fbpx

Saiba como organizar seus estudos para concursos

De antemão, muitos estudantes têm dúvidas sobre qual é a melhor forma de organizar seus estudos para concursos públicos. No entanto, a verdade é que a resposta para essa dúvida pode variar bastante.

A princípio, os fatores para um planejamento ideal englobam desde a rotina diária até hábitos de cada estudante. Portanto, é preciso atenção redobrada na hora de iniciar sua trilha de futuro servidor.

Segundo o professor Marco Ferrari, apresentador do programa Desafio Aprender, no Instagram da Folha Dirigida, antes de organizar seus estudos para concursos, é importante definir quantas horas no cotidiano.

Só assim dá para montar um ciclo de estudos e o aplicar com eficiência.

Ele explicou como fazer o seu cronograma semanal e concluir as horas do dia que você tem disponível para estudar. Você pode tanto conferir o bate papo, que ficou gravado no IGTV da Folha Dirigida, quanto ler aqui um resumo da explicação, ok?

Organizar os estudos para concurso

Para montar seu plano, um passo importante é fazer uma análise completa do edital (Foto: Pixabay)

Como organizar os seus estudos para concurso?

De acordo com o professor Marco, algumas das maiores falhas na preparação estão na falta de organização. Às vezes, pequenos ajustes nela já podem beneficiar muito o estudo e alavancar a performance do futuro servidor.

No caso de organizar os seus estudos para concurso, o segredo é a consistência. Como se fosse a corrida de uma maratona. O atleta não gasta toda a sua intensidade na largada. Mas sim distribui a sua energia para ao longo do percurso.

Muitas das vezes, a quebra dessa consistência está relacionada à dificuldade de conciliar outras atividades além dos estudos para concurso. Por exemplo:

  • Vida pessoal
  • Trabalho
  • Faculdade
  • Família

Mesmo quando tem tempo disponível, acontece com frequência da pessoa estar sentada estudando, mas como a cabeça nesses outros aspectos da vida.

Quantos de vocês já não se pegaram olhando para tela ou lendo uma apostila e perceberam que durante muito tempo a cabeça de vocês já não estava mais lá?, questiona o professor.

Nesse aspecto, uma preparação mais focada, organizada e direcionada pode ser a solução. Mesmo em casos em que o futuro servidor não tem muitas horas líquidas disponíveis, ao colocar foco no tempo que ele tem, pode se sair melhor do que quem tem mais momentos livres para estudar.

Qual a melhor técnica de estudo?

Portanto, não existe uma técnica de estudos melhor do que a outra. Mas sim a que funciona melhor para você.

Em resumo, é preciso:

  • Compreender como pegar o ciclo de estudos e jogar na rotina
  • A ordem das disciplinas dentro do ciclo
  • Como e com que frequência fazer uma autoavaliação do seu desempenho
  • Revisar o cronograma todo domingo

No entanto, antes de ter um cronograma de estudos, é necessário ter um do seu dia a dia. Assim, será possível entender quais são os horários disponíveis para estudar. Da mesma forma, como distribuir esses estudos.

O professor Marco ensina como montar o seu cronograma semanal em quatro passos.

Primeiro passo

Quais são as suas obrigações independentemente dos estudos? Por exemplo, quem tem filho em casa, devido a pandemia, tem uma parte do seu dia ocupada por ajudar a criança com os afazeres escolares. Em conclusão, essa é uma obrigação.

Segundo passo

Aqui, o futuro servidor definirá quanto tempo de cada dia é ocupado por trabalho ou alguma outra atividade equivalente. Quantas horas você gasta trabalhando?

Terceiro passo

Nessa etapa, é hora de anotar os horários gastos com lazer. Quem almoça todo final de semana com a família, por exemplo, já pode considerar esse um horário de lazer. O mesmo valerá para outras atividades do gênero.

Quarto passo

Por fim, feitas essas anotações, o futuro servidor enxergará quais são as horas livres que tem para estudar. A partir daí poderá definir o seu cronograma de estudos.

Um grande mito que pega muitos candidatos é que, necessariamente, é obrigatório ter uma quantidade de horas de estudo igual todos os dias. Nem sempre.

Marco Ferrari lembra de uma aluna que orientou que era aeromoça. Devido a profissão, o cronograma dela mudava a cada três dias. Ainda assim, ela estava sempre se adaptando à nova rotina.

Por exemplo, um cronograma de estudos possível seria:

  • Segunda à quinta: três horas de estudo
  • Sexta: duas horas de estudo
  • Sábado e domingo: cinco horas de estudo

Também não é uma obrigação que os finais de semana sejam necessariamente o dia reservado para descanso. Por exemplo, para muitas pessoas, a segunda-feira acaba sendo o dia de trabalho mais intenso, por ser um momento de muitas reuniões. Em casos como esse, por que não descansar dos estudos na segunda?

Em conclusão, vai sempre depender da rotina de cada um!

Como organizar o tempo dos seus estudos para concursos?

Nesse contexto, o maior erro de todos é querer fazer um cronograma de estudos sem fazer um cronograma de vida. Se uma pessoa decide começar a malhar, a primeira coisa que fará é ver na sua rotina qual horário tem disponível para frequentar a academia. Não que horas ela gostaria.

O mesmo vale para os estudos.

Querer encaixar uma rotina de estudos ideal só causará frustração. Afinal, não adianta pegar um cronograma pronto na internet que propõe 20 horas semanais, sendo que você só tem 10 horas disponíveis, por exemplo.

Além disso, ter mais tempo livre para estudar não significa ter necessariamente mais horas líquidas.

Por exemplo, uma pessoa que tem cinco horas livres, mas só estuda duas, está no mesmo nível que alguém que tem só duas horas livres e estuda durante esse tempo todo.

“A jogada é quanto você rende, não é quanto tempo livre você tem”, justifica Marco Ferrari. “Mais tempo livre não vai te aprovar. Mais tempo de estudo vai te aprovar.”

Como organizar seu ciclo de estudos para concursos?

Primeiramente, o ciclo de estudos é a ordem que você vai dispor as disciplinas para estudar. Por exemplo, em três horas diárias, seria uma possibilidade distribuir uma hora para cada disciplina:

Esse ciclo semanal – a cada semana, a ideia é que mudem as disciplinas – não precisa ter necessariamente três matérias. No entanto, Marco Ferrari recomenda não ultrapassar quatro.

A ideia também não é estudar as três matérias em um único dia sete vezes na semana. Mas sim passar pelos conteúdos das três, semanalmente.

Já na reta final se, por exemplo, o seu concurso tem 12 matérias, aí sim o seu ciclo de estudos incluirá todas elas.

Para organizar o ciclo de estudos para concursos, deve-se levar em conta dois fatores: quantidade de matérias e proporção da cobrança dessas matérias. Inclusive, outro mito é de que o futuro servidor deve estudar todas as disciplinas na mesma intensidade.

Marco Ferrari lembra de um colega que na reta final do concurso da Receita Federal abriu mão de estudar Português. Como era uma disciplina que tinha dificuldade e menor peso, preferiu focar em matérias como Contabilidade, que tinham maior peso e ele, mais facilidade.

Com essa estratégia, conseguiu a aprovação em um concurso extremamente concorrido.

Conforme o futuro servidor percorre a jornada nos estudos, ele percebe quais matérias são as mais fáceis e mais difíceis para ele. Com isso, consegue fazer ajustes e, aos poucos, priorizar mais tempo para o que tem mais dificuldade.

Quando aprende aquele assunto, ele consegue substituir por outro que ainda seja um desafio e assim por diante.

Como aplicar o ciclo de estudos no dia a dia

Outro mito famoso é de que existe um momento ideal para se estudar. Quando o ar condicionado estiver ligado, com uma luz específica, um certo horário, e outros fatores.

Claro que ter um espaço e tempo para fazer um estudo mais focado faz diferença. No entanto, essa não é a realidade da maior parte das pessoas na maior parte do tempo. Em virtude disso, faz-se necessário encontrar pequenas brechas na rotina.

Por exemplo, na sala de espera do dentista ou durante a revisão do carro. São minutos em que se dá para ouvir uma videoaula curta ou até mesmo resolver uma questão.

Esse tempo pode e deve ser aproveitado e incluso no cronograma diário. Até mesmo enquanto treina para o TAF, se esse for o caso, o estudante pode estar ouvindo um material.

Agora você já sabe como organizar seus estudos para concursos, futuro servidor? Continue acompanhando o Blog da Folha Dirigida para mais dicas de preparação!

Meu Primeiro Concurso Público

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *