fbpx

Como se adaptar às mudanças no mercado de trabalho?

Compartilhe o conteúdo

O mercado de trabalho é mutável e já vem sofrendo mudanças para se adaptar à nova realidade. Com a impossibilidade de se trabalhar presencialmente, o home office se tornou rotina para diversas empresas.

Essa mudança provisória pode acabar virando o novo “comum”. Um estudo realizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) aponta que 30% das empresas brasileiras devem manter o trabalho remoto após a pandemia.

Mas não é só a forma de trabalhar que vai ser repensada. Em um mundo cada vez mais digital, algumas carreiras precisam ser reformuladas, enquanto, em contrapartida, surgem novas profissões, como as digitais.

Para quem quer se manter no mercado diante das novas tendências, a atualização de habilidades precisa ser constante. Conhecimentos em redes sociais e tecnologia, por exemplo, estão sendo exigidos para muitos cargos.

E os líderes e empresários também precisam se adaptar. Para contratar e gerir seus profissionais em um mundo digital, as empresas terão que repensar processos, estruturas e protocolos.

Como se adaptar às mudanças no mercado de trabalho

Com a impossibilidade de se trabalhar presencialmente, o home office se tornou rotina para diversas empresas (Foto: Freepik)

O que mudou no mercado de trabalho?

Um artigo do Fórum Econômico Mundial apontou cinco grandes mudanças que surgiram no gerenciamento da força de trabalho durante a pandemia (e que as empresas precisam ter no radar):

  1. Requalificação rápida, estimulando o aprendizado também de novas habilidades.
  2. Mudanças na capacidade de liderança e gerenciamento, indicando que liderança e cultura corporativa precisam focar em empatia.
  3. Cultura de confiança, transparência e abertura, já que o período exigiu de todos serem mais compreensivos, até porque estão todos encarando as mudanças juntos.
  4. Bem-estar individual e social, com a resiliência virando uma das prioridades da empresa.
  5. Trabalho de uma maneira mais ágil, provado pela rápida adaptação que pessoas no mundo todo passaram para se adequar ao “novo normal”.

Mas o que efetivamente vai mudar na realidade dos empregos?

O que irá mudar nas estruturas de trabalho?

As estruturas de trabalho certamente serão afetadas nos próximos anos.

Segundo Ademir Bueno, professor dos cursos de Gestão Estratégica Empresarial e Administração do Centro Universitário Internacional Uninter, “as mudanças ocorrerão na estrutura física, de organogramas e fluxogramas. Claro que isso não cabe para todas as empresas, nem de todos os tamanhos e segmentos”.

E uma dessas mudanças, que inclusive já foi implantada de maneira definitiva por diversas empresas no mundo todo é o home office.

Com isso, o professor Ademir Bueno aponta que haverá novas relações, novas estruturas e maior flexibilidade, já que haverá dias de trabalho em casa e presenciais.

O professor ainda conta que, a tendência é que se perceba o trabalho a distância de forma mais positiva do que se via até então.

“Muitos torciam o nariz quando se aventava instituir o home office. Hoje, entretanto, empregados e empregadores, com certeza, já pensam diferente. Não cabe discutir se o trabalho remoto é positivo ou negativo ainda, mas sim que foi possível e que foi factível fazer a alteração do local e tipo de trabalho executado até então”, completa o professor.

Notícias e vagas de empregos por todo o país no site da Folha Dirigida

Como as tecnologias podem influenciar nessas mudanças? 

O professor Ademir encara de forma positiva a influência das novas tecnologias nas mudanças nas estruturas de trabalho. Isso porque são elas que vão ditar a execução das funções e também as relações das pessoas.

É quem tem o papel principal nesse panorama.

Resta identificar, nesse momento, quais são as que estão disponíveis para uso e as que ainda precisam de investimentos ou pequenos ajustes para servirem de maneira eficiente.

“Ficou claro o quanto somos dependentes delas e como nos tornaram independentes de uma cadeira e uma baia dentro da empresa para produzirmos. Essa área, a de TI, aliada à gestão de pessoas, conquistará grandes espaços em um breve futuro”, afirma.

Quais profissões poderão trabalhar de casa?

Uma análise feita pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta que, no Brasil, o home office poderá ser adotado em até 22,7% das ocupações nacionais.

Isso representa mais de 20 milhões de trabalhadores, o que colocaria o Brasil como o 2º país da América Latina em número de trabalho remoto e 45º do mundo.

Com maior probabilidade de trabalhar de casa, estão:

  • Cientistas
  • Diretores
  • Gerentes
  • Técnicos
  • Profissionais de nível médio

Por outro lado, segundo a pesquisa, o teletrabalho pode ser considerado mais difícil para trabalhadores que necessitam de um local fixo e/ou operação de máquinas e veículos, como profissionais da agropecuária, por exemplo.

Profissões que terão mais probabilidade de trabalhar de casa

Como manter a sensação de pertencimento trabalhando de casa?

Bueno explica que se os funcionários já possuíam esse sentimento de pertencimento, as empresas vão encontrar outros caminhos para manter.

Porém, se esse sentimento não existia no trabalho presencial, de forma remota só vai ficar ainda pior, caso nada seja feito.

Essa é uma responsabilidade dos líderes, que deverão pensar em formas de mostrar que a empresa se importa com o colaborador, mesmo ele trabalhando em casa.

A tecnologia deve ser utilizada como aliada para se adaptar às mudanças no mercado de trabalho. Segundo o professor, “ela é que vai permear a execução do trabalho e as relações entre as pessoas”.

Como se adaptar às mudanças no mercado de trabalho?

O professor pontua que é preciso refletindo sobre a única certeza que temos, que é a mudança, afinal, tudo muda o tempo todo.

Neste momento, as mudanças foram abruptas, mas aos poucos os colaboradores irão encontrando seu espaço nesta nova realidade. Somos seres adaptáveis, explica Ademir Bueno.

Entre as habilidades necessárias para se adaptar ao mercado, estão:

  • Paciência
  • Flexibilidade
  • Capacidade de adaptação a mudanças
  • Capacidade de continuar aprendendo
  • Colocar em prática esses novos conhecimentos

É preciso ter em mente que vai ser necessário se adaptar e seguir em frente, mesmo com as mudanças, a vida continua.

Habilidades necessárias para se manter no mercado de trabalho


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *