fbpx

Cafeína e estudos: ajuda ou atrapalha?

A cafeína é uma das substâncias que mais envolve mitos e verdades em relação aos estudos, mais do que qualquer outro alimento.

Algumas dúvidas comuns são: qual o melhor horário para tomar café? É verdade que eu posso tomar café à noite? Eu posso tomar café antes de dormir? Existe alguma relação entre cafeína e ansiedade?

Todas as vezes que o assunto cafeína está em pauta, o psiquiatra especialista em Medicina do Sono e neurocientista, Pablo Vinicius, fala em sensibilidade e tolerância à cafeína, que depende da genética de cada um.

Antes de tudo, é preciso conhecer os efeitos da cafeína no seu próprio corpo, para aí sim se aproveitar dos benefícios da substância sem que ela faça mal, interfira no seu sono, no processo de aprendizagem e cause dependência.

“O café está a nosso favor se a gente souber ingerir e lidar com ele”, afirma o neurocientista.

Será que cafeína é bom para os estudos?

Uso da cafeína pode trazer benefícios, mas desde que seja em moderação e observando os efeitos em cada pessoa (Foto: Freepik)

Quais são os benefícios do café no estudo?

A cafeína é responsável por melhorar a performance física e mental das pessoas. Os benefícios do café para estudantes podem ser muitos. Portanto, cafeína é bom para estudar. Como um psicoestimulante, ela aumenta a:

Doutor Pablo Vinicius explica que o processo funciona de forma simples. Quando acordamos, nossas células vão fazendo a respiração celular, a produção de hormônios, de proteínas… Ou seja, produzem energia para que você faça suas funções diárias no geral.

O resultado desse metabolismo é uma substância chamada adenosina que, ao longo do dia, se acumula. É como se fosse a bexiga acumulando urina. O mesmo acontece com a adenosina, que multiplica-se ao longo do dia nas células.

Esse acúmulo da adenosina é uma sinalização de cansaço para o corpo. À noite, ela está no seu nível máximo. Isso sinaliza para o organismo que é hora de parar, de ela ser eliminada e de dormir.

É no sono que você elimina a adenosina, para no dia seguinte acordar e viver esse ciclo de novo.

Mas o que isso tem a ver com a cafeína?

A cafeína bloqueia o efeito da adenosina no cérebro. Por isso que é considerada um psicoestimulante. Ela bloqueia o seu cérebro de sentir os efeitos da adenosina.

Isso vale tanto para estímulos mentais quanto para físicos.

Cafeína na medida certa

A cafeína ajuda a manter a concentração nos estudos?

Sim, a cafeína melhora a concentração e, inclusive, há estudos que mostram que ele influencia até mesmo na memória, segundo o médico. Na medida certa, a cafeína ajuda a estudar.

Quais os malefícios do café no estudo? 

A distância entre o benefício e o malefício é uma linha tênue. É preciso estar atento ao uso da cafeína!

Ela não é uma substância completamente segura, já que pode provocar dependência, sintomas físicos, psíquicos, alterações de humor e ansiedade, principalmente se consumida em grandes doses, podendo fazer mais mal do que bem para o organismo.

A cafeína pode provocar dependência química no sistema nervoso central. Ela consta como uma droga prevista na lista da Organização Mundial de Saúde (OMS) que pode gerar esse tipo de dependência.

Na classificação internacional das doenças, há até mesmo um código para as pessoas que têm dependência da cafeína.

Por isso, o seu consumo sempre deve ser moderado. A cafeína atrapalha os estudos na medida errada e em vários outros aspectos da qualidade de vida.

Pode ocorrer também um fenômeno chamado de tolerância, em que a pessoa precisa de doses cada vez maiores para sentir os efeitos da substância no corpo, algo próprio de componentes que causam dependência.

A abstinência também é um sintoma para ter atenção, ou seja, quando o corpo começa a demonstrar sinais de que precisa da substância.

O efeito da cafeína em pessoas mais sensíveis à substância pode ser de sintomas mentais e emocionais, como:

  • Irritabilidade
  • Inquietude
  • Nervosismo
  • Insônia
  • Confusão mental
  • Alterações de comportamento
  • Instabilidade de humor

Já os sintomas físicos podem ser:

  • Dor no estômago
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Aumento da frequência respiratória
  • Crises de taquicardia
  • Tontura
  • Arritmias cardíacas

Doutor Pablo também pede para tomar cuidado com cafeína em cápsulas, muito usada por estudantes e atletas. A concentração nessas cápsulas de cafeína é muito alta, algumas vezes chegando ao equivalente a 10 xícaras de café.

Não exagere no café

O médico também aconselha a não usar o café caso você esteja cansado e precise estudar. Cansaço se resolve descansando.

Se essa sensação de cansaço é frequente, é preciso procurar a sua causa e não tentar resolvê-la com o uso de psicoestimulantes.

É como uma pessoa andando em uma carroça com um cavalo cansado. Quando a pessoa chicoteia o cavalo, ele de fato consegue avançar alguns metros, mas em algum momento ele vai cair no chão de exaustão.

A cafeína em excesso também pode prejudicar o sono, causando insônia e noites mal dormidas. Pela manhã, essa pessoa sentirá mais necessidade ainda de consumir cafeína, assim entrando em um ciclo vicioso.

Doutor Pablo Vinicius chama isso de ciclo perverso da cafeína.

Quanto mais cafeína você toma, mais você estraga o seu emocional e o seu sono. Como consequência, isso vai estragar o seu dia, alerta o médico.

Os malefícios do café são:

  • Dependência química
  • Em pessoas muito sensíveis, sintomas físicos e mentais
  • Prejudicar o sono
  • Aumento da ansiedade

Efeitos negativos cafeína

Quantas xícaras de café se deve tomar por dia?

Em geral, adultos jovens podem tomar até 400mg de cafeína por dia, o que dá em média entre três e quatro xícaras.

Lembrando sempre que isso depende muito do organismo de cada um. Não existe uma regra geral que se aplique a todos.

Crianças não devem tomar café. Já adolescentes, no máximo uma xícara por dia, o equivalente entre 100mg e 150mg de cafeína.

Para saber a quantidade de cafeína nos alimentos, basta pesquisar na internet! Mas o doutor Pablo já adianta algumas dicas e dúvidas comuns.

Por exemplo, ao contrário do que muitos pensam, o café coado tem mais cafeína do que o café expresso, porque a água fica mais tempo em contato com o pó do café, extraindo mais a cafeína do pó. Isso só não vale se comparado a um expresso ultra forte.

Em média, uma xícara de 200 ml terá em média de 80 a 150mg de café. A variabilidade depende do grão, da torra e de quanto tempo a água fica em contato com o pó.

Qual o melhor café para estudar? 

Não existe uma fórmula pronta ou uma receita específica, cientificamente falando. Depende da rotina e dos hábitos de cada um.

Também não há diferença entre café coado ou expresso. O mesmo vale para o grão ou para a torra. “Existe o café que você gosta”, afirma o médico.

Na medida certa, o café para estudar é benéfico, mas não existe o melhor para estudar. E os benefícios da cafeína nos estudos, conforme já foi dito, são muitos!

Qual o melhor horário para se tomar café?

“Cada indivíduo tem uma padrão genético para tolerar o café”, afirma o doutor Pablo. É a partir desse conhecimento que se pode falar com horários para tomar café.

De manhã, à noite, antes ou depois do estudo, antes ou depois do trabalho: isso depende da sensibilidade de cada um.

Tomar café no horário dos estudos pode ser interessante, desde que não seja um horário que interfira no seu sono ou que você não tenha grande sensibilidade à substância.

A dica do médico é: perceba como o seu organismo funciona e reage ao café!

Pode tomar café à noite? 

Quem se sente mais pilhado, agitado ou ansioso ao consumir o café, jamais pode tomar a substância durante à noite.

O médico aconselha que a sua última dose seja por volta das 14h e 15h da tarde.

Esse consumo de café à noite, para as pessoas mais sensíveis à substância pode até mesmo prejudicar o aprendizado.

O café pode eliminar as fases profundas do sono, quando o cérebro absorve as informações que foram adquiridas durante o dia.

É um tiro no pé, é um esforço de tolo. Porque você só vai se esforçar, mas não vai ter eficiência”, define o especialista.

Por isso é muito importante saber gerenciar bem o tempo, ter equilíbrio e não precisar recorrer à substância.

É bom tomar café depois do almoço?

Para quem tem maior sensibilidade à cafeína, o recomendado é tomar café no máximo até um pouco depois do almoço, para que ela não chegue no seu período noturno e prejudique o seu sono.

No entanto, alguns estudos tem mostrado que a cafeína interfere na absorção de substâncias importantes para o organismo adquiridas pela alimentação, como a vitamina C e o cálcio.

Por isso, não é recomendável tomar o café logo depois das refeições, mas esperar um tempinho, mais especificamente entre 30 e 40 minutos, para seu organismo conseguir absorver bem esses nutrientes.

E você, consome café para estudar? Não deixe de fazer uso da substância com moderação!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *