fbpx

Como fazer uma transição de carreira?

Compartilhe o conteúdo

Já aconteceu de você iniciar uma profissão, mas, ao longo do tempo, percebeu que não era aquilo que você queria? Talvez seja o momento de uma transição de carreira.

Antes de tudo, saiba que você não está sozinho nessa. A questão aqui é saber dar a volta por cima e iniciar uma nova trajetória.

Se você faz parte desse grupo e quer saber como começar essa mudança, o coach e especialista em RH do Gran Cursos Online, Eduardo Cambuy, tem algumas dicas que ajudarão na sua transição de carreira.

Já aconteceu de você iniciar uma profissão, mas, ao longo de tempo, percebeu que não era aquilo que você queria?

Já aconteceu de você iniciar uma profissão, mas, ao longo de tempo, percebeu que não era aquilo que você queria? (Foto: Freepik)

Como se planejar para uma transição de carreira?

Para iniciar o planejamento de transição de carreira, Eduardo explica sobre a necessidade de analisar os três pontos seguintes:

1. Emocional

Quando se está insatisfeito, é normal que você queira romper com o que traz essa sensação. No entanto, antes de tomar uma decisão, é necessário analisar como está o seu emocional.

A “heurística” é um processo cognitivo que permite a tomada de decisão “não racional”. Sabe quando você faz algo por impulso, no calor da emoção?

Pois esse tipo de decisão acelerada – ou de “cabeça quente”, como é popularmente conhecida – não é a melhor maneira para se tomar uma atitude.

2. Custo-benefício

O custo-benefício não deve ser analisado apenas nas compras. Antes de fazer uma transição de carreira, é preciso fazer esse tipo de análise.

Alguns pontos precisam ser levados em consideração, como a própria posição geográfica que a mudança vai causar.

Por mais que a remuneração não seja o fator principal da sua mudança, você precisa entender quais os impactos diretos e indiretos que ela causará.

Se o seu novo emprego for do outro lado da cidade, por exemplo, o seu custo com passagem é um ponto, por ser maior, além do tempo que será gasto no caminho.

Caso você precise se mudar para um local mais próximo, precisa entender como isso vai afetar suas relações e outras atividades.

3. Qualidade de vida

O terceiro ponto é a qualidade de vida. O especialista explica que esse quesito pode também impactar na análise de custo-benefício.

Nesse momento, você estabelecerá uma visão geral que a transição de carreira proporcionará à sua vida.

Pense quais são os fatores que proporcionam uma boa qualidade de vida para você e veja se permanecerão após a transição.

Pontos que devem ser levados em consideração em uma mudança de emprego

Como fazer a escolha de uma nova carreira?

Segundo o coach, há basicamente três tipos de carreira: por escolha, por necessidade e por vocação.

Sabe aquela profissão que você sonhava na infância e decidiu segui-la? Pois essa é a carreira por escolha.

Porém, o especialista chama atenção para o fato de que nem sempre se é tão bom naquilo que gosta, e isso pode resultar em uma necessidade de migração.

Já a carreira por necessidade, como o nome já diz, é aquela que não leva em consideração preferência ou gosto, mas sim somente a oportunidade que surge.

Nesse tipo de ocupação, Cambuy conta que geralmente há uma rotatividade maior de profissionais.

A última é carreira por vocação, que é aquilo que você nasceu para fazer. Alguns cargos acabam afastando quem não é vocacionado para a profissão.

É o caso do policial, por exemplo. Por mais que você tenha admiração pelo tipo de profissão, “o simples fato de gostar não irá te sustentar nela”.

Portanto, para fazer a escolha de uma nova carreira, é preciso avaliar os aspectos mencionados acima.

Estabeleça também quais são os seus propósitos no novo trabalho. Dessa forma, será mais fácil realizar os próximos passos da sua mudança.

O que posso fazer para mudar de emprego?

Antes de tomar uma atitude e pedir demissão do seu emprego atual, Eduardo Cambuy aconselha que você verifique as oportunidades existentes em outras empresas.

“Por vezes, a falta de conhecimento real da situação do mercado tem frustrado diversos trabalhadores, levando a arrependimentos e desestímulo na profissão”, comenta.

Segundo o especialista, você pode começar fazendo um “benchmarking pessoal”, que nada mais é do que uma estratégia de desenvolvimento.

O benchmarking é bastante usado para empresas, negócios e produtos, mas pode ser feito para desenvolver pessoas também.

Sabe aquele profissional que você admira? Tente estudar quais são as habilidades e competências que essa pessoa tem.

Aliado a isso, você também deve “estabelecer alguns parâmetros mais confiáveis antes de tomar essa decisão”, afirma o especialista.

Tente analisar o novo mercado de trabalho que você deseja ingressar, levando em consideração os pontos de frustração no seu emprego atual.

Outra dica é sempre se manter capacitado, pois isso pode aumentar suas potenciais realocações.

O que deve motivar essa mudança de emprego?

O coach explica que a motivação é algo pessoal. Inicialmente, é preciso entender o que leva você a querer mudar de emprego.

Para isso, o autoconhecimento é fundamental. Procure saber se o motivo da sua frustração vem da empresa, do tipo de trabalho ou se é algo com você.

“Se o problema está com você, ele irá junto. Conheça-se!”, aponta Cambuy.

Notícias e vagas de empregos por todo o país no site da Folha Dirigida

O que responder quando perguntam porque quer mudar de emprego?

Durante a entrevista de emprego, é comum que o recrutador, ao ver que você está saindo de uma empresa, pergunte sobre o motivo da mudança.

Você pode responder: “Busco algo melhor para mim”. Segundo Eduardo, essa resposta contempla três aspectos importantes:

  1. Respeito à empresa atual.
  2. Personalização da vontade.
  3. Crescimento pessoal e qualidade de vida.

Com isso, você conseguirá mostrar ao recrutador que mantém uma relação de respeito e gratidão com a empresa que o deu oportunidade.

Além de transparecer que a decisão é fruto de uma vontade própria e que é planejada para o seu próprio desenvolvimento.

Como decidir entre duas ofertas de emprego?

Se você já está decidido sobre qual área deseja migrar, já fez um estudo de mercado e tem as habilidades necessárias, então é o momento de começar a buscar o novo emprego.

Caso aconteça de ter que escolher entre duas ofertas de trabalho, o especialista explica que essa decisão pode ser relativa e depende do que faz mais sentido para você.

Isso quer dizer que não há uma regra para decidir, você precisa se guiar pelo que é melhor, não só profissionalmente, mas também para a sua vida pessoal.

Para algumas pessoas, as características do cargo podem ser um fator essencial, enquanto para outras o salário é o ponto de maior destaque.

Como essas questões são individuais e relativas, a dica que o especialista dá para ajudar no processo de escolha é fazer uma matriz comparativa.

Você estabelecerá quais são os critérios significativos para você e atribuirá os seguintes pesos:

  • Essencial (o que não pode faltar).
  • Relevante (pode faltar, mas se tiver é positivo).
  • Indiferente (não afetará a sua decisão).

Categorize os pontos de cada uma das vagas e atribua os pesos mencionados acima. Ao final, vai ser possível mensurar qual oportunidade faz mais sentido para você.

Existe uma hora certa para pedir demissão?

O especialista conta que o momento é quando há algum prejuízo para a sua saúde física, mental e/ou emocional.

Ele explica que o emocional pode trazer problemas como: gastrite, úlcera, taquicardia, depressão, síndrome de pânico, entre outros.

Para conseguir trabalhar, você precisa estar saudável. Portanto, o coach aconselha: “vise sua saúde sempre!”.

Como pedir demissão da empresa atual?

Após conseguir o novo emprego, chega o momento de combinar o seu desligamento da empresa atual.

O pedido de demissão é uma questão delicada e deve ser feito com bastante clareza e maturidade.

Segundo o especialista, a comunicação é fundamental para evitar distorções que podem acabar o prejudicando de alguma forma.

Por isso, ele lista os seguintes passos que ajudadão a sair da empresa da maneira mais tranquila possível:

  1. comunique o empregador;
  2. dê oportunidade para que seja contratado um sucessor para o seu cargo;
  3. termine suas atividades antes da mudança;
  4. esteja aberto a críticas e sugestões;
  5. apresente-se;
  6. otimize seu tempo;
  7. demostre interesse em novas atividades;
  8. foque no interesse do empregador e alie-o aos seus;
  9. deixe as portas abertas;
  10. olhe para trás.

Sobre o último ponto, olhar para trás, segundo o coach, é uma forma de confirmar ou até mesmo reconsiderar sua decisão, sem orgulho ou vaidade.

Somos imperfeitos e temos direto de errar ou acertar, mas nunca deixe de tentar, o que importa é sua felicidade, finaliza.

Passos para efetivar o desligamento da empresa atual


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *