fbpx

Concurso PRF: conheça a carreira de policial rodoviário

Você já pensou em seguir a carreira de policial rodoviário federal? Uma realidade é que trabalhar na PRF é uma das grandes ambições de quem tem interesse em trabalhar na área da Segurança Pública.

Com remuneração superior a R$ 10 mil, a carreira de policial nessa instituição torna-se um atrativo a mais, além da missão de proteger as estradas brasileiras.

A novidade na área da Segurança Pública em 2020 é que a Polícia Rodoviária Federal enviou um pedido de concurso para policial.

Desse pedido, foram autorizada 1.500 vagas para início imediato e mais 500 vagas que deverão ser convocadas pelo Governo Federal, totalizando os dois mil novos policiais anunciados pelo presidente Jair Bolsonaro.

Inclusive, o edital 2021 já foi publicado.

Por isso, se você quer sair na frente dos demais candidatos, precisa saber tudo sobre o cargo e esclarecer suas principais dúvidas sobre o concurso de policial rodoviário federal.

Antes de trazer dicas sobre como você pode começar a sua preparação para o concurso da PRF, vamos responder algumas perguntas fundamentais sobre a carreira.

O que você precisa saber sobre o concurso da PRF?

O policial rodoviário federal é um cargo de nível superior, para qualquer formação, e possui remuneração inicial em torno de R$10 mil. Além disso, pode atuar em todo o Brasil, em uma das 550 unidades em todo o país.

Qual é a função da Polícia Rodoviária Federal?

A Polícia Rodoviária Federal foi criada em 1928 e passou por inúmeras mudanças até ter o propósito de realizar o policiamento ostensivo em cerca de 65 mil quilômetros de rodovias federais em todo o país.

Em seu início, era conhecida como a “Polícia de Estradas”. Com a Constituição Federal de 1988, a PRF passou a ser integrada ao Sistema Nacional de Segurança Pública.

A missão da PRF é garantir a segurança nas rodovias federais e áreas de interesse da União, realizando o patrulhamento, perícias, fiscalização, entre outras atribuições.

O decreto que define a competência da Polícia Rodoviária Federal é o decreto Nº 1.655, de 3 de outubro de 1995.

O que faz um policial rodoviário federal?

A principal atribuição da PRF é realizar a fiscalização e o policiamento ostensivo das rodovias federais, mais conhecidas como BRs.

O carreira de policial rodoviário federal, portanto, executa as atividades fim da PRF, como planejamento de operações, fiscalizações de trânsito e combate à criminalidade.

Vale lembrar também que, além da carreira de policial, a PRF também tem o cargo de agente administrativo que, por sua vez, é responsável por executar atividades administrativas e de apoio técnico.

Qual o salário de um policial rodoviário federal?

O salário inicial é de R$ 10.357,88, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

Qual a idade máxima para entrar na PRF?

Para fazer parte da PRF precisa ter idade entre 18 e 65 anos.

Quais são as etapas do concurso para policial rodoviário?

O último concurso para a carreira de policial rodoviário foi realizado em 2018. A banca organizadora foi o Cespe/UnB (atual Cebraspe) e contou com as seguintes etapas:

Primeira etapa:

  • Provas objetiva (120 questões) e discursiva (texto dissertativo de até 30 linhas)
  • Exame de capacidade física
  • Avaliação de saúde
  • Avaliação psicológica
  • Avaliação de títulos

Segunda etapa:

  • Investigação social
  • Curso de Formação Profissional

Como se preparar para a prova discursiva do concurso?

 

matérias PRF 2018Quais as matérias cobradas na PRF?

A prova terá 120 questões divididas em três grupos (bloco I – 55, bloco II – 30 e bloco III – 35). São elas:

Bloco I

  • Português
  • Raciocínio Lógico-Matemático
  • Informática
  • Noções de Física
  • Ética e cidadania
  • Geopolítica Brasileira
  • Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol)

Bloco II

  • Legislação de Trânsito

Bloco III

Para o concurso 2021, a disciplina de História da PRF – presente no concurso de 2018 – não estará na prova. Em vez disso, será cobrada Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol).

Comece a praticar com o simulado gratuito concurso PRF

PRF: onde trabalha o policial rodoviário federal?

O policial rodoviário federal pode trabalhar na Sede, em Brasília, em uma das das 27 superintendências regionais, 150 delegacias ou 413 unidades operacionais. Um total de mais de 550 unidades em todo o país.

Confira a análise do Concurso PRF 2021 feita pelos professores Eugênio Montoto e Marco Ferrari

Concurso PRF - conheça a carreira de policial rodoviário

Policial Rodoviário é responsável pelo controle nas vias do país (Foto: Divulgação)

Quanto tempo dura o curso para policial rodoviário federal?

O Curso de Formação Profissional dura aproximadamente três meses. O candidato matriculado no curso de formação terá direito a um auxílio financeiro, de 50% da remuneração da classe inicial do cargo de policial rodoviário federal, de acordo com o artigo 14 da Lei nº 9.624/1998.

Concurso PRF 2021: como funciona a lotação dos convocados?

Quais os requisitos para fazer o concurso da PRF?

Os requisitos exigidos para ingresso na carreira de policial rodoviário federal são:

  • Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa e, no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento do gozo dos direitos políticos.
  • Gozar dos direitos políticos.
  • Estar quite com as obrigações eleitorais.
  • Estar quite com as obrigações do Serviço Militar, para os candidatos do sexo masculino.
  • Não estar incompatibilizado para nova investidura em cargo público.
  • Ter, na data da matrícula no Curso de Formação Profissional, idade mínima de 18 anos e máxima de 65 anos.
  • Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo.
  • Apresentar o diploma de curso superior completo, em nível de graduação, devidamente reconhecido pelo Ministério da Educação, fornecido por instituição de ensino superior em situação regular junto àquele ministério.
  • Estar habilitado para dirigir veículo automotor, categoria “B” ou superior.
  • Ter sido aprovado em todas as fases e etapas do Concurso Público e classificado dentro do número de vagas.
  • Outros requisitos estabelecidos no edital do concurso, conforme as exigências das atribuições do cargo.

Concurso PRF concorrência: veja histórico da relação candidato vaga

O curso de tecnólogo é aceito para policial rodoviário federal?

Sim, desde que obedeça às diretrizes dispostas na Resolução CNE/CP 3 de 18 de dezembro de 2002, em seu Art. 4º.

Essa resolução institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia.

“Art. 4º Os cursos superiores de tecnologia são cursos de graduação, com características especiais, e
obedecerão às diretrizes contidas no Parecer CNE/CES 436/2001 e conduzirão à obtenção de diploma de
tecnólogo”.

O professor Alexandre Prado respondeu as principais dúvidas sobre o concurso PRF

Como é a avaliação de saúde da PRF?

A avaliação de saúde é eliminatória. É feita uma avaliação clínica do candidato e de uma série de exames médicos que o mesmo deverá apresentar.

No último edital, em 2018, constava que o laudo médico deveria ser apresentado no ato da posse, atestando a capacidade física e mental do candidato para exercitar as atribuições do cargo.

A inspeção médica poderia ser realizada apenas por um médico oficial, na modalidade de perícia oficial singular em saúde.

O laudo de inspeção, portanto, poderia ser emitido apenas por médicos oficiais que fossem vinculados aos serviços públicos, seja federal, estadual ou municipal. Isso inclui médicos das Forças Armadas, Polícias Militares e Corpos de Bombeiro Militar.

Na ocasião do concurso de 2018, os convocados tiveram que apresentar os seguintes exames:

  • Hemograma completo e VHS
  • Glicemia de jejum
  • Perfil Lipídico (CT, LDL, VLDL, HDL e Triglicerídios)
  • Dosagem de eletrólitos (sódio, potássio, magnésio, cálcio e cloretos)
  • Tipagem sanguínea – ABO e fator Rh
  • Ureia
  • Creatinina
  • V.D.R.L (sorologia para Lues)
  • Pesquisa para Doença de Chagas (imunofluorescência ou reação Machado e Guerreiro)
  • Exame de urina (E.A.S – elementos anormais e sedimentoscopia)
  • Exame parasitológico de fezes

Caso a pessoa não apresentasse o laudo de inspeção médica, o RH da Unidade que este seria locado deveria providenciar seu encaminhamento à alguma instituição apta para a realização da inspeção médica oficial.

exames PRF

Como funciona a investigação social para a PRF?

Segundo o edital de 2018, a investigação social tem como objetivo avaliar o comportamento e a idoneidade moral dos candidatos, ou seja, qualidades que recomendem o indivíduo à consideração pública, como honra, respeitabilidade, seriedade, dignidade e bons costumes.

São feitas investigações nos âmbitos social, funcional, cível e criminal para identificar se o candidato é compatível com o cargo da PRF.

Fatos e situações que podem caracterizar conduta social e/ou idoneidade moral incompatíveis com o cargo, de acordo com o edital de 2018, são:

  • Uso de droga ilícita de qualquer espécie.
  • Prática habitual do jogo proibido.
  • Habitualidade em descumprir obrigações legítimas.
  • Prática de ato tipificado como infração penal.
  • Demissão de cargo público ou destituição de cargo em comissão, no exercício da função pública, em qualquer órgão da administração direta e indireta, nas esferas federal, estadual, distrital e municipal, mesmo que com base em legislação especial.
  • Demissão por justa causa nos termos da legislação trabalhista.
  • Falsa, omissão de registro relevante sobre sua vida pregressa ou inexatidão dos dados declarados pelo candidato.
  • Contumácia em cometer infrações contidas no Código de Trânsito Brasileiro que coloquem em risco a integridade física ou a vida de outras pessoas.
  • Mandado de prisão em seu desfavor.
  • Reincidência na prática de transgressões ou faltas disciplinares.
  • Participação ou filiação como membro, sócio ou dirigente de entidade ou organização cujo funcionamento seja legalmente proibido ou contrário às instituições constitucionais ou ao regime vigente.

A investigação começa logo na inscrição do concurso público, passando pela primeira e segunda etapas, até o momento de nomeação.

Os candidatos aprovados na prova discursiva foram convocados para o preenchimento da Ficha de Informações Pessoais (FIP). Documento que serve para dar continuidade à investigação social e que deve ser mantido atualizado até o final do concurso.

Qualquer fato relevante para a investigação social que aconteça com o inscrito deve ser incluído no documento. Quem não preencher e/ou não enviar a FIP no prazo indicado no edital será eliminado.

Além da FIP, os candidatos tiveram que entregar documentos como certidões de antecedentes criminais, certidões de execução civil e fiscal, entre outros, na forma e momento definidos em edital de convocação específico.

Ao final da investigação social, o candidato é considerado recomendado ou não.

Como funciona a avaliação psicológica para policial rodoviário?

Para a avaliação psicológica são convocados os candidatos que forem considerados aptos na avaliação de saúde.

A avaliação consiste na aplicação e avaliação de instrumentos e técnicas psicológicas. O objetivo desta etapa é avaliar se o candidato tem características psicológicas que sejam compatíveis com o cargo.

Conforme listado abaixo:

  • Personalidade: controle emocional, empatia, liderança, tomada de decisão, dinamismo, comunicabilidade, planejamento, organização, relacionamento interpessoal, persistência, prudência, objetividade, criatividade/inovação, urbanidade, comprometimento, autoconfiança, assertividade, proatividade, entre outros.
  • Raciocínio: raciocínio espacial, raciocínio lógico, raciocínio verbal.
  • Habilidades específicas: atenção concentrada/sustentada, atenção dividida/difusa, memória visual.

A etapa também avalia requisitos que possam sejam impeditivos ou restritivos ao desempenho das funções do policial, como: agressividade inadequada e impulsividade exacerbada.

avaliação psicológica PRF

Como é a carreira de policial rodoviário?

Antes de tudo, a carreira de policial rodoviário na PRF é de atuação nas rodovias federais, e os profissionais devem zelar pela segurança destas. Não somente em questões relacionadas ao trânsito, mas também de Segurança Pública.

Segundo o policial rodoviário federal Guilherme Villar, as atividades podem variar muito de acordo com o local da lotação. Por exemplo, no caso dele, que está no Amazonas – onde também realizou as fases do concurso -, é um estado muito menos rodovias federais, visto que a maior parte da locomoção é feita por barcos.

No entanto, via de regra, o PRF pode atuar tanto em acidentes de trânsito quanto no descaminho e combate ao tráfico, de drogas a armas, além de diversas outras atividades relacionadas à segurança.

Em suma, a peculiaridade do trabalho varia bastante em função da localidade.

Quais são as habilidades necessárias para ser um policial rodoviário federal?

Para Guilherme Villar, um dos maiores diferenciais foi ter resiliência e controle emocional. Na véspera da prova, além de ter passado por uma cirurgia de emergência de cálculo renal, teve que lidar com o falecimento da avó. No TAF, chegou a fazer a prova com um estiramento na coxa.

Formado em Engenharia pela Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante (EFOMM), ele não fazia um concurso público desde 2001. Mas, com nove meses de estudo, conseguiu a aprovação no último concurso da PRF, em 2019.

Apesar da corporação ter apenas uma carreira, ela oferece um leque de possibilidades. Como operações penais, fiscalização de trânsito, direitos humanos, entre outras.

Portanto, desde que tenha o perfil para policial, é muito difícil o servidor não se encontrar dentro de uma das diversas áreas que englobam a PRF.

Qual a melhor forma de estudar para policial rodoviário?

O professor Alexandre Prado afirma que, na mesma medida que a informação está mais acessível, as provas estão cada vez mais difíceis. Portanto, a principal dica é buscar o conhecimento e o lapidar cada vez mais.

No caso de Guilherme Villar, na época que estava estudando, ele preferiu fazer um curso online durante a semana, como morava no interior, e um presencial aos finais de semana.

Dessa forma, conseguia revisar o que via de segunda à sexta e debater os conteúdos com colegas e professores.

Como tinha formação em Engenharia, preferiu dar ênfase nos estudos nas matérias de Direito. A princípio, ele teve muita dificuldade em Direito Administrativo. Por outro lado, se encantou com Direito Penal.

Outro fator importante para ele também foi ter encontrado seu próprio método enquanto estudava. Por exemplo, ele percebeu que funcionava melhor vendo apenas uma matéria por dia do que mudando a cada duas horas.

Além disso, outro grande diferencial foi fazer constantes revisões. Assim que via um conteúdo ele revisava 24 horas depois. Em seguida, na próxima semana, nos próximos 15 dias e, por fim, depois de um mês.

Com isso, chega uma hora que o estudo se resume apenas a revisão. Mas é nesse momento que o futuro servidor conseguirá se atentar para os pequenos detalhes que está errando e sanar suas dúvidas em pontos específicos.

Somado a isso, ele considera essencial ter um bom caderno, fazer muitos simulados e questões.

Quer assistir uma aula gratuita de Direito Penal para a PRF?

Como iniciar a preparação para o concurso de policial rodoviário?

Primeiramente, o policial e o professor recomendam aprender a dizer não para momentos que, muitas vezes, o futuro servidor terá que abdicar em prol dos estudos.

Em seguida, Alexandre Prado aconselha dividir o dia em 48 partes de meia hora. Dessa forma, o tempo para cada atividade renderá melhor.

É normal ter mais dificuldade no início. No entanto, com o tempo, estudar se torna um hábito. O que não dá é esperar as condições ideais para estudar, que nunca existirão.

Conforme o candidato estuda, os conteúdos ficam mais fixos em sua mente. Na hora de fazer os simulados, o número de acertos aumenta, o que também ajuda na motivação.

Dê o seu melhor. Não pelo próximo, mas por você. Acredite em você. Se eu consegui, por que vocês não podem conseguir?, questiona Guilherme Villar.

Além de investir em bons materiais, estudo e na gestão do seu tempo, o policial se imaginava todos os dias usando o uniforme da PRF. Até mesmo no banheiro colava post-its para se manter motivado.

Ele também aproveitava todas as oportunidades possíveis para estudar. Desde malhar ouvindo videoaulas até fazer questões em salas de espera de médicos.

Folha Cursos - PRF

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *