fbpx

Como construir uma carreira no mercado Digital?

Compartilhe o conteúdo

*Autor convidado

Acertar na escolha da carreira não é uma tarefa fácil. Construir uma boa carreira no mercado Digital também não.

A escolha da profissão, a dedicação para adquirir conhecimento durante horas incontáveis de estudo cronometrado para tirar a nota máxima em uma prova, pode ser desgastante.

Em muitos casos, a necessidade de tentar várias vezes até atingir um objetivo, também. Mas quando existe um sonho profissional, tudo vale a pena!

As mudanças nas formas e relações de trabalho que ocorreram nos últimos anos têm feito com que muitas pessoas olhem para o mercado Digital em busca de oportunidades.

E as carreiras Digitais podem ser uma excelente alternativa até para quem presta concursos, já que muitas vagas exigem conhecimento especializado nas áreas de Marketing, Vendas, Programação e Design oferecem excelentes remunerações.

Três fatores estão se mostrando como determinantes para aqueles/as que decidem fazer um curso para trabalhar na área Digital. São eles:

  1. O meio Digital está em amplo crescimento, tem vagas que precisam ser preenchidas agora e, em muitos casos, a mão de obra especializada é escassa;
  2. A pandemia do Coronavírus adiou provas de concursos públicos que estavam marcadas e trouxe um cenário de incertezas nas novas contratações para cargos públicos nos próximos anos;
  3. Quem é concursando/a pode estudar para uma carreira Digital e continuar estudando para os concursos. Uma coisa não anula a outra!

Para apresentar melhor as perspectivas do mercado Digital, vamos falar sobre algumas mudanças que aconteceram nos últimos tempos.

Acertar na escolha da carreira e na trajetória profissional não é uma tarefa fácil. Construir uma boa carreira no mercado Digital também não

Acertar na escolha da carreira e na trajetória profissional não é uma tarefa fácil. Construir uma boa carreira no mercado Digital também não (Foto: Freepik)

O que mudou nos últimos anos e meses

Em menos de 10 anos, houve uma verdadeira transformação na sociedade e nas formas de trabalho, como nunca havíamos visto igual.

Empresas como Facebook, Google, Uber, WhatsApp, Netflix, iFood, Apple e outras gigantes da tecnologia revolucionaram nossa maneira de viver.

Você já pensou que ia ver seus pais ou avós conectados no Facebook ou chamando um/a motorista de aplicativo para ir ao shopping? Pois é, eles/as estão fazendo isso.

No setor da Educação, por exemplo, ótimos conteúdos estão em plataformas online e o/a concursando/a sabe disso, pois poucos/as têm tempo para deslocamentos, sala de aula, explicações repetidas e turmas com colegas que estudam em ritmos diferentes.

Esses são apenas alguns exemplos de como empresas do mercado Digital, seja no transporte, em mídia, redes sociais ou em educação, impactaram a sociedade.

E geraram também diversas oportunidades de emprego para quem está disposto/a a aprender e trabalhar, com vagas que precisam ser preenchidas para ontem!

Como a pandemia acelerou esse processo?

A pandemia do Coronavírus só acelerou um processo que já estava em andamento e em alta velocidade, inclusive obrigando o setor público a se movimentar e operar com o suporte da tecnologia. Quer um exemplo?

Hoje, por causa da pandemia, diversas prefeituras estão oferecendo aulas online para seus/suas alunos/as, diminuindo até mesmo a expectativa de contratação de professores/as para um futuro próximo.

O mesmo aconteceu com negócios que estavam estáveis e que, do dia para a noite, tiveram que se digitalizar.

Houve uma adequação de restaurantes, supermercados, academias, salões de beleza e até mesmo de empresas que organizam provas de corrida de rua. Tudo foi para o ambiente virtual.

Agora, se você não sabe, dá até para participar da Maratona de São Paulo na versão virtual, algo inimaginável há pouco tempo.

E quem está fazendo girar toda essa estrutura de virtualização e digitalização das empresas? Os/as profissionais digitais! Tudo indica que é um caminho só de ida, sem retrocessos.

Pelo menos em partes, muitos dos serviços e produtos continuarão sendo oferecidos em versões virtuais após a pandemia, uma vez que os/as consumidores/as estão se acostumando com a oferta.

Enfim, as novidades que o Digital trouxe estão latentes e são perceptíveis, você está vivendo nesse contexto de possibilidades e pode encontrar uma colocação profissional muito promissora.

Basta buscar conhecimento e desenvolver as soft skills e as hard skills necessárias.

Empresas como Facebook, Google, Uber, WhatsApp, Netflix, iFood, Apple e outras gigantes da tecnologia revolucionaram nossa maneira de viver

Empresas como Facebook, Google, Uber, WhatsApp, Netflix, iFood, Apple e outras gigantes da tecnologia revolucionaram nossa maneira de viver (Foto: Freepik)

Transição de um mercado tradicional para o Digital

As empresas digitais são bem diferentes das tradicionais, e nem se comparam com a máquina pública, famosa pela sua burocracia.

Os/as profissionais digitais são mais dinâmicos/as e o dia a dia de trabalho é repleto de desafios, novidades e aprendizados.

Como as tecnologias são sempre atualizadas, é natural que você também acompanhe este movimento para frente, depois que decidir em qual carreira Digital pretende atuar.

E a configuração da carreira tem diversos atrativos, pois está sendo sempre redefinida.

Se você realiza o seu trabalho da sua casa e isso faz bem, melhora sua qualidade de vida e aumenta sua produtividade, por que ir todo dia trabalhar na empresa?

Muitas vagas disponíveis na área são no sistema home office, com apenas alguns dias presenciais na sede da startup para algumas tarefas em grupo, por exemplo.

Os ambientes são mais descontraídos, com sala de jogos (também chamadas de sala de descompressão), mesa de bilhar e um videogame para distração.

Habilidades procuradas nos profissionais da área Digital

As empresas digitais valorizam a socialização entre os/as colaboradores/as e têm um perfil mais descontraído.

Diferentemente de um diploma em uma universidade renomada, as empresas dessa área querem saber se o/a candidato/a possui soft skills, que são as habilidades comportamentais, como por exemplo:

  • Colaboração
  • Espírito de liderança
  • Resolução de problemas
  • Facilidade para se relacionar com os/as colegas
  • Vontade de aprender mais sobre a área de atuação

E a estabilidade? A verdade é que, enquanto você for um/a concursando/a, existe por enquanto o sonho de um emprego estável, que nunca vai mandar embora, mas que você não sabe se vai fazer feliz.

Para muitas pessoas, a certeza de um posto fixo, sem chance de crescimento, e trabalhando das 8h às 17h30 pode ser sinônimo de felicidade.

Mas, em geral, os/as jovens profissionais se mostram mais felizes e realizados/as trabalhando de casa ou começando o expediente ao meio-dia, pois gostam de dormir até tarde e não ligam de realizar suas tarefas durante a noite.

Habilidades do profissional digital

Áreas com muito investimento

O mercado Digital está com muitos investimentos em áreas que merecem sua atenção. Veja:

Plataformas Digitais:

É a migração de um negócio físico para o ambiente digital, como as lojas virtuais. Antigamente, íamos até uma loja escolher uma roupa, hoje compramos pela internet.

Automação:

Os processos são automatizados por máquinas e robôs, tais como a portaria virtual, o caixa eletrônico que não tem mais envelope para depósito e outros processos que foram otimizados com o suporte do computador.

Machine Learning:

As máquinas aprendem o método humano de raciocínio e entregam respostas mais precisas. Pergunte algo para o Google agora mesmo e se surpreenda com a resposta.

E, claro, essa tecnologia está sendo implantada nos mais diferentes tipos de negócios!

Há ainda as redes sociais, os softwares, apps, a inteligência artificial, o desenvolvimento de soluções digitais, as novidades para casas inteligentes do futuro, os carros autônomos e muitas outras inovações que prometem revolucionar cada vez mais o ambiente de trabalho.

Que tal fazer parte de tudo isso?

Quais são as principais diferenças e os mitos da transição de carreira

A transição de carreira para o digital depende da sua decisão, da boa vontade e iniciativa para encontrar, dentre as áreas de atuação, qual é mais adequada ao seu perfil.

E idade? Profissão? Diploma? Faculdade?

Estes conceitos estão ligados ao método antigo de trabalho e não são adotados pelas empresas digitais, mas você vai ter que se preparar de outra maneira para conquistar uma vaga em uma startup, por exemplo.

O medo de não se adaptar também costuma ser frequente, já que a própria tecnologia é algo muito distante para muitas pessoas.

Mas podemos garantir que muitos/as profissionais digitais também não sabiam absolutamente nada quando começaram, e ainda estão aprendendo.

E sabe por que isso acontece? Veja um exemplo: a Uber foi criada em 2009 e começou a operar no Brasil em 2014, há apenas 6 anos!

Isso significa que, quem foi contratado/a para trabalhar lá, mesmo que seja um/a profissional digital com certa experiência, ainda está conhecendo o modelo de negócio da empresa conforme ela se adapta ao mercado nacional.

Ou seja, as empresas e os/as profissionais digitais estão no mesmo ritmo de crescimento e evolução, e, consequentemente, estão se estabelecendo e aprendendo juntos/as.

Diferentemente do que acontecia no meio tradicional, onde você disputava uma vaga em uma empresa centenária e super engessada.

Como fazer a transição para uma carreira no campo digital

O medo do julgamento das outras pessoas também costuma atrapalhar a transição de carreira para o digital. O que vão pensar de mim?

Na verdade, as pessoas que gostam de você vão apoiar sua decisão de fazer parte de uma área que não para de crescer.

E, como foi dito antes, é possível ser concursando/a para o resto da vida, mas isso não significa que você tenha que deixar de aprender novas habilidades ou fechar uma porta tão incrível, apenas por medo da opinião alheia.

Para fazer a transição de fato para uma carreira digital, considere os seguintes fatores:

  • Está plenamente satisfeito/a com sua carreira atual?
  • Acredita que sua profissão pode desaparecer?
  • Você está disposto/a buscar qualificação para uma área digital?

Vários outros motivos podem impulsionar você ainda mais para esse desvio assertivo no caminho profissional, como:

  • Insatisfação com o salário atual.
  • Dificuldade para conseguir um novo trabalho depois da demissão.
  • Desejo de começar algo novo, estimulante e diferente.
  • Necessidade de ter mais tempo para ficar em casa com a família.

Transição de carreira

Por que investir numa carreira digital?

Como o Digital existe e se desenvolve por causa da tecnologia, as próprias empresas que precisam de profissionais digitais oferecem conteúdos gratuitos sobre carreiras digitais e indicam parceiros para cursos completos sobre as principais áreas de atuação.

O curso de Carreiras Digitais da Gama Academy, por exemplo, é feito sob medida para quem pretende iniciar na área Digital e precisa de orientação para fazer a transição de carreira.

O conteúdo é completo, mostra quais são as profissões do presente e do futuro, quais são as principais características e como se preparar para elas.

Veja por quais caminhos você vai poder trilhar sua nova carreira!

✔️Conheça o Gama Start – Carreiras Digitais

Marketing Digital

No curso de Marketing Digital, você vai aprender do zero como se tornar um/a profissional com um bom salário fazendo anúncios e campanhas online no Google, Facebook, Instagram e outras ferramentas.

O conteúdo é completo e engloba jornada do/a usuário/a e funil de vendas em uma estratégia de blog, criação de conteúdos e elaboração de e-mail marketing, sites e comunidades na internet, geração de leads, análises e métricas online, SEO, SEM e outros módulos.

Tudo isso é muito novo para você? Não tem problema, certamente você vai adorar quando estiver aprendendo!

✔️Conheça o Gama Start – Marketing Digital

Dev e Programação

Essa também é uma área em amplo crescimento e com falta de profissionais especializados/as.

A formação deste/a profissional consiste em saber o que é programação, lógica e linguagens de programação, sistema GIT, e alguns códigos essenciais, como HTML e CSS.

O curso inclui conhecimentos de Estrutura de Dados e de JavaScript. O/a profissional trabalha na criação de interfaces para usuários/as online, sites, landing pages, apps, entre outras tarefas.

✔️Conheça o Gama Start – Programação

Vendas e Inside Sales

O processo de vendas pela internet é totalmente diferente de uma venda tradicional, feita no balcão de uma loja.

No curso, você vai aprender como se tornar um Top Performance em vendas, o que é Inside Sales e as habilidades comportamentais de um/a vendedor/a de sucesso.

Também vai saber quais são os principais frameworks de vendas, como usar Inbound Marketing e Inbound Sales na jornada do/a cliente, estratégias de Outbound Sales, relacionamento, pós-vendas, ferramentas e rotinas para ter ótimos resultados e bater todas as suas metas.

✔️Conheça o Gama Start – Inside Sales

Design

Para atuar como designer digital, os/as profissionais vão aprender como aplicar os conceitos de design para o ambiente virtual, para atender o público online.

O curso inclui design voltado para experiência do/a usuário em UX/UI, como prototipagem e Design System, metodologias de desenvolvimento, pesquisas e análises para criação de layouts, personas, mapa da empatia e plano de pesquisa.

O/a designer também vai aprender conceitos de acessibilidade, gamificação, jornada do/a usuário/a, UX Writing, criação de protótipos de produtos e testes, como praticar Wireframe e trabalhar com ferramentas como Figma, Adobe XD, Sketch e códigos como HTML e CSS voltados para design.

✔️Conheça o Gama Start – Design

Vem pra Gama!

Gostou das oportunidades e das carreiras digitais? Conte com a Gama Academy em toda a sua trajetória de transição de carreira para o mercado digital!

*Esse é um artigo criado por um autor convidado e suas opiniões são próprias, e não necessariamente refletem as ideias da empresa.


Sobre o autor

Guilherme Junqueira - Gama Academy

 

Guilherme Junqueira é fundador e CEO da Gama Academy. Estudou Administração de Empresas, foi trainee da Ambev, sócio de empresas de tecnologia e co-fundador da ABStartups. Foi indicado pela Revista Forbes como um dos 30 empreendedores com menos de 30 anos mais influentes do mundo e também eleito como um dos 10 empreendedores que mais contribuíram com o ecossistema brasileiro de startups.


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *