fbpx

Como atividade física pode ajudar nos estudos para concursos?

Compartilhe o conteúdo

Como atividade física pode ajudar nos estudos? Antes de tudo, você deve saber que fazer exercícios é fundamental para nossa inteligência. E não é apenas necessário se o concurso têm teste de aptidão física.

O médico psiquiatra e especialista em Medicina do Sono, Pablo Vinicius, explica que o primeiro passo é as pessoas com pouco tempo de estudo deixarem de pensar da seguinte forma:

“Meu Deus, eu já tenho pouco tempo para estudar, imagine só se eu tirar a minha hora de estudo para me exercitar? Eu não vou estudar nada. Vou estudar muito menos do que o meu concorrente”.

“Meu amigo está estudando 6 horas, eu só consigo estudar 4 horas. Se eu tirar uma dessas horas de estudo para exercitar eu não vou conseguir passar!”

A comparação é um dos principais inimigos para atrapalhar o desempenho do estudante. Logo, esqueça o que seu concorrente está fazendo e foque em você!

→ Os 3 maiores inimigos do estudo

Segundo o médico, é melhor estudar três horas e meia e se exercitar em 30 minutos, do que estudar quatro horas seguidas.

Confira a explicação em áudio do médico Pablo Vinicius:

Como a atividade física ajuda nos estudos?

Inteligência, rendimento cognitivo, atenção, concentração, memória. Tudo isso precisa de bastante energia. Portanto, a moeda da inteligência chama-se energia.

Quanto mais energia você tem, mais inteligente você é e melhor será sua cognição.

E a ferramenta mais eficaz para aumentar sua energia chama-se atividade física. O processo funciona da seguinte forma:

Dr. Pablo Vinicius explica como atividade física pode ajudar nos estudos

Dr. Pablo Vinicius explica os benefícios de exercícios físicos (Foto: Divulgação)

“Nossa energia é produzida numa organela dentro da célula chamada mitocôndria. Quanto mais mitocôndria você tiver, mais qualidade dela e energia você terá. Em consequência, mais motivação, e melhor estará a sua cognição e inteligência” explica Dr. Pablo.

Ao longo da vida, com o envelhecimento, é comum a diminuição e perda de qualidade das mitocôndrias em nosso corpo. Por isso que perdemos energia ao longo da vida.

A atividade física surge como um meio de amenizar isso. Afinal, através dos exercícios, como afirmado anteriormente, conseguimos aumentar o número e qualidade das mitocôndrias.

Todas as vezes que você sai de casa e vai se exercitar, principalmente exercícios de intensidade moderada e alta, o seu corpo está atuando e melhorando essa organela.

O resultado é mais energia e melhor rendimento cognitivo.

Atividade física é boa para o cérebro?

Realizar atividade física também aumenta o número de neurônios e conexões neuronais e, em consequência disso, a velocidade das informações no seu cérebro irá transitar mais rápido.

Desse modo, a informação vai ser armazenada mais facilmente e resultará em mais massa cinzenta, ou memória, deixando você mais inteligente.

Percebe-se, então, que a atividade física potencializa o aprendizado aumentando o número de mitocôndrias, deixando você com mais energia e multiplicando neurônios e conexões neuronais.

Além disso, a atividade física aumenta o fluxo sanguíneo, a oferta de oxigênio e a de alimentos para o seu cérebro. Três fatores são determinantes para melhorar o fluxo cerebral e aprendizado.

Quanto tempo de atividade física fazer para melhorar os estudos?

Dr. Pablo Vinicius explica que a OMS recomenda pelo menos 150 minutos por semana. Entretanto, o ideal é que você atinja 300 minutos por semana.

O conselho do Dr. Pablo é fazer algum tipo de atividade física todos os dias. Foque em extrair o máximo de exercícios para sua vida.

Isso potencializará o rendimento intelectual, aprendizado, e, consequentemente, seu sucesso. Coloque a atividade física na agenda e sua eficiência será muito melhor.

Correr ajuda nos estudos?

Correr é muito bom para os estudantes pois aumenta o metabolismo instantaneamente

Correr é muito bom para os estudantes, pois aumenta o metabolismo instantaneamente (Foto: Pexels)

Quando for iniciar seus exercícios, o indicado é mesclar atividades aeróbicas e de força. Uma opção sugerida por Pablo Vinicius é a corrida.

Correr é muito bom para os estudantes, pois aumenta o metabolismo instantaneamente, resultando na elevação da temperatura corporal e do fluxo sanguíneo cerebral.

Todos esses efeitos proporcionam maior oferta de oxigênio, nutrientes e melhor condição cardiovascular para corpo e cérebro. Isso tudo vai repercutir para intensificar seu aprendizado e rendimento cerebral.

O médico ressalta ainda que tanto corridas quanto atividades de força também ajudam na perda peso.

O tecido gorduroso do excesso de peso é um veneno para o estudante. Ele inflama o cérebro, diminui a capacidade cognitiva e de atenção, assim como a concentração e memória.

Portanto, fazer exercícios e ter uma boa alimentação é fundamental para o desempenho cerebral.

Devo estudar antes ou depois de exercício físico?

Não existe receita de bolo ou fórmula única para todo mundo. Pablo Vinicius afirma que não adianta imitar o que os outros estão fazendo.

Você deve testar o que melhor trará rendimento para você. Os alimentos, quantidade de sono, horário de fazer atividade física e estudar.

Como perceber isso?

Se após praticar atividade física você se sente bem e mais disposto, é indicado fazer os exercícios antes do seu estudo.

Por outro lado, se fazer exercícios físicos te relaxa ou gera sono, a resposta é fazer o oposto. E isso pode ser determinante para seus estudos. Nesse caso, o ideal é fazer depois ou até mesmo próximo a hora de dormir.

📝 Como treinar para o TAF de concursos públicos?


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. NYRO NETO disse:

    CONTEÚDO DA FÍSICA É A MENTE E O CORPO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *