fbpx

Como começar a estudar para concursos de Tribunais?

Os concursos de tribunais têm diversos atrativos. Mas como começar a estudar para eles?

As posições vão desde os cargos de técnico, que tem como único requisito o ensino médio completo, à analista, com foco em diversas especialidades diferentes no nível superior.

Conversamos com os professores Leandro Ravyelle, que é técnico do Tribunal de Justiça da Bahia, e Ligia Carvalheiro, especialista em Enfermagem e analista do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, sobre como começar os estudos para a área. Confira!

concursos tribunais

Os concursos de tribunais têm uma grade de matérias básicas que são cobradas em quase todas as provas (Foto: Freepik)

O que estudar para concursos de tribunais?

Segundo o professor Leandro Ravyelle, os tribunais têm uma grade básica de disciplinas que são comuns a maioria dos editais. São elas:

Na parte de matérias específicas, aparecem o regimento interno no tribunal em questão, legislações e decretos específicos do órgão em questão.

A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa Com Deficiência, do Estatuto da Pessoa com Deficiência, também é costuma aparecer nas provas.

O candidato que deseja realizar concursos para tribunais também deve estar atento à possibilidade de haver uma prova discursiva. Enquanto para técnico judiciário não são todos os concursos que pedem, para analista, ela é praticamente certa.

Na área de Enfermagem, que é a especialização da professora Lígia, ela acrescenta as matérias de Enfermagem e de Legislação do SUS, que sempre estão presentes nas provas.

A dica dela é utilizar como referência os editais anteriores, ainda que de outros tribunais. Assim, quando sair um edital novo, basta atualizar os estudos com possíveis novas matérias ou conteúdos novos.

“Se a pessoa só vier estudando as matérias na rotina, na hora que abre o edital, é só um refinamento”, ela esclarece.

> Conheça o curso de técnico de Tribunais da Folha Cursos

Prova discursiva também pode ser cobrada

Já na discursiva, ela aconselha ficar de olho nas Atualidades, que caem junto com a parte técnica da área. A recomendação é de praticar pelo menos três redações por mês, acompanhadas pela correção de um profissional.

Para as redações para o cargo de técnico judiciário, o professor Leandro recomenda que o candidato também pratique com temas gerais de Atualidades, mas incluindo conteúdos específicos de Administração Pública, Direito Administrativo e Ética.

Módulo de AFO Folha Cursos

Como estudar para concursos de tribunais?

Como são muitas matérias, o primeiro passo é a organização, que Ligia Carvalheiro recomenda que se dê através de um ciclo de estudos.

Esse ciclo pode começar pelas matérias com maior peso, ter elas duplicadas no planejamento, com disciplinas que você tem mais dificuldade organizadas de forma em que ocupem os espaços do seu dia em que sabe que está mais disposto, ou até mesmo as dividir por grau de afinidade com o assunto.

São diversas as formas de organizar o ciclo, que ficam a critério das necessidades de cada um. O importante é sempre revezar as disciplinas, de forma a ter um estudo mais dinâmico e que abrace todos os conteúdos.

Porém, mesmo revezando, procure sempre terminar os tópicos dentro das matérias antes de partir para o próximo dentro da mesma disciplina. Dessa forma, evita-se acumular assuntos inacabados.

“O ideal é que o candidato tenha uma base sólida e consolidada dessa grade básica”, completa o professor Leandro. “Estar bem preparado e com uma boa quantidade de questões resolvidas já deixará o aluno em condições de brigar por uma vaga.”

Para quem está estudando para tribunais em geral, a dica do profissional é incluir matérias como o regimento interno do órgão apenas quando o edital estiver em vigor, para evitar possíveis confusões.

Já para aqueles que têm em mente um tribunal específico, dá para ter a matéria na sua grade fixa de estudos.

Ligia Carvalheiro também ressalta a importância de incluir revisões nos estudos, que podem ser através de questões e da leitura de grifos do material escrito durante o fim de semana. Também valem as anotações das videoaulas.

concursos de tribunais

Quais são os melhores concursos de tribunais?

Segundo o professor Leandro, os cargos mais disputados são os dos seis Tribunais Regionais Federais, devido às altas remunerações.

Por exemplo, o técnico judiciário federal, cargo de nível médio, tem ganhos de R$7.591,37, contando com o vencimento de R$3.163,07 e a Gratificação de Atividade Judiciária (GAJ) de R$4.428,30.

Já o analista judiciário do mesmo órgão, cargo de nível superior, começa ganhando R$12.455,30, sendo o vencimento base de R$5.189,71 e o GAJ de R$7.265,59.

Outras opções interessantes são o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Para a parte de Enfermagem, Ligia Carvalheiro aconselha focar nos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), onde há mais oportunidades para o ramo.

Ainda que não tenha um número tão grande de vagas e pouca rotatividade, vale a pena se dedicar para ganhar um dos melhores salários do Brasil.

O Poder Legislativo, mais especificamente a Câmara e o Senado Federal, também oferecem excelentes possibilidades.

Agora que você já sabe tudo sobre os concursos de tribunais, estude para técnico de tribunais com a Folha Cursos!

Curso Técnico dos Tribunais da Folha Cursos

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *