fbpx

Como a ciência pode ajudar no processo de aprendizagem?

Compartilhe o conteúdo

Você já deve ter se perguntado se a ciência pode ajudar no processo de aprendizagem. Ou se há alguma técnica para aumentar a sua chance de passar em concursos, certo?

Primeiro de tudo, você deve saber que seu sucesso vai depender antes de mais nada da sua própria dedicação.

Mas calma, existem estratégias sim para potencializar o seu aprendizado. E a ciência e a tecnologia estão aí para ajudar você.

Quer saber como?

FUTURO-SERVIDOR-RICARDO

Como a ciência pode ajudar no processo de aprendizagem?

A aprendizagem, como qualquer outro campo de conhecimento humano, é estudada por várias pessoas o tempo inteiro.

Há uma série de estudos científicos que têm como objetivo entender como as pessoas podem aprender melhor.

E um dos principais pontos levantados é o conceito de um esforço consciente, no qual os melhores resultados surgem a partir do esforço correto e não em excesso.

Estranho pensar dessa forma, não é?

Fomos criados para achar que quanto mais nos esforçamos, melhor será o nosso resultado. Mas nem sempre é dessa forma. E a ciência explica isso.

Exemplo: Se você estuda 12 horas por dia uma matéria e outra pessoa estuda a mesma durante alguns dias, mas por duas horas por dia, quem você acha que vai ter o resultado melhor?

Possivelmente, você vai olhar para a pessoa e falar “ele/ela não está se forçando, eu vou me dar muito melhor que essa pessoa numa prova”.

Só que a ciência vai dizer que isso pode não acontecer. Tudo depende de ter uma boa estratégia.

Como ter um estudo eficiente?

Baseado em estudos científicos, o psiquiatra William Glasser afirma que os três passos principais para um estudo eficiente são: ler a teoria, fazer questões e ensinar.

Pode parecer um pouco óbvio, não é mesmo? Mas a verdade é que muitos estudantes focam apenas em ler o conteúdo.

De acordo com a Pirâmide do Aprendizado de William Glasser, do NTL Institute, em Bethel – Maine (EUA), ler representa reter apenas 10% de tudo que foi estudado por esse método.

Abaixo, você pode ver como outras técnicas de estudos podem ajudar no seu aprendizado, baseado em dados científicos:

  • Ler: 10%
  • Escutar: 20%
  • Ver: 30%
  • Ver e escutar: 50%
  • Conversar, perguntar, repetir, reproduzir, definir e debater: 70%
  • Praticar: 80%
  • Ensinar aos outros: até 95%

O que quereremos dizer com isso?

Que existem diversas teorias que afirmam que você precisa construir o seu conhecimento com vários estímulos.

Mas, no final das contas, ensinar os outros é quando você tem mais garantia de que absorveu todo aquele conteúdo.

Absorver é diferente de reter conhecimento

Percebeu que falamos acima de absorção e não retenção de conhecimento?

É porque são duas coisas diferentes. Analisamos qual a melhor maneira de aprender um conteúdo. Só que não basta somente entender e absorver.

É preciso reter, ou seja, memorizar esse conteúdo para depois utilizar quando for preciso, em uma prova de concurso, por exemplo.

Como reter um conteúdo?

Um dos estudos mais famosos e que mudou de fato o que a gente entende de aprendizagem, foi o do psicólogo Hermann Ebbinghaus.

Primeiro autor na Psicologia a desenvolver testes de inteligência, ele criou um experimento denominado Curva do Esquecimento, na qual, quando aprendemos alguma coisa imediatamente, estamos com 100% daquilo fresco na nossa memória.

Só que infelizmente o cérebro não funciona com um computador, então não conseguimos guardar indefinidamente as informações dentro dele.

O nosso cérebro tem um limite e precisamos passar para ele o que deve ser armazenado e vai ser útil.

Mas como funciona a Curva do Esquecimento?

  • Após 20 minutos já esquecemos ou não lembramos mais de cerca de 42% do que aprendemos naquele período.
  • Depois de uma hora, já não lembramos mais da metade do conteúdo, ou seja, só retemos 44%.
  • Quando chegamos por volta do trigésimo dia, só retemos por volta de 20% do assunto que estudamos os 30 dias anteriores.

Isso parece assustador, certo? Às vezes estudamos dez horas e no final das contas talvez só retemos duas horas daquele esforço todo depois de 30 dias.

Por isso, não basta você estudar sem ter um esforço consciente, inteligente. Não adianta você simplesmente sair estudando e tudo que você estudar depois de 24 horas ir para o lixo do seu cérebro.

É preciso ter uma tática, um método científico para que isso não aconteça. Uma boa estratégia é utilizar resumos para fazer a revisão desse conteúdo.

Repetição espaçada como alternativa para reter o conhecimento

Conseguir superar a curva do esquecimento é um desafio. E uma das estratégias é a chamada Repetição Espaçada. Essa teoria diz o seguinte:

Se em determinados momentos você tem um estímulo do que você estudou sobre aquele assunto, você diminui muito a sua taxa de esquecimento.

Então quais são as horas ideais para fazer essa revisão?

A primeira é em até 24 horas. Toda vez que você fecha o olho e faz esforço para lembrar, o seu cérebro está criando sinapses, que vão fazer com que aquele conhecimento fique retido na sua memória de longo prazo.

Depois de uma semana, você deve revisitar esse conteúdo estudado na semana anterior. Dessa forma, você estimula mais a sua memória.

Por último, deve estudar 30 dias, ou seja, fazer uma revisão do que você viu no último mês e aí você termina de neutralizar o que a curva de esquecimento tem de pior.

Qual é a melhor maneira de revisar um conteúdo? 

Não há uma unanimidade na ciência sobre a melhor maneira de revisar, existe o método que você fica mais confortável, que funciona mais para você.

Uma estratégia muito indicada por especialistas é produzir seu próprio material de estudo.

Confira abaixo algumas formas de resumo que podem ajudar você a não deixar o conhecimento, tão difícil de colocar para dentro da cabeça, ir embora.

  • Resumos e utilizar a técnica de repetição espaçada
  • Cartões de memorização
  • Mapas mentais
  • Gravar áudios
  • Explicar a matéria para outra pessoa

Dicas científicas que podem melhorar seu resultado nos estudos

Além das dicas já faladas aqui, existem alguns hábitos recomendados por especialistas que podem ajudar você a melhorar seus resultados nos estudos.

  1. Tenha boa noite de sono
  2. Saiba revezar tempos de estudo com outros para descanso
  3. A rotina é a base da eficiência
  4. Estude temas diferentes ao longo do dia para manter seu nível de concentração elevado

Além desses pontos acima, diversos estudos científicos recomendam exercícios. É muito melhor se você for for responder questões que você responda de várias matérias diferentes do que focar em uma só.

Vai funcionar melhor para o seu foco, motivação e, mais importante, para retenção do seu conhecimento.

Estudar pra concurso público, ficar bom em alguma habilidade, não é só sobre o quanto você pratica nem o quanto você estuda. É sobre você entender e reter esse conhecimento.

É preciso mudar o seu mindset. Além de horas de estudo, você precisa que esse estudo seja com qualidade.

Agora é a sua vez de começar a sua transformação para se tornar um futuro servidor. Está preparado? Bons estudos!

Se você perdeu algum episódio da Série Futuro Servidor, confira:

 


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *