

Provas anteriores

Será que você passaria no concurso anterior do seu interesse? As provas anteriores servem exatamente para diagnosticar isso.

Por meio delas também é possível mapear o grau de dificuldade, como os conteúdos são cobrados e ter maior noção de como você está em relação ao seu estudo.

Ainda que a banca tenha mudado, elas continuam sendo uma excelente ferramenta de estudo.

Simulados

A ideia central de um simulado de concurso público é fazer de conta que chegou o momento da sua prova. Parecido com o conceito das provas anteriores, porém com o uso de questões recentes.

Para fazer um simulado, tudo deve ser colocado igual: tempo de prova, número de questões, mesa, caneta, sua garrafa de água e por aí vai.

É o que permitirá você identificar os temas que ainda tem dificuldade e como está o seu aprendizado para o dia que for para valer. E o melhor: trabalhar o seu nervosismo e ansiedade.

Os benefícios de treinar por meio de simulados são:

  • Preparar-se psicologicamente para o momento da prova.
  • Identificar quais assuntos você ainda tem dificuldade e precisa estudar mais.
  • Funciona como uma lista de exercícios.
  • Ajuda a entender o formato das questões da banca organizadora.
  • Permite simular as condições do dia da prova.

O momento de errar é justamente no simulado! Por isso, se arrisque e treine bastante para que o seu número de erros seja o menor possível no dia que estiver valendo.

9 – Ensinar outras pessoas

É um dos passos da Técnica de Feynman. Criada pelo físico e ganhador do Prêmio Nobel, Richard Feynman, é uma técnica de estudos capaz de ajudar a aprender mais rápido assuntos, e que pode ser aplicada aos seus estudos para concurso público.

A técnica é dividida em quatro passos:

  • Escolher um assunto
  • Ensinar ou simular ensinar o tema para uma criança
  • Verificar suas dificuldades na hora de ensinar
  • Revisar

O método de estudos de Richard Feynman tem o objetivo de que os estudantes desconstruam os conceitos iniciais sobre um determinado assunto. Para, só depois, compreendê-los e reformulá-los mentalmente.

Técnica de Feynman

10 – Leitura dinâmica

A leitura dinâmica é uma técnica que tem como objetivo aumentar a velocidade de leitura a partir de processos de exercícios sequenciais e repetitivos, sem perder a qualidade da leitura e a compreensão.

Para ler de forma dinâmica, você precisa fotografar palavras, e não as sílabas – a leitura deve ser feita em blocos.

Ou seja, em um segundo, você vai conseguir ler 24 palavras ao invés de 24 sílabas.

O professor Juarez Lopes propõe um passo a passo para uma boa leitura dinâmica:

  • Leia sempre sentado em uma cadeira acoplada a uma mesa, com o livro apoiado na mesa e mantendo uma postura ereta;
  • Dê um objetivo ao estudo. Você pode fazer um inventário das dúvidas que o seu estudo busca solucionar;
  • Prepare o livro. Caso ele seja novo, você pode descolar as páginas que ficam presas;
  • Vire a página com a mão fraca (esquerda para os destros e direita para os canhotos), enquanto a mão forte deverá ser usada para guiar os olhos;
  • Após a leitura, volte a seu inventário de dúvidas e tente responder às perguntas;
  • Caso fique perguntas sem respostas, coloque-as num novo inventário de dúvidas para a próxima rodada de estudo.

11 – Ciclo de estudos

Você já tentou estudar por ciclo de estudos para concursos públicos? Se você ainda não conhece essa técnica de organização, chegou o momento.

Os ciclos de estudos para concursos públicos são um método de aprendizagem e gestão de tempo. A sua rotina é feita com base na sua disponibilidade, mas de forma otimizada.

Basicamente, as vantagens de estudar por ciclos de estudo para concursos são:

  • Estudar as disciplinas que você não gosta
  • Adaptar a sua rotina sem engessar o seu dia
  • Alternar as disciplinas
  • Aumentar a agilidade do seu raciocínio
  • Memorizar os conteúdos
  • Estabelecer melhores metas
  • Ficar mais motivado

O primeiro passo é escolher o concurso que você deseja realizar. Feito isso, procure o último edital e veja quais foram as disciplinas exigidas.

Você listará todas essas matérias. Caso queira estudar para mais de um cargo, você realizará o mesmo procedimento para todos.

Logo após, você começará a montar os seus ciclos com três matérias. Se o número de disciplinas não for múltiplo de três, não há problema. O último ciclo pode ficar com menos.

Tente agrupar por proximidade (semelhança) de conteúdo. Além disso, faça com que a primeira matéria do ciclo 2 seja próxima da última do ciclo 1.

Terminou uma do primeiro ciclo, “puxe” a outra mais semelhante do segundo ciclo para entrar no lugar dessa encerrada. Assim, você sempre estudará três matérias ao mesmo tempo.

Em seguida, é o momento de ver quanto tempo você tem disponível para estudar. Se você tem seis horas por dia, então você pode estudar três matérias por dia.

Com isso, já dá para começar a montar os seus ciclos de estudos.

Se você quiser mais sobre os ciclos de estudos, podem compreender melhor sobre a metodologia no curso Método Futuro Servidor.

Ciclos de estudo

12 – Youtube

A internet veio para ajudar na preparação para concursos públicos, para encontrar material e facilitar seu estudo. O importante é utilizar da maneira correta.

Como utilizar o YouTube?

Deborah Cal explica que é importante que você, antes de tudo, prepare seu estudo, defina os pontos a serem pesquisados e que precisará estudar. Definidos os pontos, procure pelos materiais.

Assista a apenas mais de um vídeo do mesmo conteúdo caso você tenha permanecido com dúvida ou não tenha gostado do material. Foque em otimizar o seu estudo!

Outra forma é definir os seus professores favoritos, assim você acompanha o material com maior segurança e realizando o controle do edital, marcando aquilo que você já assistiu.

Não deixe de fazer questões e procurar questões comentadas para aprimorar o seu estudo. No YouTube tem muita prova comentada, questões e tudo mais, feitas por alunos ou professores.

Aproveite esse mundo virtual, porém controle o seu estudo, não perca o foco e deixe tudo bem estruturado e pré-selecionado.

Já tentou estudar pela internet? Você, com isso, ganha tempo e consegue uma conexão ainda maior, pois pode voltar quantas vezes quiser. Você pode estudar de qualquer lugar do Brasil pela internet, então não tem desculpa. Hoje, encontram-se vários cursos de qualidade na internet, basta escolher o seu.

Algumas vantagens de estudar pela internet, segundo professor Guilherme Miziara, são:

  • Mais segurança, estudando de sua casa.
  • Não perder o tempo de deslocamento. E aí, também é poupado do estresse.
  • Evita a falta de produtividade. Você pode ver quantas vezes quiser a mesma aula.

Aproveite a tecnologia e faça com que ela jogue a seu favor!

13 – Técnica de Mnemônicos

Você sabia que dá para utilizar a palavra “limpe” ao seu favor? Essa palavra contém os princípios Constitucionais expressos do Direito Administrativo:

Legalidade
Impessoalidade
Moralidade
Publicidade
Eficiência

É um recurso para a memorização de conceitos mais complexos, por meio de palavras mais fáceis de se decorar. Que tal experimentar com o que você está estudando agora?

Mnemônicos

14. Crie suas próprias técnicas de estudo para concurso

Comentamos anteriormente sobre ferramentas que podem ser utilizadas, resumos, mapas mentais e textos. Agora, o suprassumo da situação é que novas atitudes levam ao sucesso.

A primeira coisa que você deve fazer é criar o hábito. E para criar esse hábito, é necessário que você desenvolva uma técnica própria.

Não existe a melhor técnica ou a técnica mais importante. Existe aquela que se adequa ao seu jeito de estudar.

A partir do momento que você tem autonomia do processo de aprendizagem, você fomenta um trabalho intelectual individualizado. O que seria esse trabalho intelectual individualizado? O seu material. Você vai criar sua própria biblioteca, a biblioteca individual do aluno.

Até aquele tradicional resumo que a gente vem utilizando desde a época da escola pode ou não funcionar para você. Então é simplesmente teoria do erro e do acerto.

Teste e veja qual delas funciona bem para você. O importante para você é criar o hábito. A prática correta está em estudar um pouco todos os dias e não deixar tudo para a saída do edital.

O segredo de todo e qualquer êxito em concurso público é estudar um pouco todos os dias e o segredo da vida é estudar sempre.

Em resumo, você deve observar quais técnicas de estudo para concurso existem e que mais funcionam para você, para a sua forma de aprender. Alexandre Prado resume a seguir:

Sublinhar

Trata-se de uma técnica de leitura. Só tem como sublinhar um texto se você conhecer o conteúdo por inteiro. Os maiores erros que as pessoas cometem é começar a ler o texto e já sair sublinhando.

Dica: procure aplicativos que ajudem a sublinhar textos em PDF, isso pode facilitar a prática desta técnica.

Esquematizar

O esquema é uma representação sintética do texto por meio de gráficos, códigos e palavras. Deve ser organizado segundo uma sequência lógica na qual aparecem as ideias principais e as ideias subordinadas.

Quais são as características de um bom esquema? Fidelidade ao texto, ou seja, ter ideias principais do autor do texto, adequação ao assunto estudado e utilidade.

Existem duas maneiras principais de elaborar esquemas:

  • Gráficos com chaves, colchetes ou colunas – cunho pessoal (levar em conta a maneira de ver os fatos).
  • Numeração progressiva, letras ou algarismos romanos.

Resumir

O resumo é uma condensação do texto no qual você apresenta as ideias essenciais. Para elaborar o resumo, devem ser usados os mesmos procedimentos indicados para sublinhar e para elaborar esquemas.

Quando você considerar relevante, faça transcrições de trechos do próprio autor, colocando-os entre aspas com o número da página entre parênteses.

Lembre-se, o resumo deve ser um compilado do texto, conter por volta de 10% do tamanho do texto total. Tente ser bem específico na criação dele.

O resumo enxuto não falta conteúdo, ele falta caracteres, digamos assim. Mas o conteúdo está ali, afirma a coach Deborah Cal.

Se você não consegue escrever pouco, a dica é fazer seu resumo – por mais que ainda seja quase uma cópia – e depois revisar tudo o que você escreveu.

As vantagens de um resumo curto e objetivo são:

  • Ganha tempo na elaboração do resumo
  • Exercita a memória
  • Melhora o raciocínio
  • Faz revisões mais ativas

E lembre-se: na hora da revisão, faça marcações destacando as palavras-chave e os assuntos mais relevantes.

Agora que você conhece melhor as técnicas de estudo para concurso, faça um teste e descubra qual se aplica a você!

Gostou das dicas? Acompanhe o Blog da Folha Dirigida para mais formas de facilitar os seus estudos! Você conhece alguma técnica que não mostramos aqui? Conta pra gente!


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *