fbpx

Concurso de agente administrativo PF: o que você precisa saber

Quando os futuros servidores pensam no concurso da Polícia Federal, para a grande maioria, o cargo de agente administrativo da PF não costuma ser a primeira opção.

No entanto, segundo o delegado da corporação e professor da Folha Cursos, Rafael Dantas, a carreira é muito mais dinâmica do que parece.

Isso porque ela não consiste apenas em ficar atrás de uma mesa, como se pode imaginar da maior parte das carreiras administrativas.

Apesar da investigação não ser sua função direta, os servidores são essenciais para que ela aconteça da melhor forma possível, sabia?

agente administrativo

Apesar de não fazer a investigação, o agente administrativo da Polícia Federal é essencial no processo (Foto: Freepik)

Agente administrativo da Polícia Federal: o que faz?

Antes de tudo, a missão constitucional da Polícia Federal é a de investigação. Inclusive, esta é a função primária dos agentes policiais.

Nesse sentido, cabe aos agentes administrativos, como o próprio nome diz, administrar a organização para que isso aconteça. São eles que têm acesso a sistemas, garantem a saúde física e mental dos policiais, que as viaturas tenham combustível etc.

Em resumo, o agente administrativo da Polícia Federal não está na linha de frente, mas sim garantido o suporte para que a investigação aconteça.

Nesse contexto, sua frente de atuação é bastante ampla. Ele pode trabalhar em funções mais remotas, como licitação e contratos, recursos humanos, na sede da Polícia Federal ou até mesmo nas delegacias.

Por exemplo, Rafael Dantas é delegado na Delegacia de Repressão a Crimes Previdenciários. Onde trabalha, chega um fluxo enorme de pessoas.

É o agente administrativo quem as recebe e ajuda a inserir os dados no sistema desse público, investigados e testemunhas.

Curso Agente Administrativo PF - Folha Cursos

Onde trabalha o agente administrativo da Polícia Federal?

Também são levadas em consideração para a lotação as experiências anteriores do aprovado. Alguém que fale muitos idiomas ou tenha um bom inglês, pode trabalhar no setor de Passaporte. Outras opções de setores para o agente administrativo podem ser:

  • Segurança privada
  • Controle e registro de armas
  • Recursos humanos
  • Licitação e contratos
  • Logística

Esta é uma carreira que não pode ser terceirizada. Inclusive, devido a escassez de servidores, muitas vezes os escrivães acabam fazendo o trabalho do agente administrativo, o que prejudica a atuação policial na ponta.

O trabalho no setor administrativo é bem diferente do que faz o agente policial.

Se o agente de polícia é o responsável por apreender alguém com porte ilegal de arma, a função do administrativo é verificar se um cidadão que deseja portar uma arma tem todos os documentos e cumpre todos os requisitos necessários.

Ao todo, a carreira tem 20 níveis. Quando a progressão ocorre, a Polícia Federal oferece um curso para o agente.

Ou seja, além da remuneração inicial de R$4.710,76, que cresce com a progressão de carreira e da estabilidade, o servidor também tem a oportunidade de se especializar cada vez mais. Outra possibilidade é tirar uma licença-capacitação.

O agente administrativo da Polícia Federal tem porte de arma? E carteira funcional?

O agente administrativo da Polícia Federal não tem porte de arma nem carteira funcional.

Em carreiras como delegado, agente de polícia ou escrivão, os servidores têm porte de arma e carteira funcional porque são meios para a atividade fim.

O mesmo vale para uniforme operacional e colete balístico, os quais o agente administrativo não tem, porque não precisam de tais acessórios para trabalhar.

Isso não significa dizer que os responsáveis pelo setor administrativo trabalham apenas sentados em uma mesa, atrás de um computador. Por exemplo, algumas atividades possíveis estão no trato com refugiados, no setor de imigração ou em aeroportos.

“Quem gosta de dinamismo vai ter espaço”, garante Rafael Dantas.

> Estude para agente administrativo da PF com a Folha Cursos

Quem estava se preparando para agente policial da Polícia Federal pode aproveitar os estudos para agente administrativo?

A resposta é sim! As provas têm assuntos em comum, como Sistema Nacional de Armas e questões relativas a estrangeiros.

Com 534 vagas, o último concurso para o concurso de agente administrativo da PF foi em 2013, realizado no Distrito Federal e em diversos estados do país. A banca foi o Cebraspe (antigo Cespe/UnB).

Foram 50 questões de Conhecimentos Básicas, das disciplinas de:

Em Conhecimentos Específicos, foram 70 questões de noções de:

  • Administração Pública
  • Administração Financeira e Orçamentária (AFO)
  • Gestão de Pessoas nas Organizações
  • Arquivologia
  • Administração de Recursos Materiais (ARM)
  • Legislação Aplicada à Polícia Federal

> Leia ou assista o plano de estudos elaborado pelo professor Douglas Schneider para o concurso de agente administrativo PF

Como entrar na Polícia Federal com ensino médio?

Para o cargo, não houve etapa discursiva nem TAF. O único requisito para o cargo é o ensino médio completo, sem necessidade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Mas, se você um dia deseja fazer concurso para delegado, cuidado: o tempo como agente administrativo na corporação não conta como prática jurídica. Além disso, não existe mudança de cargo dentro da corporação. Apenas fazendo um novo concurso.

Diferentemente da prova para agente policial, o concurso para a área administrativa costuma ser regionalizado. Decidir fazer a prova em outro estado com mais vagas é uma decisão muito pessoal, a qual Rafael Dantas não recomenda:

Não fique pensando nisso. Estude o melhor que você puder, dê o seu máximo. Prepare-se muito, não se preocupe com a concorrência. O principal concorrente é você, opina o delegado.

matérias para o agente administrativo da polícia federal

Como estudar para o concurso de agente administrativo PF?

O professor da Folha Cursos recomenda cuidado especial com matérias que você nunca viu antes, como Legislação Aplicada à Polícia Federal. Porte de arma, controle de segurança privada e questões envolvendo estrangeiros também são assuntos importantes.

Como o edital ainda não foi nem publicado, dá tempo de ter uma preparação tranquila. O ideal é sempre começar o quanto antes.

Outra dica de Rafael Dantas é navegar pelo site da Polícia Federal, para ter uma boa noção de como a corporação funciona. As provas para o órgão não costumam exigir que o candidato decore os conteúdos, mas sim que consiga interpretá-los.

A polícia é um lugar onde as pessoas chegam com problemas graves, que você precisa resolver.

Por exemplo, imagine que um adulto apareça com uma criança que precisa fazer um transplante no exterior. Com as fronteiras fechadas devido a pandemia do Coronavírus, como solucionar esse problema? Como agente administrativo da Polícia Federal, questões assim farão parte do seu dia a dia.

Por outro lado, pensar que essa poderá ser uma forma de começar a mudar o seu país prestando um bom serviço público, é um bom incentivo para estudar essas matérias um pouco mais complexas.

Como começar a estudar para o concurso de agente administrativo PF?

O primeiro passo é fazer uma autoavaliação. Perguntar-se o que você gosta, em quais matérias vai bem e o que já tem conhecimento.

Em seguida, inicie seus estudos por matérias mais básicas, como Português, Informática ou Atualidades. Para aí sim partir para as disciplinas mais específicas e de maior grau de complexidade e que exigem mais esforço pedagógico.

Ter um local tranquilo e estudar com antecedência é muito importante. O tempo também será essencial para trabalhar a sua memorização.

“Depois não tem segredo”, afirma Rafael Dantas. “É estudar, é se esforçar… vai fazendo os simulados. Se sua preparação for sincera, sua aprovação é certa.”

A dica final dele é: não espere o edital para agir. Estude com antecedência!

Curso Agente Administrativo PF - Folha Cursos

Você pode gostar...

1 Resultado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *